quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Beatriz Talegón – Assim não vai longe...


Já que este vídeo se tornou “viral”, como agora se diz... não vejo razão para ficar imune ao vírus. Sendo assim, resolvi também partilhar este inusitado discurso.
“Surpreende-me muito como pretendemos fazer mexer a revolução a partir de um hotel de cinco estrelas, em Cascais, chegando em carros de luxo. Pergunto-me, na verdade, se podemos dar uma resposta aos cidadãos, quando vós, dirigentes políticos, lhes dizeis que os entendemos e que sofremos com eles porque somos socialistas. Será que, na verdade, sentimos essa dor aqui dentro? Será que, na verdade, podemos entender o que estamos pedindo ao mundo... a partir de um hotel de cinco estrelas?”
“Desgraçadamente, não temos sido nós, os socialistas, os que temos animado toda essa gente a sair à rua nem a mobilizar-se... e o que deveria doer-nos é que eles estão pedindo democracia, estão pedindo liberdade, estão pedindo fraternidade, estão pedindo uma educação pública, uma saúde pública... e nós não estamos aí.”
“Vós, líderes, mal chamados líderes pois sois responsáveis pelo que se está passando.”
“Logo mais enchereis a boca, nos vossos discursos, falando do desemprego jovem, de que vos preocupa muito os jovens: não vos preocupamos em absoluto porque nos têm aqui e nem sequer nos perguntam qual é o nosso  ponto de vista.”
Assim, mesmo traduzidas a “trouxe-mouxe”, são estas algumas das palavras proferidas pela jovem socialista espanhola Beatriz Talegón, em plena reunião da Internacional Socialista.
Sem querer espicaçar ninguém, nem individualmente, nem colectivamente, com esta insinuação de que estou a voltar ao tema do post imediatamente anterior, muito pelo contrário, para "descomprimir"... diria que (ainda que por qualquer estranha razão o quisesse) teria francas dificuldades em encarar esta jovem... e chamar-lhe “nazi”, olhos nos olhos... nem sei se alguém teria.
Do que não tenho grandes dúvidas é que, a menos que ocorram grandes mudanças na personalidade da jovem Beatriz, ou na “personalidade” da Internacional Socialista... não lhe auguro um grande futuro dentro da organização!



22 comentários:

João Pimenta Lopes disse...

Camarada,
Como tu partilhei o seu efusivo discurso. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha. O que corre em espanha é que a dita poderá não alinhar a sua postura com o seu discurso. Nada que surpreenda vindo desta linha política. O tempo e a história o dirão.
http://jsmutxamel.blogspot.com.es/2013/02/carta-abierta-beatriz-talegon.html

falaferreira disse...

Mas qual a diferença entre ela e o Manuel Alegre? Dois bobos para fazer as massas acreditar que os "socialistas" têm alguma coisa a ver com a esquerda.

Anónimo disse...

Ui! no que te foste meter!!! :)

já ouvi chamar coisas piores, por muito menos!!! :)... se estamos como estamos, é porque (também) algumas razões (para não dizer excessos) houve...e...

quanto à "viral" Beatriz, é Óptima!

vovómaria

Provoca-me disse...

Eu acho que ela não devia ficar lá nem mais um minuto.

Rogério Pereira disse...

Isto merece ser repetido... e eu conto repeti-lo. Um dia destes (infelizmente não perderá actualidade...)

rms disse...

http://www.larepublica.es/2013/02/carta-abierta-a-beatriz-talegon-responsable-de-la-iusy/

Diogo Jorge disse...

Pois... coloca-se a questão: Se tem a capacidade de análise que parece ter, o que está a fazer ali?! Não me incomoda a postura nem que se mova de mercedes se assim lhe derem boleia, o que me chateia é que para efectivar aquelas palavras, não é sendo militante de um PS da vida, nem de outros faróis que só iluminam quando é dia. De discursos bonitos e a cheirar a esquerda até o Costa é capaz. Esperemos que ela perceba, e como diz outro comentador aqui, que "ela não fique lá nem mais um minuto",... no PSOE!

Diogo Jorge disse...

Exactamente rms!

trepadeira disse...

Vou pôr este guardanapo no bloguito pode ser que alguém se queira assoar.

Um abraço,

mário

Luis Filipe Gomes disse...

Estive a ler a carta aberta do Julián Jiménez e tudo fica mais claro.
"falaferreira" aqui mesmo nestes comentários enquadrou devidamente a situação.
Nesta democracia de hipermercado não há nada como o fabricante de detergente criar duas marcas supostamente concorrentes e ainda uma outra sem marca, ou da chamada linha branca, para ocupar as prateleiras frente aos olhos do consumidor e as mais facilmente alcançáveis pela sua mão.

Luís disse...

Pobre da moça! Esse socialismo com que sonha não está no seu partido! Deve procurá-lo mais à esquerda, estou certo que o encontrará!
De qualquer forma, é tão importante que estas vontades se revelem como importante é que as ajudemos a descobrir que há espaço para elas noutros espaços.
Um abraço e viva a moça

Reaça disse...

Embora o meu ouvido musical não seja grande coisa, penso que com violinos a moça vai longe.

samuel disse...

Reaça:

Nem mais! Com violinos quase tudo vai longe... até o Chopin e o Santana Lopes... :-) :-) :-) :-)

Graciete Rietsch disse...

Custa a acreditar que ,com esse discurso, a menina continue por lá.
Ou pretenderá "lavar qualquer coisa"?

Um beijo.

Pintassilgo disse...


Todos os partidos ditos socialistas têm as suas lebres para enganar os incautos.

Antuã disse...


São dos PS e o resto é conversa.

augusta disse...

Começam a sentir-se os primeiros sinais da tempestade prevista!

Membros da Juventude Socialista espanhola pedem a demissão de Beatriz Talegón:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=3051534

Manuel Delgado disse...

E pronto, assim, Samuel se estraga tudo de novo, nem queria acreditar quando li este "post", A sua urina subiu-lhe até ao colarinho.
Se fosse uma jovem comunista, como uma qualquer, da América latina que há uns meses... Mas não, este foi um grande discurso, cheio de coragem e sinceridade, de alguém que "cheira" a social democracia, pronto, tudo estragado... Fantoche! Faça um favor, não ao Mundo, mas a meia dúzia de amiguinhos, feche o seu "Blog" nogento!

samuel disse...

Manuel Delgado:

Ó Delgado...

Vá aprender a ler, depois tente igualmente aprender a NÃO SER ORDINÁRIO.

Depois volte e leia o post de novo.

Se continuar a ter vontade de fazer um comentário tão indigente como este que agora fez... é porque ainda não entendeu nada do que está escrito (independentemente do que possa ter lido num ou outro comentário).

Se for o caso, repita até conseguir.

Temos tempo! Tão depressa, eu não vou fechar este blog "nogento"... como você, de forma original escreve. :-) :-)

(Só a sua insuportável ignorância arrogante, me leva a apontar-lhe um erro ortográfico... atitude que não tenho por costume)

Saudações.

Anónimo disse...

Alguns manuéis delgados (aprecio mais o pensamente deste http://www.imdb.com/character/ch0171140/?ref_=tt_cl_t1)esbarram em certos factos comprovados pela acção dos próprios.

Volta não volta alguém entre os P"S" diz coisas de esquerda, o que leva muitos eleitores a votar neles. Depois, no poder, governam-se pela banda dos carros de luxo e dos hotéis de cinco estrelas.

Beatriz Talégon pode ser diferente, mas seria ainda mais surpreendente que a resignação do papa, que fosse realmente diferente.

Luis Nogueira disse...

Nem era preciso ires tão longe. Aquilo eram lágrimas de crocodilo, já que, enfim, tanta uninimidade mete nojo.
A rapariga é bem paga para dizer o que disse... e po contrário, se continuar com o tacho. Aí vai, retirado de "Insurgente":

El “mito” rebelde de la joven “socialista” Beatriz Talegón ha durado poco. Apenas unas horas después de que su video denunciando en un Hotel de lujo de Cascais (Portugal) llegase a decenas de miles de personas, empezamos a saber las razones de su silencio hasta ahora.

Beatriz Talegón era un cargo de la Junta de Castilla la Mancha de la época del PSOE. Fue colocada presuntamente a dedo en la oficina de Castilla la Mancha, como “Asesora de la Dirección General de Asuntos Europeos” con una asignación anual neta de 42.281,89 euros. Para confirmar esto, basta con ir al boletín oficial de Castilla la Mancha, página 49788:

Rebeldes do "Partido Socialista"? Só se for o ginasta Manuel Alegre, o "bisneto do enforcado".

Abraço
Luis Nogueira

Rogério Pereira disse...

Pelo lido, acho que o dito
não terá prescrito...