terça-feira, 11 de setembro de 2012

Experimentalismo e fascismo económico – As cobaias podem revoltar-se...


Um leitor/comentador do post anterior, pôs o dedo numa ferida interessante, dando a sua opinião sobre a motivação de muitos dos que agora se insurgem contra as medidas de Passos Coelho. É uma bela questão!
Na verdade, gostaria muito de saber quantos destes novos “indignados” com a monstruosidade, falta de sensibilidade social, falta de conhecimentos e preparação, ataque brutal aos trabalhadores, etc., etc., várias das classificações que encontram para esta inegável selvajaria do governo de fanáticos do PSD/CDS, quantos desses, como dizia, gesticulam agora contra o governo por uma qualquer e real convicção social ou sentido de justiça, ou se o fazem apenas por simples cobardia, para de distanciarem dos “culpados”, caso este evidente excesso dos canalhas que detêm o poder, gere reacções mais duras da parte dos explorados e roubados.
Esta espécie de experimentalismo económico neoliberal, que ignora em absoluto quaisquer consequências que as suas experiências tenham na vida das “cobaias”, não pode deixar de lembrar as experiências “a bem da ciência” que o monstro nazi Josef Mengele fazia com os prisioneiros dos campos de concentração. A natureza abjecta e criminosa deste tipo de “política experimental” é de tal maneira odiosa, que não admira que os mais cobardes de entre eles queiram juntar-se ao imenso coro de protestos para, numa possível hora de aflição, poderem lembrar: nós também fomos contra!
Apostam, no fundo, na nossa atávica falta de memória, que mais uma vez deixaria de fora e impunes, os responsáveis pelo conjunto de políticas que nos trouxeram até este pântano fétido e, ao longo de décadas, criaram os “Passos”, os “Gaspares”, os “Borges”, os “Relvas” deste mundo.
Entretanto, Passos Coelho, no papel de “amigo” e assinando apenas como “Pedro”, vendo que o seu “desgosto” via facebook, em vez de lhe granjear simpatias, acicatou ainda mais a ira e o nojo que já provoca a largos milhões de portugueses, decidiu encomendar uma “genial solução” para o problema: uma espécie de manual de “língua de pau”, em que se alinham as respostas com que os funcionários devem contornar as perguntas inconvenientes de jornalistas e cidadãos em geral. Mais uma vez, o governo aposta em tomar todo o país por um bando de débeis mentais.
Numa nota final, referir que no meio de tantas dúvidas sobre quanto se perde, quem mais perde, ou o que se ganha com estas medidas; sobre tantas dúvidas sobre se um único posto de trabalho vai ser criado com esta desavergonhada falácia... pelo menos já se sabe quem vai ganhar milhões numa espécie de “jackpot” inesperado e sem obrigações:
As grandes empresas, que terão por esta via um “presente” de muitos milhões, com a SONAE do mega-merceeiro Belmiro de Azevedo e o seu “Continente” à cabeça, esfregando as mãos perante os cerca de 20 milhões de euros de “prémio”.

5 comentários:

castrantonio disse...

Isto vai mudar sim... mas para pior.
Basta ler com atenção este post e ver para onde vai o "dindin" com as novas reformas...
E tem outra coisas que já não me surpreende, mais logo, em Braga, o estádio já está cheio...
O resto é paisagem... digo eu!

Ana disse...

Revoltam-se agora... Lixam tudo depois porque não levam a revolta até ao voto. Porque chegam lá ao dia e não "conseguem" escrever a cruz à frente de outro que nunca lá tenha estado. Doze, foram doze se a memória não me falha as opções de voto nas últimas legislativas. Pois fizeram sentar no parlamento os que nestes 36 anos têm lixado tudo: PS/PSD/CDS-PP.
São cobardes, isso são! E outras mais coisas serão também!

trepadeira disse...

Quando um maluco mal intencionado se põe a fazer experiências ou se expulsa do laboratório,ou se fecha lá dentro sozinho para que a experiência lhe expluda nas ventas bentas.

Um abraço,
mário

Antuã disse...

Qual desacordo qual quê!... É apenas fogo de vista.

Carlos Costa disse...

Muitos receiam ver-se colados à velhacaria deste governo e negam a pés juntos ter contribuído para eleger a coligação PSD/CDS-PP. Isto lembra-me o comentário jocoso da funcionária de uma casa onde costumo comprar café de saco, a propósito de vários clientes: "Sabes uma coisa? Logo a seguir às eleições assumiam, todos orgulhosos. Agora, ninguém votou PSD ou PP... Sumiram todos como fumo!"

Abraço