terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Mário Crespo não é dos meus, mas...




Nota prévia: Por vezes é já com alguma irritação que atiro para o lixo os recorrentes mails que alguns amigos me enviam, com textos de crónicas de Mário Crespo, escritas em vários órgãos de comunicação. Vêm sempre anunciadas por um entusiástico “mais uma do Crespo!”, como se o facto de um jornalista de direita aproveitar todos os centímetros que consegue na imprensa e cada minuto de tempo de antena, para bolçar o ódio vesgo que tem pelo Governo de Sócrates, o transformasse em “um dos nossos”. A verdade é que ele bolça esse ódio por tudo o que lhe cheire a esquerda, mesmo que seja uma esquerda tão “bemol” como é este PS de Sócrates... portanto não, Mário Crespo não é “cá dos meus”. Não gosto de praticamente nada do que escreve, não gosto de praticamente nada do que diz, não gosto de praticamente nada do que apresenta na televisão, por muito que insista em dizer (parolamente) que são conteúdos e “jornalismo de excelência”.

Feita a introdução ao tema, o resto é simples de escrever: isto que se está a passar com o jornalista Mário Crespo é uma canalhice! Um caso a precisar de rigor no apuramento da verdade. É mais uma das canalhices em que este Governo se tem mostrado especialista, mesmo quando tem quem as cometa por ele. É inquietante a deriva autoritária que nunca abandonou a maneira de estar desta gente e a impunidade com que vai eliminando os “incómodos”, um por um, não com argumentos, mas pelo puro, duro e simples afastamento físico.

Mesmo assim, vem-me à memória um poema, normalmente atribuído a Bertold Brecht, que começa mais ou menos desta maneira: «Primeiro levaram os judeus, mas não falei porque não sou judeu... » e reparo que não faço a menor ideia de onde estava Mário Crespo, nem tantos dos que agora se ofendem e solidarizam com ele, nem o que um e os outros “falaram”, quando, por exemplo, o Diário de Notícias, "primo" do JN que agora o censurou, decidiu, há bem pouco tempo, livrar-se de vários colaboradores “incómodos” para o Governo, jornalistas, cronistas... que esses sim, ou pelo menos alguns, eram “cá dos meus!”

27 comentários:

C. Silva disse...

Uma rectificação: o jornal que o censurou não é o DN mas o Jornal de Notícias.
Mas pertence tudo á mesma gente.

samuel disse...

C. Silva:
Muito obrigado pela rectificação! O lapso já foi corrigido no texto. Deve ter sido pelo facto o DN ser capaz do mesmo, ou pior... ☺ ☺

Abraço.

Vai Crespar outro! disse...

Já são dois a meter nojo: O Crespo porque é javardolas, o Samuel porque é oportunista. E também porque é vesgo, bate em tudo que cheire a PS. JN ou DN? Que interessa essa porra se o alvo é o inimigo de estimação?
Chatearam-te com o entusiasmo no Crespo? Olha o nariz a crescer-te Samuel! Nem uma palavrinha te mereceu tamanho aborto e tantos bytes que gastas contra tudo o que mexe para os lados do Rato.
Samuel, não é suficiente clamar que se é honesto e justo, é preciso sê-lo de facto. Ainda tens muito que andar só para a rodagem!

São disse...

E será mesmo tal e qual que Crespo foi censurado? Já lhe publicaram tanto artigo violento contra o Governo e só agora, em véspera do lançamento do seu livro, é que o impediram?

Crespo e Pacheco Pereira irritam-me com esta denúncia, para eles totalmente injustificada de opressão da liberdade de expressão!

Escrevem e dizem tudo quanto lhes apetece em tudo quanto é sítio !!

Se é verdade que o censuraram , claro que não concordo com tal.

Tudo de bom.

Rui da Bica disse...

A verdade é que esta "estória" saíu pela culatra, contra o Sócrates, de tanto que foi badalada, através de e-mails e blogs, mas não só.
Mais ainda do que se tivesse sido normalmente publicada pelo JN.
.

samuel disse...

Vai crespar outro!:
Só lhe fica bem essa aguerrida, embora algo abestalhada militância. Mas convenhamos... que raio de culpa tenho eu de que o seu partido tenha sido tomado de assalto por gente sem escrúpulos, capaz desta e de tantas e tantas coisas como esta, que estão aí para as quer ver e sem grande contraditório?
Sobre o seu “nem uma palavrinha sobre tamanho aborto”, se o amigo não tivesse entrado aqui, digamos, aos coices, dar-lhe-ia os vários links de posts em que falei do Crespo... até (uma vez) para dizer que às vezes lhe achava graça (devia estar muito bem disposto...). Assim, já que gosta tanto de rodagens, procure-os você... ou muito melhor, não se dê ao trabalho!
Desculpe não o “destratar” igualmente por tu, mas não me consigo lembrar de quando raio é que andámos juntos “à escola”, como por aqui se diz.
E não se enerve tanto, que isso até pode ser “contraprocedente”. ☺ ☺ ☺

samuel disse...

São:
Não me parece que esta estória tenha sido inventada pelo Crespo como golpe de publicidade, mas mesmo que não tivessem afastado este “obstáculo”, já afastaram outros, como muito bem sabemos.

Rui da Bica:
É quase sempre assim. Muitas vezes a arrogância é acompanhada de grande estupidez! ☺


Saludos em estéreo!

do Zambujal disse...

Tudo isto é... estúpido.
E a estupidez vem da arrogância. E a arrogância estúpida, ou a estúpida arrogância, vem da ambição do poder, do carreirismo, do vale tudo... porque é política, quando a política DEVERIA SER uma bitola para o que vale e o que não vale!
Mentir? O que é isso?
No meio desta porcaria toda, o sr. Mário Crespo é um figurante, talvez figurinha, talvez figurão.
AH! e esse do "vai crespar outro" é - só! - idiota, um sectariozinho do Largo do Rato.

Abraço, Samuel

Membro do Povo disse...

Antes de mais sou fã de Mário Crespo, pelo que nunca li nada dele que me desagrada-se (não leio tudo mas...),
agora esta "limpeza" jornalística não é realmente algo de novo - embora faça lembrar um estado novo - pois como frisa o Samuel já o JN... MAS convém lembrar que até os gatos mal cheirosos ilustraram um Sócrates que ensinava um Chaves a lidar com a comunicação social, «ló hojo de lá calhe» lembram-se?

Anónimo disse...

"NÃO É DOS MEUS" mas isto é uma loucura caro Samuel...Então o jornalismo, os jornalistas, quaisquer profissionais da comunicação social e outro tipo de comunicação que não seja social terá só é bom porque é dos meus..!
Bahb.
Quantos daqueles que são seus estão na palavra "revolução"?

O Mário Crespo não é meu! Nem seu! Nem de qualquer outro..!

Nem o quer defender, nem sou amigo, nem conhecido e nem sequer andei com ele na escola. Mas é português. Bom profissional! E professor desses "sabujos" da comunicação social e outras comunicações...

Assim como o tratais é de, palpita-me, uma nojisse de todo o tamanho..!

Graciete Rietsch disse...

Bom post Samuel.Gostei, compreendi e concordei.Lembram-se de um outro jornalista chamado João Coito? Creio não estar enganada. Mas a quem quer enganar o Mário Crespo?
Beijos.

Maria disse...

E eu a dizer que o MC me andava a espantar... às vezes ainda sou loira :)))
Mas não concordo com a comparação com o Coito. Fogo... o Coito era MUITO MAU!!!!! (na verdade não sei se este é melhor...)
Ai a falta de discussão política...

Abreijos

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

Do Zambulal:
Este é o tipo de fenómeno que esta gente consegue produzir... tanto os governantes, como os crespos, como os “socialistas anónimos”... ☺

Membro do Povo:
É um tique de que não parece conseguirem livrar-se...

Anónimo (20:50):
Leu apenas o título, ou não entendeu o texto?
O “não é dos meus” do título não passa de uma graça... mas mesmo assim está lá bem escarrapachado o “mas...”
Como é que não consegue ver que eu estou absolutamente contra o que alegadamente fizeram ao Mário Crespo, mesmo não sendo ele um “dos meus”, o que a meu ver só valoriza a minha posição?
Em que lei é que está escrito que eu não posso ter maior apreço pelos jornalistas, cronistas, etc., com quem mais me identifico, sem isso querer logo dizer que todos os outros deviam ser perseguidos, vilipendiados e quiçá, despenteados em público? Ora essa!...

Graciete Rietsch:
Ser compreendido é bom! ☺ ☺ ☺

Maria:
Claro que por vezes os textos dele “espantam”... tal como as sempre tremendas declarações do seu companheiro de televisão, o Medina Crreira... só que mesmo quando acertam nos alvos, lembram-me sempre aquela cantiga “eu não quero o que tu queres, que eu sou doutra condição”.



Saludos de lés a lés!

Curioso do Mundo disse...

O Crespo ao menos diz(no Sol) que trabalhou/admirou o Kaúlza,e pelo que diz, na RTP, foi várias vezes maltratado por "socialistas".O Sócrates foi ao club Bilderberg mais o Santana Lopes e nunca disse o que foi lá fazer.Sócrates continua a ter como secretário de estado Gonçalho Castilho um artista que disse que os funcionários públicos iam ser trucidados?!São motivos suficientes para qualquer pessoa séria se encrespar.O largo do Rato está é cheio de ratazanas...do esgoto!

Antuã disse...

primeiro foram para a rua os jornalistas de esquerda e agora vão os de direita incómodos. É assim o Português Suave do Largo do Rato.

Anónimo disse...

do das 20.50
Em principio, tenho para comigo que todos os jornalistas que se encontram nas frentes, editoriais, pivots, directores de programas e quejandes, são da cor ou se comprometeram com o grande capital, com o liberalismo, com o império.
Palavras como «revolução» não estão no seu vocabolário. É certo!

Se eles lá estão é por que têm a confiança do patrão! Ponto Final Paragrafo!

Mas há coisas e coisinhas. Quantos jornalistas, há uns anos a esta parte não foram "expulsos" retirados das suas funções?

Mas se trabalhar para o Kaulza é sujo,não duvido um pocadinho, quantos de nós estarão hoje a trabalhar para progressistas?

Era muito bom que nos organizassemos de outro modo, organizar mesmo, para acabar com esta balhana toda.

Estou carregadinho de dúvidas quanto a este tipo de informação...é certo que a denuncia do mal tão bem é bom...Mas assim...Não chegaremos lá! Penso eu de que.

Fernando Samuel disse...

Retomo a questão fundamental por ti colocada: é preciso,é imperioso, apurar a verdade - com rigor.

Um abraço.

E vai mesmo crespar outro disse...

Samuel, não se deve perder tempo contigo. Mas voltei porque gosto de dar mérito às pessoas e de facto achaste a expressão certa para o teu comportamento: "Abestalhada militância" era a definição que me faltava para classificar o teu estrabismo militante. Parabéns.
E não te encrespes porque estragas a fina educação recebida na tal escola, porque seguramente andámos à escola em sítios diferentes. Na tua davam coices como mostras pela técnica usada, na minha as bestas não entravam.
E fica sabendo que não sou militante do PS, não tenho cabresto como tu. A minha militância é pela decência do comportamento democrático, enojam-me os acéfalos militantes seja do que for. Mas sim, apoio o PS e o governo, coisa que parece ser crime lá na paróquia onde fazes as rezas e descobriste a "verdade". Avante e não deixes escapar o Crespo: É cerebralmente um clone teu. Seu, vamos lá manter as distâncias.

Anónimo disse...

é e assim será, enquanto não nos fartarmos das meras palavras.
isto só muda de uma maneira.
do vale sem jornais, um abraço.

António disse...

Samuel, ignora as diarreias mentais que por aqui passam.

M. Daniel Nicola V. disse...

Só não percebo como é que perante mais uma intromissão, directa e impensável numa democracia, de um primeiro-ministro num grande media, seguido de um acto vergonhoso de censura do JN e de uma "canalhice" da nova escola socrática que tudo nega, se escreve um post em que metade das linhas são dedicadas a "malhar" no Mário Crespo!

Por favor, não se avalia uma coisa destas pelo prisma da "vítima". Fosse quem fosse, o ênfase estaria sempre naquela conversa mesquinha de Sócrates e naquela tentativa de pressão, porque o que se sabe é certamente a ponta do iceberg, e se Crespo decidiu divulgar os factos aos sete ventos, ainda bem e a bem da democracia e liberdade.

Em Portugal são poucos os jornalistas assim, sobretudo em televisão, somente o mais poderoso dos media.

Já em Setembro e ao deplorável Jornal o Sol, Mário Crespo tinha confessado o seu constrangimento perante o triste episódio do "Sr. Ministro" Silva Pereira

http://4.bp.blogspot.com/_MjY_pjz3LRA/SrDMSOh1P8I/AAAAAAAAAQ8/fiEsVrsF_tE/s1600-h/mario+crespo.JPG

nessa mesma entrevista afirma ir votar ou PC, ou BE, ou PP. tudo menos no centro. Assumiu-o com frontalidade. Enquanto isso Rodrigues dos Santos disse abster-se para continuar imparcial...

entre JR dos Santos ou Julio Magalhães e F. Pedroso a entrevistar o reverendo Marcelo, eu prefiro o estilo de Mário Crespo, e mesmo que não preferisse, não é isso que está em causa.

e até vos desafio a nomear um apresentador de jornal televisivo melhor no espectro do mainstream!

samuel disse...

Curioso do Mundo:
E logo agora que o stock de raticida está um pouco em baixo...

Antuã:
Agora fica tudo sobressaltado! ☺

Anónimo (11:38):
De alguma forma chegaremos... é preciso ir fazendo o caminho, mesmo que aqui e ali se erre.

Fernando Samuel:
A verdade dos factos é a única saída...

E vai mesmo crespar outro:
Brilhante, magnífico!!!
Sobretudo a elegância do estilo e a profundidade das ideias.
Gostei particularmente da sua escola, a tal em que não entravam as bestas. Era um problema de lotação esgotada, certamente... ☺ ☺
Vá lá... tenha um pingo de força de vontade... e não perca tempo comigo, como aliás (e muito bem) acha que deve fazer...

Duarte:
E há-de mudar!

António:
Quando “ignorar” é de vez, fazendo-os sumir daqui... ☺


Saludos gerais!

Anónimo disse...

o problema não é ser de direita, esquerda ou centro.o problema é a coação, a falta de liberdade de expressão que se está a instalar no país e os meios que são pidescos, degradantes, obscenos. e não se ponham a dizer que não é convosco pois a vossa vez haverá de chegar, não se unam só porque o crespo não é dos vossos e depois lamenten-se

samuel disse...

M. Daniel Nicola V.:
Caro, se leu assim o meu post... leu mal!
Para não ter que voltar a ler, aí vai o resumo.
1. Não gosto do que faz o Crespo (sem malhanços).
2. O que lhe estão a fazer e a (alegada) conversa do Sócrates, é uma canalhice.
3. Não vi esta indignação universal quando alguns outros colunistas foram afastados de jornais.

Mais, o facto de ele admitir votar no PC, no BE, ou no CDS... apenas prova que é tonto, pelo menos tanto como o Rodrigues dos Santos, que acha que não votar em ninguém é que dá “independência”.

Como não gosto de nada no estilo de Mário Crespo é ocioso estar a arranjar um “melhor” que ele. Qualquer um serve! ☺ Agora se passarmos às apresentadoras, e isto sem rigorosamente nenhuma piadola machista atrelada, estou a ver, sim senhor!

Felicidades para o “Viseu esquerda”... e tenho saudades de quando era muito miúdo e brincava na Cava do Viriato. ☺


Anónimo (22:41):
Não me parece que tenha entendido bem o que escrevi, mas não faz mal. Não devo ter-me explicado bem...
Para estar mobilizado contra os processos pidescos, contra este e outro tipo de censura e pressões, sejam as vítimas “dos nossos” ou não, não preciso de ir a correr “unir-me” seja com quem for, nem participar em nenhum movimento no Facebook.


Saludos!

zemanel disse...

O mau cheiro que alguma gente por aqui vai deixando...
Serão nervos?
UM ABRAÇO SAMUEL
(deixós poisar...)

samuel disse...

Zemanel:
Que poisem, que poisem...

Abraço.