sábado, 17 de março de 2012

Oli Rehn – Quem fala assim...


O senhor Oli Rehn é um indivíduo redondinho e finlandês que, por força das suas funções na máquina antidemocrática europeia, passa a vida a meter o bedelho nos assuntos internos dos países da chamada União, mais propriamente, nos assuntos económicos. Fala quase sempre em inglês (chamemos-lhe assim) e com uma pronúncia hilariantemente patética.
Seja como for, o facto de se falar uma língua estrangeira com uma pronúncia patética, não faz do falante um pateta. A ser assim, se pensarmos nas pronúncias de “inglês técnico” e “portunhol” de Sócrates, ou do francês “ami miterã” de Mário Soares, estes dois figurões seriam pouco mais do que débeis mentais... coisa que estão longe de ser. Tal como o senhor Oli Rehn.
No meio de tudo isto, estava eu a pensar o que dizer exactamente do facto do comissário europeu ter declarado que as medidas de austeridade gozam de um alargado «consenso» em Portugal (o que me leva a crer que o homem estava extremamente distraído quando falou com a CGTP)... quando um golpe do acaso veio em meu socorro na forma de um fortuito alinhamento no agregador de notícias do “Google”, como se pode ver na “fotografia” que lhe tirei.
De facto, a notícia do «regozijo» do senhor Rehn com o resultado das medidas de “austeritarismo” impostas aos portugueses, logo seguida da notícia do verdadeiro descalabro social que elas provocam, de que a brutal quebra dos salários é apenas uma pequena parcela... dispensam quaisquer comentários sobre Oli Rehn, a “troika”, o governo de vendidos que nos desgoverna... e a qualidade de qualquer uma das suas declarações ou previsões.

5 comentários:

Carolina disse...

Esse sujeito é insuportável com uma pronúncia insuportável. E o facto de ter citado Fernando Pessoa foi demais. O quê? Ele alguma vez leu algo de Pessoa? Que senhor culto! Fiquei mesmo comovida.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Retenho da visita do dito senhor a Portugal, a exagerada propaganda em directo, e em diferido e bastas vezes repetida. No tocante à austeridade ele que vá "mandar directivas" para onde veio. Rigorosamente é "gentinha" que não sabe o que é viver em dificuldades, e ainda por cima opina sobre como os outros devem cumprir...metas, quando foram eles que puseram o Mundo e nomeadamente a Europa de pantanas, e agora querem aparecer como os "salvadores da pátria".
Vão dar uma..."curva".

Graciete Rietsch disse...

É muito triste regozijar-se com o galopante aumento da pobreza em Portugal.

Um beijo.

trepadeira disse...

Redondinho?a besta é mais quadrada.

Um abraço,
mário

Provoca-me disse...

Um isqueiro e gasolina faziam milagres.