terça-feira, 9 de abril de 2013

Margaret Thatcher


Não me lembro de alguma vez ter feito festa pela morte de alguém... mesmo quando, pessoalmente, poderia considerar ter motivos para tal. Daí que as notícias sobre os festejos a propósito da morte de Margaret Thatcher não me agradem... excepto um pormenor de génio, terrível no seu silencioso simbolismo: alguém que foi deixar um ramo de flores e uma garrafa de leite à porta da falecida ex-primeira-ministra, lembrando o facto de ter sido ela a cortar o fornecimento de leite às escolas, deixando milhares de crianças pobres sem o seu leite gratuito.
Na verdade, aqueles que sofreram na pele a paranoia fanática da “dama de ferro” não esquecem que foi ela a percursora de uma trágica viragem na política europeia moderna. Uma viragem para o neoliberalismo mais canalha. Para o egoísmo cego. Para a insensibilidade social. Para o recrudescimento da exploração selvagem.
Na verdade, por mais que os “cavacos” e os “passos coelhos” desta vida a venerem, há quem não esqueça que a megera foi uma espécie de Ronald Reagan de saias que, embora sem o poder bélico dele, era tão ou mais perigosa, por ser infinitamente mais inteligente que o idiótico fantoche dos “boys de chicago”, a matilha neoliberal que o dominava a seu belo prazer.
"Plagiando" (e adaptando) um locutor da velha Emissora Nacional dos tempos de Salazar, numa famosa piada de improviso e em directo na chegada da rainha Isabel II a Lisboa, piada que lhe valeu uma suspensão...
“Vai descer à terra a ex-primeira-ministra da Ingladita!”

26 comentários:

Reaça disse...

Esta inglesa foi extraordinária!

Digna de um Churchil, e não sei se Hitler tem apanhado esta inglesa aguentasse tantos anos sem ajoelhar.

Claro que que não sou inglês, mas gostava de ter um governante português deste calibre e inteligência, e com certeza eramos tão cépticos quanto ela em relação à Europa.

E tínhamos mais juizinho do que aquele que demonstraram todos os governantes que nos levaram a esta caloteirice.

samuel disse...

Reaça:

Pois... o que confirma que, realmente, há gostos para tudo!!! :-)

Bom proveito!

São disse...

Não me regozijo com a sua morte mas também não a lamento, porque todo o seu comportamento vai levar muitas encarnações a ser resolvido, pelo sofrimento atroz que causou e pelo apoio que deu a criaturas como Pinochet, Reagan, ...

A esta hora deverá estar a festejar com os seus dilectos amigos o estado caótico da economia mundial!

E quem se não lembra de que deixou morrer em greve de fome Bobby Sands e companheiros?!

Tudo de bom.

samuel disse...

Reaça:

Como esta sua admiração pela "extraordinária" filha da puta que foi Margaret Thatcher, merece uma resposta menos telegráfica... volto ao assunto.

De facto, lendo as incontáveis referências na imprensa às relações amistosas, relação próxima, admiração mútua e elogios recíprocos... entre Thatcher e o porco Augusto Pinochet, permito-me discordar da sua previsão de uma grande dureza dela para com Hitler.

A ver pela relação de eterna "língua na boca" com Pinochet... provavelmente, teria pedido Hitler em casamento!!!

Mas, repito... há gostos para tudo!

Jose Rodrigues disse...

Os "fascínoras" cá do burgo estão desolados com o desaparecimento da sua madrinha de ferro,fanática inimiga dos trabalhadores de todo o mundo.Enquanto os deixarem,lá vão levando à prática a sua cartilha!

Abraço

Antonio Carvalho disse...

Que a terra ou o fogo lhe seja pesada/o!

Anónimo disse...

Samuel, perdoe-me o latim, mas o que o reaças quis dizer é que Hitler ajoelharia, claro, perante ela para lhe ministrar o cunnilingus pois enamorar-se-ia da pequena, sua alma a tender para o gémeo

Anónimo disse...

Eu estava para fazer um comentário acerca dsete "post", mas não vou perder tempo com isso... Samuel. olhe-se ao espelho e pense no que vê!!!!!!!!!!!!!! :)))))))))

Antuã disse...


Há por cá alguns que já podiam ir andando pois teriam uma grande companhia.

Reaça disse...

Quando se fala de Tatcher fala-se de uma inglesa histórica.

Ficou para a história da Inglaterra que nunca verga nem a Hitler, nem a Napoleão nem aos Filipes Espanhois.

Quando foi preciso ir defender uma coloniazinha a sul da Argentina teve um comportamento tipicamente inglês.

Quando os alemães e os franceses quizeram fazer esta Europa caduca ela manou-os à fava.

Se meia dúzia de ingleses, escoceses ou irlandeses e uns tantos mineiros se manifestaram contra a Senhora, nesta hora, mais "pigmeus" se tornaram, quem assim procedeu.


samuel disse...

Anónimo (20:08):

Vejo... um espelho? Dããã!!!...

Ou então o seu "não comentário" é duma profundidade que eu não atinjo. :-) :-)

samuel disse...

Reaça:

Ena, tanta História!!! Que bela marmelada para aí vai!

Já a amizade ostensiva da megera pelo porco Pinochet... não lhe dei jeito comentar. Você é mais História... ou é "mais bolos"?

Mealha disse...

Fiquei satisfeito, digo sem problemas. Odiosa personagem.

Bolota disse...

Moços,

Nã foi com Tatcher que o buraco onde estamos metido começou???

Abraços

Pintassilgo disse...


Se o Reaça tem saudades da dama de ferro que vá ter com ela.

Arlinda disse...

O calibre da sujeita:

'The ANC is a typical terrorist organisation ... Anyone who thinks it is going to run the government in South Africa is living in cloud-cuckoo land' - Margaret Thatcher, 1987.

Enganou-se e nunca reconheceu!

Graciete Rietsch disse...

Por muito que a morte seja triste, esta não deixa saudades.

Um beijo.

Maria disse...

Tanto tempo perdido a ler os comentários...
A gaja não vale o fogo com que vai ser 'cromada'.

Abreijos.

Olinda disse...

E pensar que os grandes admiradores da fascista convicta,sao hoje desgoverno,deste paîs mal tratado.

Abraco

Reaça disse...

Samuel,com tantos seguidores(as) que tem a dizer "amen", devia dar-me um cachet por eu destoar.

Mas coitados dos ingleses que ainda há quem tenha pena deles pelo que sofreram com a megera.

samuel disse...

Reaça:

Ah... mais uma voltinha com pirueta... mas sobre o facto da filha da puta ser a dilecta amiga pessoal e política de Pinochet... continua a não lhe ocorrer nada.

Afinal, você não passa de uma porra de um SONSO.
Imaginava-o um pouquinho melhor do que isso. Paciência!
Gosta da Thatcher... bom proveito!!!

Anónimo disse...


O reaça diz que admira o facto da LADRA DE LEITE ser forte e não subserviente mas ele próprio é subserviente em relação à LADRA DE LEITE :-) o reacinha deve gostar é de levar chicotadas na bundinha, não é?

Anónimo disse...

Não partilho da opinião do "amigo reaça" na medida em que não recebo a noticia da morte de um inimigo da minha classe como uma desgraça.

Mas já que a criatura encontra tantas virtudes nessa figura criminosa que foi Thatcher, certamente que se identifica com ela e com os crimes que cometeu.
A começar com a proteção que deu a Pinochet, o apoio que prestou a Pol Pot, o assassinato a sangue frio de dez prisioneiros do IRA, a repressão feroz que exerceu contra os trabalhadores do seu país.

"Senhor" reaça são estas as qualidades que admira na besta?
Se é isso então é um dos dela.

Quanto a Hitler, não pretendo ser tão certeiro em fazer conjunturas desfasadas no tempo, mas pode ter a certeza se fossem contemporâneos e nas mesmas condições que se iriam entender muito bem.

Portanto neste aspeto da sua parte dispenso explicações, na medida em que já compreendi perfeitamente as razões ideológicas e politicas que o movem.

Vc é um NAZI/FASCISTA sem tirar nem pôr.

Há; só mais um pormenor! Em que lugar se encontra o seu nome na lista das maiores fortunas da Forbes?

Khe Sanh

Reaça disse...

Tatcher, como boa inglesa apenas olhava para os interesses da Inglaterra.

Se internamente os ingleses democraticamente estavam divididos, externamente sempre teve o aplauso de todos os ingleses.

Tenho inveja de um povo que tem um governante que pões os interesses nacionais acima de tudo.

Para esse tipo de governantes que têm a sua nação acima de tudo como os ingleses, assuntos como Malvinas, Pinochet's, terroristas do IRA, etc. tratam-nos de maneira a que sirvam os interesses da Inglaterra.

Com esta mulher talvez nunca viessem "soldadinhos em caixas de pinho" de Kabul para Londres.

A inteligência desta inglesa era muito superior a tudo o que se seguiu.

Tenho inveja dos ingleses por escolherem sempre chefes dignos, e quase sempre inteligentes como este caso.

samuel disse...

Reaça:

Não consigo entender essa sua necessidade de continuar a explicar...

Já se percebeu!

Por si, se achar que um governante defende os seus interesses particulares, pode ser fascista! OK!! Bom proveito!

Essa gestão das relações, com pinochets, ou hitlers, ou essas merdas... para si são naturais, desde que ache que, pessoalmente, lucra alguma coisa com isso. Por si, até venderia os fornos crematórios aos nazis... desde que isso fosse do SEU interesse. OK! Bom proveito!

Mas, sobretudo, não precisa de explicar mais!!!

JÁ ENTENDEMOS!!!

Anónimo disse...

Khe Sanh


"Tenho inveja de um povo que tem um governante que pões os interesses nacionais acima de tudo."

Será que tem consciência desta absurdidade?
Portanto se todos agissem do mesmo modo a paz no mundo era uma miragem.

Sabe que quando Mussolini invadiu a Etiópia disse para os Italianos " a Etiópia já é nossa, também já somos uma potencia colonial".

Uma forma brilhante de pôr os interesses nacionais acima de tudo.


" Com esta mulher talvez nunca viessem "soldadinhos em caixas de pinho" de Kabul para Londres"

Como acha que iam? Pode divulgar o seu segredo?
Se soubesse que a produção de heroína no Afeganistão depois da agressão da NATO (nas barbas dos Ingleses) aumentou 40 vezes não regurgitava tamanha asneira.


"Tenho inveja dos ingleses por escolherem sempre chefes dignos, e quase sempre inteligentes como este caso."

É mesmo motivo de orgulho um país ser governado por aventureiros sem escrúpulos que para atingirem fins não olham a meios, mesmo que para isso tenham que desrespeitar os legítimos direitos dos outros ou acordos estabelecidos.

Estou a lembrar-me por exemplo de Churchill e dos preparativos criminosos para a Operação " O Impensável"

Aqui: http://es.metapedia.org/wiki/Operaci%C3%B3n_Impensable


Como essa "senhora Thatcher" que não se cansa de elogiar o seu brilhantismo cruel, susteve guerras ilegítimas perto e longe de fronteiras para dar continuidade ao poder colonial Britânico.

Se defende a ocupação colonial da Irlanda e das Malvinas, qual é a sua opinião acerca do Tibete?

Depois desta apareceu outro "Inglês" com o mesmo nível de inteligência na defesa dos interesses (a palavra é sua) da "Inglaterra" o "senhor" Blair que colaborou na invasão e posterior destruição do Afeganistão e do Iraque.

Portanto aquele país só tem criado dirigentes que têm trazido paz, felicidade e prosperidade ao mundo.
É assim que entende?

Talvez não saiba que Thatcher segurou os Khmer Vermelhos depois de escorraçados de Phom Pen, na ONU durante seis anos.

São ações desta "grandiosidade" que lhe causam inveja pelos vistos?

Se encontra tantas virtudes na criatura certamente pertence à mesma espécie.

Khe Sanh