sexta-feira, 22 de abril de 2011

Não, não são todos iguais!


A conversa corria solta no pequeno café. Aquilo que não falta nos dias que vivemos são assuntos para discutir, debater, esclarecer. A “culpa” do povo que “vive acima das suas possibilidades”, ir ou não ir reunir com a “troika”, saber se a “dona banca” quer mesmo ajudar-nos... ou ajudar-se... a austeridade "inevitável", quem obrigou Portugal a destruir a sua agricultura, indústria e pescas... e quem na “europa connosco” ganhou com essa destrição... o que é isso de pôr "Portugal a produzir"...
Na mesa mesmo ao lado, um amigo tentava ganhar um companheiro de mesa para a causa sindical. Trabalho difícil! Aquele amigo já está bastante infectado pela propaganda dominante: “são todos iguais”, “eles querem é tacho”, “não querem mas é trabalhar”, “não vale de nada ser sindicalizado”... “tanto faz serem da CGTP como da UGT”... “são todos iguais”...
O primeiro fazia o que podia... explicava-lhe as muitas lutas que têm sido seguidas de conquistas, como isso vai compensando as muitas derrotas e, sobretudo, tendo já convivido com muito dos tais sindicalistas “vermelhos” e, noutra empresa, com os outros, da UGT, quais as grandes diferenças que distinguem o verdadeiro militante sindical de (quase) todos os restantes. Diferenças tão evidentes que por vezes parece bastar um olhar para se perceberem.
O meu amigo debatia-se com a falta de uma “imagem” forte, capaz de apoiar a sua teoria. Sem querer interromper a conversa, prometi-lhe que mal encontrasse uma imagem suficientemente boa enviá-la-ia para os dois, por mail...
Seguiu mesmo agora. É esta... e fica aqui a ilustrar a estória.

10 comentários:

Rogério Pereira disse...

Não sabemos o resultado.
Se terá havido convencimento
A um cérebro já tão formatado...

Mas isto vai. Estou certo de que isto vai...

jrd disse...

Lamentavelmente, esse amigo não distingue os "amarelos" que não sejam da "Carris".
Abraço

Suq disse...

Eu também prefiro o tinto ...

vovó disse...

ganda imagem!!! :)

e fico-me por aqui :)

vovómaria

Graciete Rietsch disse...

Eu própria tenho sido confrontada com conversas dessas. Mas essa imagem pode esclarecer mais que mil palavras.
É muito linda a imagem.
Assim a consigam entender.

Um beijo.

GR disse...

Samuel. com esta foto impossível ele não entender.
Brilhante exemplo!

Bjs,

GR

svasconcelos disse...

Frases fastidiosas, estas usadas para se tabelarem todos pela mesma medida. Não, não são todos iguais, nem sindicatos, nem políticos, nem partidos!

Anónimo disse...

Grande imagem! Quero ter o saber necessário para a saber transmitir, pois neste momento (apesar de serem os outros que engoliram a cassette!!!...)é mais do que nunca preciso fazê-lo. Pois! Pois!
Abraços e mtas amendoas vermelhinhas.
Vicky

Maria disse...

Como é bela essa túlipa vermelha no meio das outras...
A imagem perfeita do que escreveste!

Abreijos.

JOSÈ GAGO disse...

Lamentavelmente, os portugueses
continuam a ser - ou a gostar de ser, daltónicos!
Aquela do quanto mais me bates,mais
eu gosto de ti,parece estar enraizada...
Mas se os campos do Alentejo,e não só,voltarem a ter papoilas como dantes,isto ainda vai lá...Vai,vai!