sexta-feira, 19 de abril de 2013

Cavaco Silva – Bendita coerência!




Quando soube que Cavaco Silva andava a passear a sua carcaça pela Colômbia, pensei que não viria a ter qualquer interesse em comentar esse facto. Pensei apenas com os meus botões no azar dos colombianos: não há droga que não lhes invada o país!
Afinal, estava enganado. Cavaco, no seu melhor, decidiu recitar umas mal decoradas cábulas sobre escritores portugueses, discursando numa feira de livros em que Portugal é convidado de honra... esquecendo o nome de José Saramago.
É aqui que eu divirjo das várias pessoas que acharam isso ofensivo. Tal como insinuo no título deste texto, acho, pelo contrário, que Cavaco fez muitíssimo bem! Tal como evitou conspurcar com a sua presença o funeral do nosso Nobel da Literatura, vai fazendo os possíveis por não infectar a sua memória lambuzando o seu nome com restos de bolo-rei mal mastigados e idiotia babosa.
Resumindo, não há rigorosamente nada de errado neste “esquecimento” de Cavaco Silva. Cavaco, coerentemente, está certíssimo!
Profundamente errado, é o triste facto de termos como Presidente da República este ser pequeno, mesquinho, ignorante, boçal, irremediavelmente inútil.

16 comentários:

Anónimo disse...

BOLIQUEIME: Pobre terra, que pariu tal besta!

Rui Silva

Rogério Pereira disse...

"Quantos cantos tem os Lusíadas? Isso não é ECONOMIA, minha senhora!"
"Quem não sabe quantos cantos tem "Os Lusíadas" como pode representar Portugal?"

Inês de Medeiros (1995),

Anónimo disse...

olha a sorte do Saramago! :))

vovómaria

Graciete Rietsch disse...

Subscrevo inteiramente as tuas palavras.

Um beijo.

Anónimo disse...

cavaco,o génio da Banalidade!

Jose Rodrigues disse...

O pascácio aqui há uns anos até estava a ler a "Utopia"de Thomas Mann...livros para ele só aqueles antigos com que se ia à mercearia pedir fiado...


Abraço

Antuã disse...


Ainda bem que Saramago não foi misturado com a diarreia oral cavacal.

Luis Filipe Gomes disse...

Será que o vão doutorar em literatura como aconteceu na Índia?
Era um reconhecimento digno; costa a costa; das ìndias Ocidentais à outra, a verdadeira.

Saramago que certamente sorriu com a Ironia dos Indianos já que em economia não se lembraram eles de doutorar o marchante; não desdenharia que lhe atribuíssem outro doutoramento noutra área; sei lá: gastronomia,litologia, entomologia...

trepadeira disse...

Devia estar a fazer companhia à sua mentora amada e elogiada,e ao nazi que a acompanha,no post anterior.
Que as saudades não durem muito.
Aqui poderia aplicar a máxima-"três foi a conta que o diabo fez".

Abraço,

mário

Justine disse...

Partilho totalmente a opinião expressa nas "gordas" do último parágrafo do teu post!
(e o resto também:))))) )

Pintassilgo disse...


O imbecil é mais grosseiro que o américo Thomaz.

Anónimo disse...

Alguém consegue explicar-me a necessidade de um Presidente da República?
Ele e toda a sua estrutura são um sorvedouro de dinheiro público.
Faz o quê?
Promulga ou não promulga as leis da Assembleia.
O PR é uma figura ridícula no nosso sistema político.
E gasta um dinheiro (público) do camandro!!!

Graça Sampaio disse...

Um BRONCO! Um ressabiado! Um vingativo - como os seus congéneres do governo, aliás!

NOJO!

augusta disse...

subscrevo na íntegra.
A mim, que fiz mais de 700 Km mas estive lá, não não me fez falta nenhuma a ausência da personagem da triste figura. E ao José Saramago muito menos. Se nem em vida gostaria de o saber ali...

Falta fazem os amigos, os leitores, os camaradas. E esses, estivemos lá!

Anónimo disse...

Maravilhosamente bem escrito e concordo na íntegra.
Com gente como esta que bom não sermos lembrados! Porque os amigos, os leitores e os camaradas recordam sempre José Saramago.
Vicky

Anónimo disse...

Bonito é ver estes "governantes" irem todos a uma feira internacional do livro ou de literatura...

E aqui no Porto não há uns míseros 100 mil euros para levar a cabo a feira do livro!!!

Porque é que eles não ficaram em casa e com o dinheirinho das viajens, olha por exemplo dos empresários que os acompanham, e fazem a feira do livro do Porto?