segunda-feira, 2 de julho de 2012

Vasco Gonçalves – Os tão previsíveis inimigos




Como que para demonstrar (se ainda fosse necessário) que não é irónico quem quer, o infeliz que preside à autarquia da Covilhã acertou sem querer, fez um elogio quando pretendia insultar, foi um imbecil quando queria armar-se em humorista. Ainda assim, a notícia da sua tirada teve direito a rasgados sorrisos, mesmo algumas gargalhadas, na sessão de que aqui antes vos dei conta, em que se homenageou um Homem: Vasco Gonçalves.
Disse o destacado membro do PSD e candidato a comediante, dirigindo-se ao inexplicável ministro álvaro«Sr. ministro... a verdade é que para algumas pessoas, o único governo que não prejudicou os trabalhadores, foi em 1975 o governo do Vasco Gonçalves».
À margem deste número de comédia involuntária, por aqui, neste pequeno blog, as reacções à homenagem em que participei não tentaram sequer ser irónicas. A matilha do costume partiu para a carga com armamento pesado, em forma de insultos dos mais porcos e violentos, à mistura com a habitual produção de baba a escorrer das presas. É uma espécie de automatismo em reacção ao nome do General. Não tivesse eu adoptado uma política de higiene (quase sempre) rigorosa no que diz respeito ao teor dos comentários aqui recebidos... e a caixa dos ditos teria ficado igual às velhas lixeiras a céu aberto que ainda se veem em tantos lugares.
Depois... alguns ficam ofendidos quando os comparo aos célebres cães do Pavlov!
Não têm razão! A haver ofensas a reparar... seria em relação aos pobres “canitos” que, sem culpa nenhuma, se veem comparados a este tipo de alimárias. Convém não esquecer que, ao contrário destas bestas, os cães do Pavlov, para além de, quase de certeza, terem sido uns bicharocos simpáticos... serviram realmente para alguma coisa!

11 comentários:

Donatien disse...

Sem dúvida.O tosco do homem quiz-se fazer engraçado e saíu a verdade...

Anónimo disse...

São, no caso, tão previsíveis, os inimigos, como os amigos. :=)))))))

Graciete Rietsch disse...

Mesmo falando ironicamente, muito se deve já ter arrependido o tal canito da Covilhã.

Um beijo.

Anónimo disse...

nem de propósito numa nota de rodapé em http://herdeirodeaecio.blogspot.pt/2012/07/vasco-heroi-de-uma-opera-pouco-famosa.html

Anónimo disse...

Seriam assim tão negativos , os comentários que censurou, em relação a Vasco Gonçalves.

Por curiosidade fui ler o que lá deixou ficar, é realmente tudo muito elogioso.

Ora meu caro amigo o Vasco Gonçalves foi sempre um homem de grandes contradições, e não foi nenhum santo.

Empenhou-se com convicção em defender aquilo em que acreditava, mas muitas vezes errou, como qualquer politico.


Acho que qualquer homenagem , até porque já passaram alguns anos, deve traçar um perfil do homem e do politico, com as suas qualidade e os seu defeitos, os seus lados positivos e negativos.

Aqueles que tiveram a sorte de viverem por dentro os anos de 74 e 75, poderão ter uma opinião mais ou menos positiva do General Vasco Gonçalves, mas ninguém poderá negar, a firmeza com que defendeu as SUAS convicções, e esse é o maior elogio , que lhe deve ser feito.

Antuã disse...

Houve quem levasse a afirmação a sério.

trepadeira disse...

São cães,não desses,daqueles que só ouvem e reconhecem a voz do dono.

Foi um dia em que caiu um dente ao pinto,ah pois,os pintos não têm dentes,nem isso.

Um abraço,
mário

João Pedro Caniço disse...

Estudei na UBI, na Covilhã, e por isso mesmo conheço relativamente bem a personagem que preside aos destinos da autarquia local. Um tipo que durante os muitos anos em que ocupou o cargo encheu a autarquia, o tribunal e a universidade de boys laranjas, devendo a Covilhã ser um dos concelhos do país com mais funcionários públicos por metro quadrado. Para além disso são sobejamente conhecidas as contas da autarquia que roçam o vermelho e já há muitos anos, não é de agora com a desculpa da crise. Quanto ao tema aqui em consideração não é propriamente novidade, já em Julho de 2007 em entrevista à Visão havia afirmado de forma peremptória que o pior primeiro-ministro da III República tinha sido Vasco Gonçalves. Vale o que vale. Jeito para humorista certamente não tem, pois a ironia saiu-lhe mais pro verdadeiro.

Anónimo disse...

A verdade quer queiram quer não vem sempre ao cimo.
Vicky

titas disse...

Tive o prazer e a honra de conhecer Vasco Gonçalves pessoalmente. Um ser humano excepcional.
Para a história fica a imagem de um homem honesto, um Governante fiel aos seus princípios e ao povo português.
No famoso grito: 'Força, camarada Vasco, nós seremos a muralha de aço',
Vasco Gonçalves cumpriu tudo o que lhe fora pedido e que nos prometera; nós não, pois permitimos brechas e fracturas na muralha...
Aproveito a oportunidade para aqui deixar o meu muito obrigada pelo que para nós escreve e que muitas vezes compartilho

samuel disse...

Titas:

:-)

Abraço.