segunda-feira, 18 de julho de 2011

Barack Obama – Uma pequena carta




Diz você, Barack Obama, do alto da sua arrogância imperial e pretendendo disfarçar a gigantesca, incalculável... e, muito provavelmente, impagável dívida dos EUA, que os EUA não são Portugal. Está carregado de razão!
Deixando de lado umas tantas coisas muito boas que vocês por aí têm, quase todas no campo das artes e da ciência... e para as quais você não contribuiu com rigorosamente nada, na verdade os EUA não são Portugal.
- Portugal tem muitos séculos de História... não nasceu “ontem”.
- Portugal aboliu a escravatura cem anos antes dos EUA.
- Portugal não pratica a iníqua pena de morte, tendo a última execução conhecida, ocorrido há mais de 150 anos.
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, tem um Serviço Nacional de Saúde de que (ainda) se pode orgulhar.
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, ainda tem leis laborais com que a generalidade dos vossos trabalhadores só pode sonhar e uns poucos lutam para conseguir (sindicatos livres, segurança no trabalho, férias pagas, assistência na doença, etc., etc., etc.).
- Portugal, mesmo com tantas entorses provocadas pelos nossos indígenas adoradores dos EUA, ainda tem um sistema político plural.

- Portugal não pergunta aos que o visitam qual a sua ideologia, como condição para os deixar entrar.
- Portugal não promove nem financia o assassínio de dirigentes políticos estrangeiros.
- Portugal não promove, nem financia golpes de estado, para fazer substituir governos legítimos por ditaduras militares.
Na verdade, não fosse a vergonhosa subserviência de alguns, que permitiu a participação de militares portugueses em missões criminosas como as que foram levadas a cabo, por exemplo, no Iraque, para defender os vossos exclusivos interesses... e poderia dizer que Portugal, desde Abril de 1974, nunca mais tinha sido culpado da invasão, da opressão e do assassínio de outros povos... mesmo tendo contribuído para alguns destes crimes cometidos às vossas ordens, apenas com “meia dúzia” de soldados.
Poderia continuar a fazer crescer a lista das nossas diferenças, mas estas poucas linhas são mais do que suficientes para se constatar que, como você bem disse, os EUA não são Portugal.
          E ainda bem!

23 comentários:

Maria disse...

"dá-le" porra!
Excelente texto!

Abreijos.

salvoconduto disse...

Não te esqueças de por o selo na carta, não convém que se extravie.

Anónimo disse...

Se o tipo lesse isto, sentiria vergonha?
Duvido!!!

Obrigado pelo escrito.

Rui Silva

Anónimo disse...

Maravilha de texto! Como aquele sujeito merece estas e outras palavras porque NÓS sabemos quem quer que PORTUGAL passe a lixo!
Força amigo e chega-lhe e lhes forte e feio!
Saudações
Vicky

Eduardo Miguel Pereira disse...

Amigo Samuel, e se me permites :

- Em Portugal, e apesar das vossas ofensivas, continuamos a preferir um belo chouriço de porco preto e um copo de tinto Alentejano, em vez dessa mistela da Mcdonald's e da Coca Cola.

do Zambujal disse...

Obama à rasca, é o que é. O capitalismo financeirizado à rasca, é o que é.
Depois, dizem-se coisas destas.
Antigamente, os nossos antepassados sentenciavam que, às vezes, foge a boca para a verdade.
Agora, sobretudo em desespero, às vezes foge a boca para o que se pensa, ou para a asneira. Onde está a diferença?

Um abraço

Ana Martins disse...

Muito bom, como de costume. Boa lista, afinal, não é à toa que sou patriota, é em parte por ter uma pátria internacionalista :)

Abreijos

relogio.de.corda disse...

Eu subscrevo e assino também por baixo:E ainda bem bem!
Excelente artigo.

irlando disse...

Portugal,não está na lista dos criminosos de guerra.
Os EEUU encabeçam essa lista.

Graciete Rietsch disse...

Portugal não é Estados Unidos e ainda bem. Mas bom aluno relativamente à doutrina dos seus senhores ,ai isso é.

Um beijo.

Aristides Rodrigues disse...

Excelente! Era bom que muito indígena, dos que pululam nas TV's e que só vêem coisas boas nos EUA lessem isto. Mas,afinal, eles também o sabem.
Abraço!

António disse...

Enganou-se em duas coisas: Os EUA ainda não aboliram a pena de morte e Portugal condenou e executou um soldado em 1917(8?)por crime de guerra.
António Fonseca

samuel disse...

António Fonseca:

Desconhecia essa execução de que fala. Fica registada.
Quanto à abolição da pena de morte nos EUA... devolvo o "erro".
Onde diabo é que eu disse que a pena de morte foi abolida nos EUA?
Todos nos enganamos... :-)))

joão josé cardoso disse...

A pena de morte em teatro de guerra só foi abolida no século passado (não tenho a certeza, mas parece-me que só mesmo após Abril).
Há aí outra inexactidão, caro Samuel, a dos escravos: em termos coloniais não foi um século antes, até terá sido depois. Claro que nada disto tira a realidade ao essencial do texto...

samuel disse...

João José Cardoso:

Refería-me, no caso, à abolição "oficial" enquanto país... mas terá razão, claro.
Quanto à nossa vergonhosa insistência no "império" colonial... foi palco de todas as canalhices, mesmo dessa, daí eu ter colocado no texto a "fronteira" de Abril de 74.
Mas é como diz. Quanto ao essencial... apesar de todas as dificuldades (ainda) não tenho "vergonha" de ser português. Já se fosse cidadão dos EUA, pensando o mesmo que penso...

Zé Canhão disse...

Eu se fosse americano borrava a minha cara com merda.

Anónimo disse...

Portugal? O que eh isso?

Fernando Samuel disse...

Manda-lhe a carta, já!

Um abraço.

Anónimo disse...

Nem piores nem melhores, mas seguramente muito diferentes. Excelente texto, agora envie-o lá para a casa amarela, perdão branca, não é?

Anónimo disse...

Caros Samueles.
Enquanto Portugueses começámos por bater na mãe traindo-a, Roubando o norte de África (comida), vendendo escravos e roubando ouro e marfim (costa ocidental africana), roubando e mercantilizando os indianos e os negros da costa Oriental de África (ouro) perto de um milhão de quilos (lembram-se), espoliando os brasis, chulando a Ilha da Madeira (açúcar) traindo Timor (pois lembram-se, como já tinham traídos os povos de África e do Atlântico!!! Cabo verde, S. Tomé e Príncipe, Açores e Madeira, segundo reza a história eram desertas porquê só as dos pretos se tornaram independentes????? por igualdade!?!? Por aqui me fico, tenham vergonha pois se ainda temos algo onde chular, deve-se ao esforço e aos cadáveres de USA espalhados pela Europa e pelo mundo. O que eles deveriam fazer é protegerem-se e deixar que nos exterminemos. Imbecis.

Anónimo disse...

A liberdade obriga a publicar tambem os comentarios que não são salzarentamente seguidistas e subservientes!

samuel disse...

Anónimo (14:57):

Se gosta tanto dele... escreva-lhe a pedir um cérebro, em vez de escrever para aqui, pois daqui não leva nada... :-)))

Ah... e imbecil é a pata que o pôs!

samuel disse...

Anónimo (15:03):

Pois... e a inteligência aconselharia ter esperado um pouco, ante de fazer figura de parvo! :-)))

Ah... e publico estas duas brilhantes "dissertações" da sua autoria, porque quero.
Você não tem, nem o direito nem a "liberdade" de escrever aqui o que quer que seja. Isto não é um órgão de comunicação social, mas sim um blog privado.
Publico aqui apenas o que entendo dever publicar... e se lesse o blog... ou não fosse estúpido, veria que nem sempre os comentários são favoráveis.

E já agora... salazarenta era a pata que o pôs!!!

Passar bem!