segunda-feira, 11 de abril de 2011

José Sócrates em Congresso – Chefe que é chefe... é chefe!


(Fotografia de Ricardo Castelo, surripiada ao Semanário Sol)
Este Congresso do PS foi uma vertiginosa sequência de momentos lamentáveis.
- Um patético amontoado de figurantes que se colocaram a jeito para tentar ingloriamente “lavar” a imagem do “chefe”.
- A pedestre e vazia prioridade absoluta do espetáculo em detrimento do debate de qualquer ideia que não fosse a defesa do “chefe”.
- A cirúrgica colocação de quem quer que tentasse mostrar quaisquer vestígios de crítica... a falar de madrugada e para as cadeiras.
- As chegadas e saídas dos “notáveis”, calculadas estritamente em termos de tempo televisivo e interesse de imagem pessoal.
- O espetáculo de pouca vergonha que foi a debandada de centenas de “delegados”, que pura a simplesmente, não voltaram à sala a seguir à jantarada.
- A situação degradante em que se colocaram todos os que pouco mais tiveram para dizer do que gritar histéricos elogios ao chefe... elogios, na maior parte dos casos, tão embaraçosos quanto fingidos.
- A verdade, acorrentada e fechada entre dentes, de que se o “querido e adorado líder” perder as próximas eleições, nem que seja por cinco votos... passará instantaneamente a ser “a besta que mais prejudicou o partido e o país”.
- Tudo isto a somar às evidências que vão confirmando a frieza, calculismo e profundo desprezo pelo interesse público com que esta “crise política” foi planeada, montada e executada pelo “chefe” e pelos seus colaboradores.

Este Congresso do PS foi, portanto, um verdadeiro festim para analistas, politólogos, comentadores, historiadores, sociólogos, polícias, detectores de mentiras... e até psiquiatras. Como não sou nenhuma destas cultivadas coisas... fico-me pela observação de pequenos pormenores... se é que se pode chamar pequeno a este pormenor que me prendeu.
No final do discurso de abertura, José Sócrates, lendo o seu teleponto, ora olhando para o lado esquerdo, ora para o lado direito (como aconselha o Luís), com aquela nauseante cadência típica de uma interminável partida de ténis... conseguiu surpreender-me. A rematar uma longa secreção de demagogia, banha da cobra, mentira, baixa política, desonestidade intelectual... o costume, ensaiou um tom que se pretendia empolgante, mas que pouco passou a fasquia da histeria, para atirar à cara da assistência uma frase que me ficou no ouvido:
Todos comigo?!!! - E assim, em meia dúzia de letras, Sócrates assume o seu destino de cometa. Ele, à frente, brilhando a grande altura... e atrás de sim uma imensa cauda de poeira cósmica, qual loooooongo e parolo vestido de noiva semeado de lantejoulas baratuchas.
Todos comigo?!!! - É o “chefe” no melhor da sua triste solidão... a triste solidão de quem não faz a menor ideia do que seja, realmente, um camarada, ou o trabalho coletivo...

21 comentários:

Rogério Pereira disse...

"Todos comigo?!!! - É o “chefe” no melhor da sua triste solidão... a triste solidão de quem não faz a menor ideia do que seja, realmente, um camarada, ou o trabalho coletivo..."

Só isto valeu o post.
O resto, é verdade, mas sem grande eficácia nem pedagogia. Pôr pessoas a pensar fora do quadrado é urgênte e necessário...

GR disse...

Grande post! Como gostava que o "chefe" o descobrisse.
O dito “chefe” nunca irá saber o que é o verdadeiro trabalho, sentir a alegria, ouvir palavras sinceras de ânimo. Sabe lá o que é trabalho colectivo!

Gd Bj,

GR

Anónimo disse...

Toda a razão Samuel, nem todos sabem o que é trabalho colectivo. Fazer muros de kms exige muito trabalho colectivo; Mandar milhões de férias para a Sibéria exige imenso trabalho colectivo; Fazer discursos de 10 horas em Espanhol exige muito trabalho colectivo para manter as audiências no sítio e sem dar à sola.
Toda a razão Samuel, sítios para onde se entra e de onde se sai por vontade própria, como congressos burgueses, não se controlams nem com muito trabalho colectivo.
Tanto trabalho colectivo só está ao alcance de cabeças formatadas a 32 bites e em círculo. Acredito que foi esse trabalho de formatação que produziu os autómatos programáveis como os Samuel deste mundo. E nunca se cansam, apenas avariam, indo para o lixo por falta de peças, razão que eu atribuo ao facto de não se reproduzirem e portanto não aumentarem. O que é uma bênção: Não adiantam nem atrazam, apenas chateiam pelo barulho que fazem.

Membro do Comité Lateral (em missão secreta no antro da burguesia em Matosinhos)

salvoconduto disse...

Passou por lá muito boagente como cão por vinha vindimada.

Boa semana.

Maria disse...

Gostei de te ler. Fiquei a saber que houve um congresso do ps. Esta coisa de não ter tv e de ir até perto de fátima tem as suas vantagens...
Mas peço-te um favor: podes não gostar de ténis, mas não mistures o movimento da bola no court com os olhares badalhocos do (ainda) nosso pm...

:)
Abreijo.

Anónimo disse...

Excelente post. Grande poder de observação e sentido crítico.

Campaniça

do Zambujal (em viagens...) disse...

Olha para ele!
E olha para nós, mais ou menos à mesma hora a reagir à mesma frase de meia dúzia de letras e o tamanho de um dislate ou delírio...
Inconsciente (ou subconsciente?) trabalho colectivo, camarada!

Um abraço

Graciete Rietsch disse...

Ele, o chefe, o que manda e os outros que o sigam. É este o lema de Sócrates. Veremos se, na prática, a camarilha saberá responder a esta pergunta.

Um beijo.

Antuã disse...

O Socretino é um pobre diabo com pretensões a Hitler da rua dele.

José Rodrigues disse...

O do comité lateral quer entrar para o círculo da Trilateral mas para isso tem que ir falar com o tio Bochechas que ele é que recebe de lá os "bitaites" para salvar a democraCIA!Bom post Samuel.

Abraço

samuel disse...

Anónimo (01:06):

Caro exaltado militante desta espécie de PS.
Mau grado o incómodo do cheiro nauseabundo, da omnipresença asquerosa (e pavloviana) nestes posts dedicados a Sócrates e ao (seu) PS, do tão "corajoso" anonimato… há uma coisa que, apesar das dificuldades do dia a dia, vai aliviando (por vezes até divertindo) a luta… é que tal como antes com os fascistas e agora com os exemplares do seu calibre, lutamos contra a direita mais estúpida do mundo.
Mas deixe lá… tem o chefe que merece!
Mesmo assim, ainda gostaria de perceber porque é que tantos dos fascistas que vão restando em Portugal, e que você aqui tão bem representa, têm esta necessidade de se disfarçarem de socialistas.
Será apenas por cobardia?
São apenas corruptos atrás de tachos?
Tem que existir uma boa razão.

Américoc. disse...

Já nada mais resta ao PS do que fazer comícios para juntar os "gatos", propagandear as aparências, mas deixar sem equívocos "que os amigos serão sempre amigos", seja qual for a intempérie que se avizinha. Mas, adivinha-se, a tribo vai dividir-se, talvez, mesmo, pulverizar-se.

Anónimo disse...

Samuel
Estava a assistir à TV quando Almeida Santos entretinha os Zés com a leitura dos nomes de todos os convidados ao comicio e ouvi os apupos quando leu os nomes dos convidados do PSD. Sinceramente fiquei à espera que os PSDs se levantassem e saíssem dali mas a "vergonha é coisa rara" como dizia um nosso camarada.
Vitor sarilhos

Fernando Samuel disse...

Magnífico post!

Um abraço.

Suq disse...

Olha Zéi tens aqui um valente ... apoio genuíno das Caldas!

Anónimo disse...

Samuel, democrata da treta, que chama fascista a tudo o que não coincide com ma sua monolítica opinião. Gabarolas que não tira os olhos do umbigo e é incapaz de tolerar divergências, visões do mundo que não passem por comités centrais. No fundo o valente que ofende em sítio público e se refugia nas tábuas quando a conversa não cheira e usa a tesoura, o lápis azul, a censura se o interlocutor for teimoso.
Samuel armado em solidário universal dos cérebros que controla e carimba de fascista os que pensam o mundo sem verdades únicas. Gabarola do próprio fracasso do modelo que vende como banha da cobra aos analfabetos, aos simplórios que aceitam comparar a cautela premiada.
Mostra lá ó vendedor de banha da cobra como fazias o tal mundo perfeito que deixava de fora 90% dos cidadãos do teu país. Mostra lá o sagrado argumento para os convencer, coisa de que te tens mostrado incapaz desde que te deram a liberdade de botar opinião sem te prenderem! A malta é toda tola? Quando mais instruidos mais tolos?

Valha-me N. S. da Agrela, quem te encomendou a salvação à força dos que se recusam a que os salves?!

Porque não te ficas pelas manifs onde é mais fácil o sucesso pois sabe-se que se juntares dois interesses pessoais comuns terás mais probabilidade de arranjar massa crítica para pareceres representar o mundo?! Eu disse parecer, não confundas a coisa com os 10% de Portugueses onde te incluis e são mais uma tradição regional do que um verdadeiro partido com credibilidade para valer a um país.

Sabes: Irrita-me que abuses dos crédulos e os vás ajudando a fazer um papel que no fundo os prejudica. Sim Samuel, esses que te bebem as palavras raivosas no fundo vão ajudar quem mais os pode f.... Porque não fundas um clube de bairro?!

O Tal do Comité Lateral

samuel disse...

Anónimo (00:40):

Caro militante socio-fascista anónimo...

Mas qual "lápis azul", qual "tesoura", qual "censura", qual quê!!!?
Como resistir a publicar este seu valoroso comentário?
Como resistir à tentação de ver um fascista a fazer tão hilariante figura de parvo?

Apareça sempre! :-)))

M.RAMALHO disse...

...olhar para a direita era só para disfarçar pois o teleponto estava partido!!!

Luis Ferreira disse...

Os merdosos andam aí, os bufos, foram esses que permitiram e apoiaram 48 anos de ditadura fascista. Mas os tais 10% estiveram sempre em luta contra a tirania e a opressão que permitiram a Liberdade em Abril. São esses 10 % que têm apontado as soluções para o desenvolvimento do país, soluções reconhecidas por gente de nomeada.
CONTINUA AMIGO SAMUEL, o caminho é este.

samuel disse...

Anónimo do comité lateral:

Afinal, além de fascista, você é estúpido como os pés que o carregam...
Achava mesmo que essa nojeira de "comentário" seria publicada?
Pobre de espírito! :-))) :-)))

samuel disse...

Anónimo do comité lateral:

Pobre infeliz!!! :-))) :-)))