sábado, 9 de julho de 2011

Câmara Municipal de Loures – Um negócio de família?


Provavelmente, haverá uma explicação clara, transparente e credível pra esta estória... mas, segundo o “DN”, que por sua vez pediu emprestada a notícia ao “Expresso”, o presidente da Câmara Municipal de Loures, o senhor Carlos Teixeira, que está à frente daquela autarquia há três mandatos defendendo as cores do PS, tem uma característica encantadora: é, sem sombra de dúvida, um homem de família!
Só isso explicaria o facto de já ter contratado para trabalharem ao seu lado na Câmara, a mulher, a filha, dois cunhados e, finalmente, a “nora”... por enquanto (ainda e só) namorada do filho, mas já no bom caminho para entrar oficialmente no negócio da família.
Sobre esta situação, o autarca teve uma frase lapidar: «Admito que possa parecer mal, mas não me pesa na consciência»... uma declaração fantástica, que me sugere dois comentários curtos.
1. “Admito que possa parecer mal...”
Dependendo de quem reparar... é bem possível.
2. “...mas não me pesa na consciência.”
Isso é evidente e indiscutível! Que diabo... o homem não pode ter tudo... e ainda bem, porque o “peso”, por mais leve que fosse, dar-lhe-ia cabo da “consciência”, que deve ser frágil.


20 comentários:

Anónimo disse...

Tirou o curso com o Nobre "presidente da AR".
Vitor sarilhos

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Certamente que o presidente de Câmara em questão não sabe o que é "...parecer mal..." e "...consciência...". Amigos, quando se age em consciência e seguindo todos os preceitos legais, o que é que pode "parecer" mal?.

JP disse...

O tipo da CM de Grândola afirmou algo parecido quando nomeou o filho para adjunto. E o que dizer da CM de Odemira onde prolifera o apelido Guerreiro em toda a da estrutura? Curiosamente tudo municípios liderados pelo PS...

Anónimo disse...

Mas isto é só a ponto do iceberg, há 2 coisas que se tem que ter para cargos dirigentes na CMLoures e no Serviços municipalizados de Loures , ou ser familiar do Sr. carlos Teixeira ou ter estado nos Pupilos do exercito ,por isso aquilo é a podridão de que se sabe ,bem e se investigarem as relações do administradores …ainda é pior.

Beatriz Cunha disse...

Não lhe pesa na consciência porque esta já morreu há muito tempo.

Anónimo disse...

A consciência desta gente é e palha...sempre que passa um burro, este, come-a!

Luis Filipe Gomes disse...

Muito tem desenvolvido Loures o Senhor Persidente. Depois dele não haverá mais saloiadas em Loures. Nos terrenos mais férteis do Concelho já lá cantam um parque urbano de cimento e alcatrão, um mega-Shoping do Senhor Belmiro do Azevedo, e muitos prédios numa coisa chamada urbanização do Infantado.
Quais legumes, quais frutas quais quê deixem-se de saloiíces, deixem a agricultura para os países que sabem produzir grande, inodoro e sem sabor. Não há fruta como aquela que vem de longe e é verde como as notas de dólar.

Antuã disse...

Como lhe pode pesar uma coisa que ele não tem?!...

Fernando Samuel disse...

E por que raio é que a consciência havia de pesar ao homem?: afinal ele é, acima de tudo, um consciente chefe de família...

Um abraço.

Maria disse...

Deste homem já é de esperar tudo. Deste e de outros parecidos com ele.

Abreijo.

pedro santairia disse...

E eu que sou saloio, sinto vergonha por ter um presidente de Camara deste calibre!E aqui no concelho tivemos Presidentes de Câmara que trabalharam para as populações do meu concelho. Com ética e transparência. Estou a falar do Saudoso e inesquecível Severiano Falcão.

Anónimo disse...

A Câmara Municipal de Loures é como a mitra cabe sempre mais um!!!
O pior dos piores é que nem sempre esse "um" é um profissional em todo o sentido da palavra.
Com conhecimento de causa há um Sr. Advogado da referida Câmara que tem pertido todas as causas, ou quase todas as acções em tribunal. A instituição foi advertida de tal, mas devido ao compadrio o referido causídico continua a exercer sem que nada lhe tenha acontecido, e claro está a continua a perder todas as causas.
Assim a Câmara Municipal de Loures não tem dinheiro para investir em melhoramentos a bem dos munícipes, pagando indecorosos vencimentos.

Anónimo disse...

Atenção, que quem avançou com a Urbanização do Infantado foi um presidente de outra cor politica.

Aliás Loures, tem tido muito azar com os Presidentes de Camara , que lhe têm saído na rifa.

Manuel disse...

Curisosos os vossos comentarios...

Eu nao conheço o Presidente da Camara, mas ajudem-me...

Se voces forem empresários e se precisarem de uma telefonista qual das opções preferem?

1 - Contratar uma telefonista que procure emprego?

2 - contratar alguem de confiança plena, pela qual nutrem carinho, amizade e amor e QUE TAMBEM ANDA A PROCURAR TRABALHO?

Agora digam-me voces... O que vos diz a vossa consciencia?

samuel disse...

Manuel:

Diz-me, não só a consciência, como a inteligência e a vergonha na cara, que uma Câmara Municipal não é uma empresa familiar e muito menos é propriedade do presidente.

Mas se o amigo não consegue distinguir a diferença... não me parece que valha sequer a pena argumentar.

Manuel disse...

As empresas, publicas ou privadas, necessitam de Colaboradores que sirvam a causa, que acrescentem valor! Sejam eles familiares ou totais desconhecidos.

O critério valorativo terá sempre de ser a produtividade, a responsabilidade, o empenho e o valor que cada trabalhador tem.

Agora se o funcionário é familiar ou se é de outra raça em nada tem que ver com o busilis de trabalhar numa instituição, repito, publica ou privada.

Em todos estes comentários, ou até mesmo no que foi noticiado e que eu tive oportunidade de ver, nunca foi posta em causa a produtividade dos referidos "familiares".

Estamos portanto a misturar dois conceitos:
1 - Ha trabalhadores que sao "familiares" de um presidente. Se trabalharem como os outros e se merecerem la estar, entao SAO IGUAIS AOS OUTROS porque cumprem as suas funções profissionais.

2 - Ha trabalhadores que são familiares de um presidente. Se nao trabalharem como os outros, deverão sair, como todos os outros que saem por nao acrescentar valor à entidade patronal.

Numa total ausencia de argumentos e factos relativos à produtividade dos referidos colaboradores, tudo me leva a crer que estamos perante mais uma noticia premiada com toda a ética moral e tecnica, da comunicação social, tambem denominda vulgarmente pelo "dizer mal porque se tem que dizer alguma coisa..."

samuel disse...

Manuel:

Portanto é exactamente como disse antes: não vale a pena argumentar.

Seja como for, os meus parabéns! É raro ver alguém chegar-se à frente e defender, com tanta convicção, o compadrio, o nepotismo, o tráfico de influências…
Espantoso! :-)))

Manuel disse...

Aceite a minha opinião apenas como uma mera opinião de quem nao tem qualquer vinculo politico, muito menos interesse no que quer que tenha que ver com a Politica.

Sem qualquer malicia, maldade ou até presunção, permita-me a opinião:

Nao deixo de reparar que existe sempre uma oposição que "diz mal porque que tem que dizer mal"

Se nao ha espaços verdes é porque nao ha espaços verdes, mas se se constroem espaços verdes, a oposição contrapoe e diz; ok agora ha espaços verdes, mas os bancos de jardim sao desconfortaveis"

Temos sim de criticar o que está mal, mas essencialmente temos de acarinhar o que está bem, incentivar, apoiar, motivar.

Continuo na minha humildade a pedir perdão por quem possa interpretar as minhas palavras com maldade, mas ajudem-me!

Maria disse:
"Deste homem já é de esperar tudo. Deste e de outros parecidos com ele."

Isto quer dizer o que? A minha interpretação é simples: Quis dizer qualquer coisa, esta senhora olhou para o seu artigo e limitou-se a escrever qualquer coisa.

Mais acima lê-se, sumariamente "deram cabo dos terrenos ferteis e o Sr. Presidente levantou um Shopping", porque supostamente seria favorecido com isso.

Das poucas vezes que frequentei esse estabelecimente comercial, estava literalmente cheio. Mas entao voltamos à historia do "banco do jardim" Se não ha espaços comerciais é porque nao ha espaços comerciais" mas se se ergue um centro comercial, entao, coitado do terreno fertil que desapareceu. Provavelmente o shopping terá trazido muito mais satisfação ao LEITOR que elaborou esse comentário do que o dito "terreno fertil". Mas se temos que dizer alguma coisa, entao vamos dizer alguma coisa.

Eu sou um empresario de uma PME e se a minha opiniao, que nesta matéria ja é alguma, servir para algum esclarecimento, se eu precisar de colocar alguem na minha empresa e se tiver algum familiar que:
1) tenha os requesitos necessários para a função
2) Estaja desempregado.

Possovos garantir que será com toda a satisfação que tirarei um familiar meu do desemprego e é com todo o prazer que o terei a trabalhar para mim, junto de mim, DESDE que cumpra as suas funçõe profissionais.

Perdoem a minha extensa opiniao. Gostaria de saber a vossa.

samuel disse...

Porra! O Manuel acredita mesmo nessa droga que diz… ou está fazer-se desentendido e a tentar (ingloriamente, diga-se) gozar com as tropas?

Uma Câmara Municipal é um órgão do Estado, com dirigentes ELEITOS e cujos trabalhadores são Funcionários Públicos.

Uma Câmara Municipal não é a sua bendita PME, onde o meu amigo é livre de pôr a trabalhar a mulher, os filhos, primos e primas, a amante… e até o gato da vizinha.

Uma Câmara Municipal NÂO é uma empresa privada E NÃO PERTENCE AO PRESIDENTE DA CÂMARA.

PS:
1. Porque cargas de água é que há-de achar que a comentadora (Maria) que disse que daquele homem "já é de esperar tudo", o disse por ser uma imbecil e querer "escrever qualquer coisa"… e não porque conhece o referido presidente?
Se é assim sempre, arrogante, desejo muita sorte aos pobres "familiares" que tiverem que trabalhar para si, para sobreviver… suportando o seu tão esclarecido "amor e carinho".

2. Porque cargas de água é que o facto de o "referido estabelecimento comercial" estar ou não estar cheio, altera possibilidade de ter, ou não ter, existido cambalacho (não digo que houve! Não sei!) nos negócios dos terrenos e da eterna e antiga transformação milagrosa (e tão lucrativa) de terrenos agrícolas em terrenos aptos para a construção de imóveis? Para si, está cheio… é bom! E pronto!

Fim de "discussão", pois se até agora não entendeu…


Cumprimentos.

Petinga Frita disse...

O homem disse que tinha a consciência tranquila, mas o que queria mesmo dizer era que não tinha vergonha nenhuma....