quarta-feira, 7 de março de 2012

Para a próxima, seria bom levantar o rabo da cadeira, em Lisboa... e ir ver e perguntar!



(Auto da Criação do Mundo - CENDREV - Centro Dramático de Évora.   Foto: Paulo Nuno Silva)

Numa gala promovida pela Sociedade Portuguesa de Autores, recentemente transmitida pela RTP, entre muitos e certamente merecidos prémios, foi entregue o Prémio para a Melhor Programação Cultural Autárquica.
Ideia fantástica! As autarquias e os seus vereadores da Cultura, bem necessitam de um incentivo extra, para continuarem a sua luta por, cada vez com meios mais escassos, continuarem a ser, muitas vezes, os únicos produtores e contratadores de produtos culturais de qualidade em vastas zonas do país.
Depois vieram os nomes dos premiados. Duas Câmaras, ex aequo. Coimbra e Évora.
Sobre Coimbra não sei nada. Sobre Évora...
Bem, sobre Évora, se por acaso forem dados a rir-se de coisas tristes, a esta hora ainda os presidentes de Câmara mais os vereadores e vereadoras da Cultura de toda a região, não largaram a barriga e não pararam de rebolar-se no chão. Eu sei que ri muito...
Quem viver à volta de Évora e ouvir diariamente os eborenses, jovens e menos jovens, desta e daquela cor política, lamentando “não haver nada” na sua bela cidade, muitas vezes, quando confrontados com as programações culturais de municípios vizinhos muito mais pequenos... “nada, nem uma salita de cinema”... “e o que se faz localmente é à custa de carolice ou de muita teimosia”... também deve estar a pensar que aquela coisa na televisão foi um lapso.
Já não um lapso, mas sim falta de vergonha, foi o facto de no filmezinho exemplificativo da grande programação cultural autárquica de Évora (que deve ter sido “produzido” pela Câmara), terem incluído imagens e nomes de realidades culturais que não passaram de promessas, ou de produtos e projetos que existindo, lutam pela sobrevivência, esmagados exactamente pela falta dos apoios devidos pela autarquia agora tão vistosamente premiada.
Mas pronto... a cerimónia foi bonita e o vestido da apresentadora foi, certamente, muito apreciado.

13 comentários:

Maria disse...

Demolidor!
:)))

Abreijo.

moi chéri disse...

A este post sobre vergonhas, posso apenas acrescentar as dívidas e as desonestidades que por lá se passam... A CME deve ainda parte do ano de 2009 às entidades culturais. No ano de 2010 não pagou um centavo. Falta pagar o ano de 2011 e abriu um novo concurso para projectos a desenvolver este ano. E ganha um prémio por desrespeitar de forma assustadora as entidades e os criadores da cidade.

Graciete Rietsch disse...

Não vi, mas conheça as potencialidades de Évora,pois já lá assisti a um maravilhoso esptáculo de música, cor e luz numa noite de verão, junto ao templo de Diana, no tempo do Presidente da Câmara,Abílio Fernandes.

Um beijo.

António Medon disse...

Está na hora de haver um projecto novo para a Câmara de Évora. Eu estou disponível...

trepadeira disse...

Pois,mas mesmo que vão ver,o que lhe poderia fazer muito bem,continuarão a fazer o mesmo,ignorar quem não os serve e de quem se não conseguem servir.

Um abraço,
mário

maia disse...

A presença do Dr. Soares!
Os vestidos da apresendora! Feitos por costureiros portugueses! Não, não. Criadores de moda, criadores. Vai daí, criadores, criação e a "Criação do Mundo" ficava ali bem. A cultura é uma coisa muito lata, Samuel, sendo que lata é mesmo o que não lhes falta!
Sempre atento, Samuel.

Provoca-me disse...

Lata por terem homenageado um miserável, traidor, criminoso e esbanjador Mário Soares. E não devem ter sido casos únicos naquela noite, pois não camarada? A proposta do Cinema agrada-lhe? Que a Rita Blanco defendeu com tanto vigor e pujança.

E desejo as melhoras a estes gajos se aproveitam do trabalho dos outros.

Carlos Gomes disse...

Vejam lá se utilizam outros argumentos, "miserável e traidor" lembra-me os velhos tempos do Fascismo,eles usavam estes termos com a mesma intensidade.Vejam Lá .

samuel disse...

Carlos Gomes:

Não fui eu que escrevi... mas ainda assim, tratando-se do inenarrável Soares...
É que sobre uma pessoa que vendeu o país e a Revolução de Abril (mais a sua própria carcassa) à CIA do seu amigo Carlucci... sei lá... em dias de menor pachorra, é bem provável que os termos "miserável e traidor" possam ocorrer... veja lá.

Provoca-me disse...

Fui eu que escrevi. Chamo-me Pedro Marques, e sim ele é um traidor, e sim ele gastou dinheiro que não era dele, e a Câmara Municipal de Leiria dá-lhe uma fortuna para o ajudar na casa Museu Soares. Vejam lá coitadinho depois do que roubou ainda precisa de ajuda. Pos-se a jeito para levar porrada. Inventou umas quantas candidaturas para roubar votos à esquerda. E depois não se pode dizer que é traidor e miserável. Abra os olhos que ainda vai a tempo.

Antuã disse...

Se queres ser um imbecil o que é preciso é soares.

Carlos Gomes disse...

O pior imbecil é o que não consegue ver,está toldado pela propaganda,pelo oposto, por radicalismos ideológicos.
Esses sim são miseráveis e traidores.
A sua consciência é um poço sem fundo.Falta pouco para se ler aqui que o Soares entregou as "Provincias"
E entre a amizade do Carluci e a do Embaixador da URSS,o Soares escolheu o lado certo,como o futuro demonstrou.

samuel disse...

Carlos Gomes:

"...escolheu o lado certo, como o futuro demonstrou."

Presumo que esteja a referir-se a este "futuro" miserável em que estamos, onde Soares e os seus subprodutos nos trouxeram...

Parvalhão!