segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Francisco Sá Carneiro – Mais uma contribuição




Neste sábado, ao chegar a casa praticamente à meia noite, "amassado" de lés a lés por um cansaço bom provocado por um dia cheio e em cheio... de que ainda provavelmente vos falarei, tive o “privilégio” de assistir à parte final de (mais) um documentário televisivo sobre Francisco Sá Carneiro.

O documentário era fundamentalmente composto por depoimentos cruzados e curtos de várias figuras conhecidas da nossa vida política. Dissertavam (na parte que vi) sobre um único tema: a morte de Sá Carneiro e as consequências dessa morte no destino de Portugal.

Houve de tudo. Que com Sá carneiro, a AD teria governado, possivelmente, por 12 anos, que o país teria aproveitado muito melhor os fundos comunitários, que teria sido ele a assinar a adesão à CEE, que Cavaco Silva teria chegado ao poder muito mais tarde... mas que chegaria, que hoje Portugal teria um nível de vida muito superior e seria um dos países da frente, na Europa. Outros defenderam praticamente o contrário e ainda outros mostram-se convictos de que a morte de Sá Carneiro não adiantou nem atrasou e com ele ou sem ele, estaríamos na mesma.

Tudo no maior respeito e admiração, tanto por parte de correligionários, como de adversários, ou assim-assim... lá desfilaram Freitas do Amaral, Pinto Balsemão, Marcelo Rebelo de Sousa, Proença de Carvalho, Almeida Santos, Mário Soares, etc., etc., etc... até Carlos Brito. Curiosamente (salvo a exceção), todos figuras que fazem parte do verdadeiro exército de calhordas que arrastou o país para o miserável estado em que está.

Também eu quero dar uma contribuição para este imensamente útil e, sobretudo, tão científico debate:

Se Sá Carneiro não tivesse morrido, ainda hoje estaria vivo!

... e pronto. De momento não me occorre mais nada.

17 comentários:

salvoconduto disse...

A colocares as coisas assim dessa maneira, ainda bem que morreu. Mas será mesmo? Logo agora que os dias estão cheios de nevoeiro? Vais ver que às tantas ainda te bate à porta. Mas não te assustes, não passa de um romeiro...

Maria disse...

Verdade que ninguém pode contestar.
A tia da linha diz assim uma coisa parecida, LOLOLOLOLOL

Abreijos.

Anónimo disse...

Nunca gostei da sua política (salvo na talvez mais famosa do que merece ala liberal), mas pelo menos tinha uma coisa que a maior parte dos PPDês não tem: não era um água morna.
Um abraço.
Daniel

do Zambujal disse...

Pois.
Exactamente como a minha avó! Quem diria? Não eram nada parecidos.

Um grande abraço

Anónimo disse...

Foi no seu governo que começou o saque a Portugal, e isso diz tudo.

trepadeira disse...

Também se apelidava,ou era,sebastião?
Um abraço,
mário

Anónimo disse...

Meu Caro Samuel
Desculpa que eu venha com uma segunda intervenção.
O que sempre me irritou nos adoradores de Sá Carneiro foi terem querido fazer dele um mártir. Primeio, ainda em vida, tentando convencer-nos de que o acidente de viação que sofreu foi preparado pela PIDE. Quanto a mim, o homem não valia um assassinato. Não era nenhum Humberto Delgado. Depois, querendo à força transformar a inconsciência que levou à queda do Cessna num atentado. Os peritos da companhia fizeram na altura um relatório exaustivo das causas do mesmo. E agora, tantos anos depois, volta-se a "reabrir" o processo. Não suporto isto.
Um abraço.
Daniel

maia disse...

Afinal a frase: "Morrer é o contrário de estar vivo" é ou não é filosofia?

Anónimo disse...

Este senhor que teve a infelicidade que teve, não iria acrescentar nada de novo, era daqueles que, quanto pior melhor!

samuel disse...

Daniel:

Já ninguém suporta... a não ser os "adversários" que querem ficar bem na fotografia e os seguidores, que construíram carreiras políticas à custa do morto/mártir.

Abraço.

Anónimo disse...

estou em absoluto acordo com o Daniel. palavra por palavra.

vovómaria

jose serra disse...

Porque não esqueço, falta falar na divida à Banca. Os célebres 3o mil contos (na altura uma super fortuna)Resta saber se foi paga. Ou se foi paga pelos contribuintes.
Falta saber se a divida passou ou não para a Responsabilidade do Irmão, tal como o F.S.Carneiro, afirmou, e se depois da morte alguém pagou.Façam contas 30.000 contos aos Juros da Lei, desde a morte até agora quanto dá

Antuã disse...

Ainda vai ser canonizado.

Fernando Samuel disse...

Olha que, pensando bem, a tua contribuição é muito oportuna...

Um abraço.

Pata Negra disse...

Isto dum tipo ser muito novo tem as suas desvantagens:
- Quem foi esse tal Sá Carneiro?!
Foi aquele que o caixão foi de burro?!

Um abraço se sá

Anónimo disse...

Pata Negra
Se o abraço vem destinado a mim, agradeço. Eu sou Sá, mas apenas com 33% de hipóteses,ou menos, de ser do mesmo tronco. É que, como há três povoações com o nome Sá no Norte, decerto que pelo menos três famílias se formaram com este apelido. A minha anda por cá, na Maia de São Miguel, pelo menos desde o século XVI. Se tinha alguns pergaminhos, os séculos apagaram-nos completamente.
Obrigado também à Vovó (mais nova do que eu.
Abraços.
Daniel

donatien alphonse françois disse...

Apanhamos umas boas secas com o Sá Carneiro...

Mas ninguém falou nos 33.000 contos?
(Isso pergunto eu, que não vi nenhum programa desses ontem.)