quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Maria Teresa Horta – Os artistas, esses “gandas” malucos!



Hoje é dia de artistas aqui na casa. A seguir ao adeus à tão simpática figura do Luiz Goes, calha a vez à poeta Maria Teresa Horta... só que esta está bem viva!

Tão viva, que apesar do justificado orgulho por lhe ser atribuído um prémio literário e do respeito e amizade que nutre pelos seus pares, membros do júri, que lho atribuíram... recusa-se a receber o prémio, dado que ele seria entregue por Passos Coelho.

Sem mais comentários... levanto-me e aplaudo!

Afasto de ti com
raiva surda

o corpo
as mãos
o pensamento

e apago secreta
uma a uma
as velas acesas do teu vento

liberta ponho o corpo
em seu lugar
visto a cidade
penteio um rio sedento

penso que ganho
e fujo
e não entendo

penso que durmo
mas não consigo
o tempo

E cede-se o vazio
sobre o meu ventre

e segue-se a saudade
em seu sustento

E digo este meu vício
dos teus olhos
de um verde tão lento
muito lento

Se penso que te deixo
já te quero

Se penso que recuso
já te anseio

Se penso que te odeio
já te espero

e torno a oferecer-te
o que receio

Se penso que me calo
já te grito

Se penso que me escondo
já me ofereço

Se penso que não sinto
é porque minto

Se penso que me olhas
já estremeço

(Maria Teresa Horta - “Minha Senhora de Mim”,1971)

19 comentários:

Maria disse...

Este livro tem tantos anos....
A capa do meu deve estar igual :)
E já agora estranho seria se a MTH aceitasse receber o prémio das mãos de semelhante criatura...

Abreijos

Camolas disse...

Foi sempre uma mulher muito à frente. Grande poetisa!
Longa vida á Teresa Horta!

Justine disse...

Mulher coerente e fiel aos seus princípios! Aplaudo contigo.

ferroadas disse...

Mulher coragem e sempre coerente.



Adriana Dias disse...

Valente!

lino disse...

Grande atitude!
Abraço

Domingos da Mota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Domingos da Mota disse...

Uma atitude exemplar, a de Maria Teresa Horta.

Desse belo livro, publiquei no blogue A Espessura do Tempo, o poema PONTO DE HONRA.

trepadeira disse...

"Afasto de ti com raiva surda,o corpo,as mãos,o pensamento".

Te arrenego coelho.

Um abraço,
mário

Joaquim da Ervilha disse...

É uma mulher com eles no sítio!

Antuã disse...

Há sempre alguém que diz não.

João de Sousa Teixeira disse...

Aplaudo também. De pé!

Abraço

Tétisq disse...

Uma grande mulher!

Anónimo disse...

Uma mulher CORAGEM.
Vicky

Luis Filipe Gomes disse...

Acho que Maria Teresa Horta precia de ser cantada e dita e lida e relida e divulgada e divulgada. E já agora comprar e ler o livro que mereceu o prémio oferecê-lo de presente agora, pelos anos, pelo Natal e pelo Ano Novo... Chama-se "As Luzes de Leonor" é obra séria tomou treze anos de investigação e escrita a MTH e debruça-se sobre uma figura grande da História; a de Portugal, a da Europa e mesmo do Mundo.
De Maria Teresa Horta o que importa relevar não é o que ela recusa; o que é importante é o que ela afirma!

Bolota disse...

Em Baleizão diz-se: Mulher de colhões.

Coisa que a muitos homens escasseia. Mais uma mão cheia de mulheres destas e estavamos safos.

Abraços

maia disse...

"Minha Senhora de Mim". Grande Poetisa, grande MULHER. Parabéns. Emocionada, levanto-me, para agradecer a esta grande MULHER o que é a palavra DIGNIDADE. Sem mais palavras, mas por Ela, pela coerência, confiamos que o mundo tem outros caminhos. Obrigada Maria Teresa.
Obrigada ao Cantigueiro, por estar atento e pela coerência

Carolina disse...

Aplaudo de pé a dignidade e a coragem desta Senhora!!!

Anónimo disse...

Aplaudo de pé!
Dignidade, coerencia
(nunca são perdoados...)
HD