quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Governo Passos/Portas - Prioridades


Já todos vimos mais do que uma vez, pequenas lojas com “cartazes” escritos à mão com os avisos “multibanco avariado”, ou “multibanco temporariamente fora de serviço”. Aposto que quase sempre não há avaria de espécie nenhuma, sendo aquela a única forma que o pequeno comerciante encontra para aliviar o aperto do “garrote” com que os bancos estrangulam o pequeno comércio, tal é o peso das “taxas” que cobram por cada transacção feita através da maquininha. Com estas periódicas “avarias” evitam também desistir definitivamente do serviço, o que afastaria alguns clientes já totalmente dependentes do dinheiro de plástico.
Ah... mas o “deus” do dinheiro não dorme! Alegando que se trata de uma medida para despistar e evitar fugas ao fisco, uma vez que os bancos informam a autoridade tributária sobre os movimentos das contas dos seus clientes, aí está a ameaça oficial e sem apelo mas com agravo, de que os empresários que desistam do multibanco... serão os primeiros a sofrer inspecções do fisco.
E que diabo havia de me dar para pensar... atacado por um dos meus surtos de mau feitio?! Exactamente que isto, apesar da “justificação” apresentada, não passa de, mais uma vez, colocar a máquina do Estado ao serviço dos interesses dos banqueiros!
Nunca falha! O Governo escolhe sempre “o lado certo” da barricada: defender os ricos!


8 comentários:

Provoca-me disse...

Ai tanta asneirinha que me passou agora pela cabeça.

trepadeira disse...

É mesmo mau feitio,o meu também,nasci assim,degenerado.

Um abraço,
mário

Jose Rodrigues disse...

(...)defender os ricos, para que eles não corram riscos.


Abraço

caracois dourados disse...

E além disso é mais uma maneira de reter o dinheiro e de empobrecer mais ainda as pessoas.
Por exemplo se eu tiver 8 euros na conta não posso levantar porque o minimo de levantamento é de 10 euros, e com as taxas e esta medida nova do pingo doce de só pagar com multibanco a partir de 20 euros, também fico impedida de fazer pagamento com o cartão, ou seja tenho que me dirigir ao banco para levantar os meus 8 euros. Se o deslocamento implicar transportes ou mais uma taxa qualquer por deixar a conta a zero, mais vale deixar os 8 euros para o banco...
Isto tem mesmo que mudar de rumo!

Antuã disse...

O roubo é uma instituição.

Anónimo disse...

lá vai o gajo do pingo doce ser fiscalizado. chatice...

Graciete Rietsch disse...

De acordo. Prioridades, defender os ricos e atacar os pobres, tornando-os cada vz mais pobres.

Um beijo.

do Zambujal disse...

... e, às vezes, dando barracada por tão do lado da barricada estarem,

Um abraço