quinta-feira, 12 de julho de 2012

Novas regras para a eleições autárquicas – Por que raio insistirão?!


Os argumentos, chamemos-lhes assim, recorrentemente apresentados pela direita (e algum PS) para defender a ideia de executivos camarários de uma só cor partidária, têm sido repetidamente desmontados. Ainda assim... eles insistem.
A realidade, essa grande chata, tem-se encarregado de demonstrar que a esmagadora maioria das autarquias tem maiorias de um só partido e que o facto de existir um pequeno punhado de executivos sem essa maioria não resulta em bloqueios e muito menos na queda desses executivos. Mais, a participação na vida diária de uma Câmara Municipal, de vereadores da oposição, com ou sem pelouros atribuídos, só em casos muito raros não é um contributo positivo para a democracia local e para a fiscalização dos actos do executivo camarário, como bem se escreve aqui.
Ainda assim eles insistem...
Se juntarmos e esta ideia peregrina de dar todos os lugares da vereação ao partido que ganha as eleições (nem que seja por meia dúzia de votos), ao “desmando” que seria o facto de o novo presidente da Câmara, poder escolher a gosto pessoal os “seus” vereadores, podemos facilmente antever o clima de compadrio e caciquismo que daí adviria.
Ainda assim eles insistem...
Rematando com a intenção deste Governo de liquidar e varrer do mapa muitas centenas de Juntas de Freguesia e alguns Municípios, fica clara a machadada no poder autárquico saído da Revolução de Abril, que o afastamento de milhares de cidadãos das sua autarquias e da vida democrática activa constituiria.
Ainda assim eles insistem... demonstrando que, não aprendendo nada com a História, preferem apostar num poder autárquico viveiro de clientelas e “boys”, mesmo que esse clima político seja tão propício a transformar-se num viveiro de IsaltinosFátimas Felgueiras, Pimentas Machados, populismo, desmandos, fortunas por explicar...

10 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Mesmo assim eles insistem porque é assim que lhes dá jeito.

Um beijo.

trepadeira disse...

Já hoje imperam caciquismos de há vinte e mais anos,devidamente protegidos,ora por laranjas,ora por rosas,com todos os desmandos,tiranías,negociatas e quejandos,que,de aí,têm resultado.
Olha o que seria com um soba absoluto e o seu sinecurismo.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

A questão. E essa é indesmentível, é que nunca se viram tantos "boys", como nas Câmaras comunistas...

Graça Sampaio disse...

Suspenda-se a democracia já! Era para isto tudo - tomar de assalto o país - que eles queriam desde o início , um governo, uma maioria e um presidente! Receio bem que nos venha a ser difícil tirá-los de lá. Porque eles não respeitam nada. NADA!

samuel disse...

Anónimo (19:44):

Se quiser ser "rigoroso", já que está a falar dos "soviéticos"… tem que lhes chamar хлопец. :-) :-) :-)

Bolota disse...

Malta,

Ou fazemos frente a esta quadrilha ou os nosso descendentes vão culpar-nos o resto da vida e com toda a razão. OU paramos este assalto ao poder ou o resto do nossos dias vão ser de um sofrimento envergonhado.

Espero que a ONDA branca (Luta dos medicos)que ontem e hoje encheu o pais seja o pontape de saida para essa reacção.

Abraços

Bolota disse...

Pare reforçar o que digo acima, ligo para a SIC-noticias e apanho com Morais Sarmento, mudo para a TVI-24 mamo com O granda Noi, O Grande Marques Mendes, ontem tambem na TVI, vi por lá Santana Lopes, pela RTP1 informação , passaram Bagão Feliz e Paulo Rangel.

Moços, isto é o assalto ao poder. Será que não há um, unzinho comentador de esquerda que seaj convidado para os debates???

Abraço

Bolota disse...

Samuel,

Falas-te em regras???

http://videos.sapo.pt/kzZH4Ua8qCjuDPNQkL9a

A força como estas coisas são ditas etoda a gente assobia para o lado é preocupante

Abraços

Edgar Carneiro disse...

"Apagando" as freguesias que não interessam, com o sistema a duas voltas para garantir a alternância, os tais círculos uninominais a facilitar a demagogia e o caciquismo, e alguns "bónus" de deputados para não haver falhas, teríamos a "democracia perfeita" que a direita almeja.

Anónimo disse...

Vai-se ter novamente o caciquismo e não só nas autarquias mas neste Portugal.
"Quem luta, nem sempre ganha, mas quem não luta perde sempre!" Este é o nosso caminho o da LUTA.
Vicky