quarta-feira, 20 de julho de 2011

BPN – Não há limites...


Como parece não haver limites para o saque de que todos estamos a ser vítimas, tudo indica que o BPN, o antro dos amigos cavaquistas mais dados à roubalheira, irá ser vendido à pressão, logo, ao desbarato.
O hipotético comprador que está mais bem colocado na primeira fila é o BIC, banco angolano de que é proprietária a espertalhona herdeira do Presidente de Angola. Parece – imagino eu – que o facto de o BPN estar conspurcado de alto a baixo pelas estórias de corrupção e roubos que se conhecem, não amedrontam a intrépida Isabel dos Santos nem os seus sócios... antes constitui uma espécie de “tempero” extra que torna o negócio mais apetecível.
O homem de mão de Isabel dos Santos em Portugal, ex-ministro de Cavaco e agora presidente executivo do BIC, Mira Amaral, já declarou (por entre a habitual nuvem de perdigotos) que, a dar-se o caso de ficarem com o BPN, a Caixa Geral de Depósitos, logo, o Estado português, terá que, ainda durante bastante tempo, continuar a injetar ali mais alguns milhões, financiando os negócios do BIC e do BPN... pois como já disse, parece não haver limites para o saque de que todos estamos a ser vítimas.
Diz também o cavacal gestor Mira Amaral, que estará garantida «uma redução no número de balcões e de colaboradores»… o que me sugere uma reflexão:
Se isto fosse uma espécie de “Olimpo”, atascado em deuses, e se existisse um “Deus” específico para os assalariados, de cada vez que um destes canalhas dissesse a palavra “colaboradores” quando se está a referir a trabalhadores que vivem exclusivamente da sua força de trabalho… desceria qualquer coisa dos céus, que os deixaria de dentes partidos.
Infelizmente… a mitologia não passa disso mesmo.

15 comentários:

Fernando Samuel disse...

Os dentes e, já agora, mais qualquer coisinha...

Um abraço.

trepadeira disse...

Prefiro acreditar no povo:
"A roda tanto anda até que desanda".
Só que está a demorar muito tempo.

Um abraço,
mário

joão l.henrique disse...

O Amaral dos perdigotos (pastor da bíblia cavacal), cada vez que abre a boca, mete nojo.

Um abraço.

José Costa disse...

"Que os deixaria de dentes partidos!"
Cornos, meu amigo, os cornos!

Paulo Anacleto disse...

A herdeira do presidente merecia melhor eufemismo. Espertalhona é pouco e suave. E os de cá são o quê? Espertalhões ou ladrões?

Graciete Rietsch disse...

Pobre Angola!!!!
Grandes corruptos os sucessores de Agostinho Neto, que deveriam venerá-lo.
E pobres de nós que estamos desgovernados por outros corruptos!!!

Um beijo

Maria disse...

Entre dentes e cornos o que eu acho é que 'eles "andem" organizados faz tempo'...

Abreijo.

Antuã disse...

O Mira Amaral e seus cúmplices precisam de mais coisas partidas que os dentes e os cornos.

julio disse...

estava para fazer uma proposta pelo banco de 1 euro mas quando vi a concorrencia, vi logo que não tinha hipoteses. A concorrencia era forte!

Anónimo disse...

Povo cobarde este, sempre a levar na cornadura e sempre a beijar o c.. a esta gente...PORRA, ACORDEM GENTE DO MEU PAÍS. A corja é que está a mais, toca a levantar e a partir os cornos a estes cabrões. Roubam-nos e ainda se gabam que diacho...!!!??

Pereira Campos disse...

Amigos, olhando em profundidade todos os comentários, verifico que estão muito nervosos, pela corrupção desenfreada que grassa em Angola e em Portugal.
Verdadeiramente, quem não fez já a sua corrupçãozinha?
Se, de tudo fossem prestadas contas ao Estado, muito mais dinheiro teria sido gasto pelos Politicos que nem a casa deles sabem governar.
A corrupção, desde que controlada, consta-se que na Europa rondará os 20 a 25%, acaba por ser benéfica às economias regionais.
Mas eu analiso tudo por outro prisma.
Regressemos à História:
Norton de Matos quis que a nossa capital, Lisboa, deixasse de o ser e passasse a ser, a capital do Império, a cidade de Nova Lisboa em Angola.
Agora como vingança futura, Angola, vai adquirindo progressivamente e com muits descrição, tudo o que é Português. Primeiro compra os Politicos.
Depois compra os bens de valor.(Banca, E.D.P., Universidades, as
mentalidades portuguesas e...)
Por Final realiza o sonho de Norton de Matos, revertido aos interesses Angolanos, ou seja, transfere a capital de Angola para Lisboa, continental).
Depois, passaremos todos a ser, não colaboradores, mas sim escravos angolanos para onde seremos deportados, como vingança final.
Este Povo que abra os olhos.
Por fim, o azar dos Angolanos, sendo tantos em numero como os Portugueses, felizmente, apenas tem tido o poder que o dinheiro lhes dá, porque no resto eles terão de se haver com os verdadeiros Portugueses, hoje adormecidos, mas que no passado deram cartas ao mundo e de que maneira, meus Amigos.
(Nem Romanos, Mouros, Alanos, Celtas, Iberos, e por fim Napoleão, conseguiram cá entrar, quanto mais Angolanos). Se vierem por bem, serão nossos hóspedes e beneficiaremos com isso, caso contrário, lembrem-se que, se tivermos de comer erva, comê-la-emos.
Eles que se cuidem.

samuel disse...

Pereira Campos:

Presumo que não tenha entendido lá muito bem a intenção do post.
Este meu post não é contra os angolanos, nem contra Angola; é contra os corruptos de lá e de cá e contra a "venda" dos interesses dos povos.
Não é um post xenófobo!
É anti-capitalista!

Anónimo disse...

Senhor SAMUEL.
Entendi o que transcreveu na sua mensagem. Não sou, nunca fui nem serei "xenófobo".
Fiz o serviço militar em Angola e posso afirmar que lá criei alguns dos meus maiores e sinceros amigos quase todos de cor.
O que quero transmitir é tão só o que o poder do dinheiro pode ou poderá fazer, nas mãos daqueles que muitos, sem os apontar, consideram corruptos.
Com o poder financeiro e com a pobreza do comum do cidadão, este sujeita-se a tudo, infelizmente.
Os que, com os ganhos resultantes da corrupção, assumem lugares cimeiros da economia, é que poderão vir a ter comportamentos xefobos recalcados, como os que se verificaram, través de realidade e de artigos publicados, logo após a independência e a ida para Angola do famosissimo, (pela negativa) Rosa Coutinho.
Para terminar, se fui mal interpretado, apresento as minhas desculpas, pois não é, nem foi minha intenção, ofender quem quer que seja, muito menos o Povo Angolano. Tenho grandes recordações de Amizade com esse POVO.

samuel disse...

Anónimo (21:46):

Pronto... fica esclarecido.
Folgo em saber que tem muitos amigos "de cor"...
Como também tenho alguns... que sabe não teremos para a troca?...
Conheci agora há dias dois fantásticos, todos às riscas azuis e amarelas... :-))) :-)))

MGHORTA disse...

Mais um saque ao zé, e vamos sorrindo como crianças... :(((