sábado, 20 de fevereiro de 2010

A noite passada *



A noite passada foi uma noite de candidaturas. Eu próprio, estive vai não vai... mas adiante. Assistimos primeiro ao discurso de candidatura de Aguiar Branco dentro do PPD-PSD. Diz que se candidata a Primeiro-Ministro de Portugal. O facto da figura constitucional de uma tal candidatura pura e simplesmente não existir, não deve passar de um pormenor. De toda a cerimónia apenas retive a cor que escolheu para fundo, digamos, assaz encarnada. Não digo vermelha, pois isso já seria um exagero.

Da segunda candidatura da noite, a do Dr. Fernando Nobre à Presidência da República, apenas vi uma entrevista (fraquinha!...) feita cerca de uma hora depois do discurso oficial «movido por um imperativo moral de consciência e de cidadania».

Retenho que a candidatura do Dr. Fernando Nobre «não é à esquerda, nem à direita, nem mesmo ao centro»... (não cheguei a perceber se é aérea). Reparei também que já está a provocar alguns estragos na área “alegrista”. Mesmo que esta candidatura do mediático médico humanitário não tenha sido, como ele assegura, inspirada e incentivada por “soaristas”, o facto deve estar a dar muito gozo ao próprio Soares.

Terminando, se possível, num registo mais sério, repito que o percurso pessoal e cívico do Dr. Fernando Nobre é nada menos que louvável e respeitável. Já o trajecto político é um pouco mais complicado. O Dr. Fernando Nobre já foi apoiante de Durão Barroso, de Mário Soares, do Bloco de Esquerda, do PSD e António Capucho para a Câmara de Cascais, do PS e António Costa para a Câmara de Lisboa... A menos que esteja firmemente convencido de que esta vasta “sementeira” de apoios vai ter um retorno em fartas colheitas vindas de todos esses quadrantes, a coisa pode não passar, por enquanto, de uma salgalhada.

Mais, e mais importante, quando um cidadão chega de rompante à política activa declarando estar de mãos completamente limpas no que respeita às maleitas e “desgovernos” que infernizam há décadas a vida do país, isso é perfeitamente aceitável se estivermos a falar de alguém com 18 ou 20 anos de idade. Tratando-se de uma pessoa como o Dr. Fernando Nobre, a caminho dos seus sessenta anos, para além das “mãos limpas” em relação aos vários “desgovernos” que tivemos, também gostaria de lhe conhecer um historial de luta política activa, militante e consequente, contra esses “desgovernos”. Confesso que, possivelmente por desatenção, não tenho dado por isso.

Diz ele de si próprio na entrevista: «Quem quiser conhecer o Fernando Nobre (não lhe conhecia este lado futebolista) leia os meus livros». Só assim, sem um razoável esforço adicional do candidato, não será fácil! Uma grande parte dos portugueses não lê livros desses...

* Com um pedido de desculpas ao Sérgio Godinho. Agora dei pra isto...

20 comentários:

Pata Negra disse...

"Quanto ao Fernando Nobre, pode ser um bom homem mas, como porco que sou, o senhor não me entusiasma porque lembra-me a velha história do freguês para o talhante:
- Tem focinho de porco?
- Tenho!
- Tem mãos de vaca?
- Tenho!
- Tem pés de cabra?
- Tenho!
- Então mas que raio de bicho é você?
Foi apoiante da candidatura de Mário Soares em 2006, mandatário nacional do Bloco de Esquerda nas últimas eleições europeias, fez parte da comissão de Honra das candidaturas autárquicas de António Costa (PS) e António Capucho (PSD), é portanto um homem do establishment."
Dum candidato também nobre, também alegre e que também dá umas cavacadas

Pedro Lopes disse...

Samuel,

Desta vez, o texto que escreveu prova que o Fernando Nobre é insuspeito e o país não é sempre dos mesmos donos.Quem somos nós para levantar suspeitas sobre este homem??????

Daniel disse...

Creio que há que fazer a distinção entre a excelência numa certa actividade e a capacidade de continuar excelente em outra.
A maior parte dos meus amigos, excelentes pessoas e alguns com enormes talentos, nunca poderia contar com o meu voto nem sequer para presidente da Junta.

Graciete Rietsch disse...

É bom no seu trabalho mas credibilidade política quem lha dará?
Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Aguiar Branco: A Forca de Todos?...

Fernando Nobre: A Forca de Alegre?...


Um abraço.

Medronheiro disse...

Desta vez vamos ter salsichas na campanha eleitoral.

Antuã disse...

O homem pode ser um grande humanitário, mas, politicamente, é um saltitão. Não é, portanto, de fiar. Já há 3 candidatos em quem não voto.

Anónimo disse...

Mas quem somos nós que sempre nos rodeamos, ou fomos sempre rodeados
pelos mesmos de sempre?

Se calhar já nem temos capacidade para destrinçar o bem do mal..!

Eu, que até um dia tive de votar no Mário Soares, já nada me admira...

Até parece que não conhecem o sistema burguês?!

Um dia, quando a esquerda acordar..! Aí sim, espero para ver...
Mas se o povo português até é conservador..!
Quero crer que existem homens e mulheres sérios e honestos, competentes de saber feito e com vontade de aplicar a sua força. Acredito!

Agora da forma como os actuais dirigentes políticos de esquerda funcionam é que já poucos acreditam.

Basta aparecer um daqueles democrata/burguês...aqui Del Rei que os partidos assim, os partidos assado, cozido e frito.

Este senhor doutor também tem o seu partido. Partido esse que é o conjunto dos direitinhas/democratas não lhe toques que desafina.

É mais um e a precissão ainda não chegou ao Adro.

Só espero que a esquerda, à qual pertenço, não apareça aí com uma catrafada de candidatos só para fazer campanha publicitária e ganhar alguns tostões!

Lembrem-se de Arlindo Vicente e Delgado. Lembrem-se do Doutor Rui Luis Gomes e do Quintão Meireles.
Lembrem-se do General Norton de Matos.
Não por eles mas pela capacidade e a objectividade de união entre as forças democráticas de então.

Pingoxos sempre os houveram!

Deixem-se de obvias desatenções!
de "O Catraio" com respeito.

Curioso do Mundo disse...

"sou contra o sufoco partidário"diz o F.Nobre.Todos iguais?...Olhe que não,olhe que não...diria Álvaro Cunhal,"um marxista de cristal".(Onde é que eu já li/sonhei isto?)!Quanto ao que vai Aguiar,branco ou tinto,está escrito é que já passou pelos bilderbergs...

Abraço

anamar disse...

Com todo o respeito que me merece FN, penso que ele já sofre de sindrome de fazer a mala e partir para onde haja desgraça...

Se for para acionar um serviço médico reforçado na área da psiquiatria neste país de doidos,talvez dê para entender...
Digo eu...
Abreijo

Maria disse...

Já estou curiosa com o título do teu post de logo à noite...

O Aguiar Branco não deve conhecer os estatutos do partido dele. Eu pensava que ele se candidatava a ser chefe máximo do psd, o que não tem nada a ver, para já, com ser ou não pm.

O Fernando Nobre devia continuar lá na AMI e ponto final. Politicamente, sendo um saltitão, não oferece a ninguém nenhuma confiança política. Digo eu, que gosto de gente coerente...

... ou será que ele quis apenas fazer propaganda aos livros que pouca gente compra?

;)
Deu-me práqui...

Abreijos

Aristides disse...

Estou como a Anamar, onde há uma catástrofe, lá está o Fernando Nobre. Terá sido esse o impulso para a sua candidatura? Mas desconfio que vai acontecer aqui o que acontece nas catástrofes a que FN já acorreu: vai ficar tudo na mesma, com ou sem a sua intervenção.

LAM disse...

Nada de especial. Só para dizer que também acho que sou um gajo porreiro e, mesmo assim, com essa qualidade, não me vou candidatar a PR. Tenham paciência.

Méon, disse...

Respeitando e admirando o trabalho humanitário do dr. Fernando Nobre, a verdade e que ele é Presidente da Assembleia Geral do Instituto Democracia Portuguesa que tem, como Presidente de Honra... D. Duarte de Bragança!
O Presidente deste Instituto é um conhecido professor universitário com obra publicada sobre as vantagens da monarquia: Mendo Castro Henriques.
Não inventei nada disto: basta ir ao site do referido Instituto.

Portanto: esta é uma candidatura de mestre. Um monárquico candidata-se a Presidente da República, no ano do 1º Centenário da... República!

Como é possível? É, e por isto: trata-se de monárquicos democratas que defendem a passagem da República à Monarquia através de uma "dupla revisão constitucional": primeiro inscreve-se a possibilidade de referendar o regime; depois faz-se um referendo, perguntando ao povo se prefere a monarquia ou a república.
Tudo isto está escrito no tal site e nas intervenções do seu Presidente.

Candidatura basto transparente, esta do sr. dr. Fernando Nobre!....

João Sequeira disse...

Como dizia o Ferreira Fernandes em crónica recente, isto está tão mau que já só lá vamos com apoio humanitário...
Um pouco mais a sério: é precisamente por tanto querer convencer-nos que está de mãos limpas que não vou à bola com esta candidatura. Prefiro a gente de mãos sujas de que falava o Sartre. Ou, já que estou numa de citações, poderia dizer, como Gabriel Celaya: 'Maldigo la poesía de quién no toma partido / partido hasta mancharse". E o dr. Nobre é demasiado very clean para o meu gosto.

Miguel Jeri disse...

"Tratando-se de uma pessoa como o Dr. Fernando Nobre, a caminho dos seus sessenta anos, (...) também gostaria de lhe conhecer um historial de luta política activa, militante e consequente, contra esses “desgovernos”"

Concordo bastante com esta afirmação e as pessoas parecem esquecer-se disso. Quem pratica a política, prestigiando-a, merece o nosso respeito e mais confiança que quem se absteve de o fazer.

samuel disse...

Pata negra:
Bela e ilustrativa estória... ☺

Pedro Lopes:
Nada do que escrevi insinua que ele é suspeito seja do que for... a não ser nde (para mim) não possuir perfil para Presidente da República.

Daniel:
Nem mais!

Graciete Rietsch:
Quem estiver a usá-lo...

Fernando Samuel:
Pelo que já se vê e ouve...

Medronheiro:
Parece que há quem goste deste tipo de amálgama política.


Saludos generalizados.

samuel disse...

“O Catraio”:
Se existir uma maioria de portugueses dispostos a votar Cavaco na primeira volta, qual é a diferença de haver mais do que um candidato “à esquerda”?
Se não houver, então há vantagens em cada um dizer claramente ao que vem, como e porquê.

Curioso do Mundo:
O Bilderberg é uma boa rampa de lançamento...

Anamar:
Estamos a precisar de ajuda... mas acho que não é da que ele pode dar.

Maria:
E mesmo na AMI, se começarem muitos a dizer cá para fora o que já corre por aí... e sobretudo, se isso tiver algum fundo de verdade...

Aristides:
Se for como numa boa parte das ONGs, dez por cento do esforço e financiamento resultará em votos... e os restante noventa, morrerão nas malhas do desperdício, bolsos particulares, etc., etc.


Abraços de lés a lés.

samuel disse...

LAM:
É pena... mas fazes bem, tal como tantos de nós. ☺ ☺

Méon:
É apenas mais uma das suas muitas faces políticas...

João Sequeira:
Bela escolha essa do Celaya e do Paço Ibañes! Canto essa cantiga sempre que há “ambiente”...

Miguel Jeri:
É isso!

Antuã (que tinha ficado para trás):
Se isto continua assim, vamos passar o dia todo a não votar... ☺ ☺


Abraços colectivos!

Carlos Machado Acabado disse...

Sem querer incorrer no 'pecado' da precipitação, começo a pensar se esta candadidatura não é um anti-climax relativamente a uma postura cívica aparentemente digna e respeitável que não mereceria, penso eu, a confusão que veio lançar naquilo que já é, "naturalmente" um verdadeiro pântano político com uns, como Soares, a gozarem o pratinho e outros como Cavaco a esfregarem as mãos de contentes com aquilo que só pode ser, por eles, entendido como uma espécie de cautela premiada, caída, de repente, do céu.
Por enquanto, é só uma ideia mas...