terça-feira, 5 de abril de 2011

A “banca” ganha sempre!


Pode parecer uma irónica e superior forma de agradecimentos dos principais bancos privados portugueses pela prontidão com que o Estado, com o nosso dinheiro, se prestou a acudir-lhes quando eles estavam borrados de medo com a ameaça do “efeito dominó” das falências que alastravam pela banca... mas não é nada disso.
Na verdade, os mais destacados filhos da... economia de mercado, que estão à frente desses bancos, obedecem tão somente a uma coreografia executada ao milímetro. Agora chegou a vez de os bancos privados cortarem o crédito ao Estado... só que não se ficam por aí: exigem coisas. Querem mostrar, sem lugar para dúvidas, quem manda realmente no país, decidindo quando deve o Estado pedir empréstimos, a quem os deve pedir, quanto deve pedir.
Entretanto, os “operacionais da máfia” vão apertando o garrote que "justifica" todas as medidas de austeridade impostas e, não vá o diabo tecê-las, ou o povo nas urnas decidir escolher algum novo Governo “esquisito”, vão desde já avisando que «se o novo Governo parecer menos empenhado com a consolidação orçamental», poderão descer ainda muito mais os ratings… o que, depois de traduzido, quer dizer: «Se ousarem eleger um Governo não seja dos “nossos”, daremos cabo de vós!»
Talvez eu seja um sonhador… mas se, pelo menos e para já, os países mais afetados por este massacre da ganância dos mercados, como Portugal, Irlanda, Grécia, Espanha e outros, ganhassem coragem e se juntassem de facto para lhes dar um berro a sério... e lhes mostrassem o punho cerrado bem à frente da cara... e mudassem de rumo… 

11 comentários:

Fernando Samuel disse...

Aí está a solução - ou uma parte dela, pelo menos.

Um abraço.

cduxa disse...

muito bem dito

Anónimo disse...

O pessoal de alguns países das América Latina tem-no feito. Logo, é possível. Mas isso nós já sabemos, a questão está em passar das palavras à prática, E não desistimos.
Insiste, insiste ... água mole em pedra dura... já lá diz o provérbio popular.


Campaniça

relogio.de.corda disse...

Uma simples opinião, de uma simples cidadã, de alguém que não entende nada de mercados mas que sabe o quanto custa a vida para mim e para muitos mais, em situação pior que a minha: o maior problema desta maralha toda de gente, é a porra dos interesses!!!! E estes,sim, é difícil acabar com eles.

svasconcelos disse...

O teu sonho é o meu... é por isso que lutamos, também.
bjs,

Suq disse...

Dai-lhe dai-lhe dai-lhe deu ...
E dá mais um a seguir da outro ... trak... que mais?

Graciete Rietsch disse...

E ainda falam no FMI. Mas ele não está já instalado em todos esses bancos coniventes com o governo e responsáveis pela bancarrota?
Não percebo nada de Economia, mas parece-me que em todas essas agências de rating também anda mãozinha de FMI.

Um beijo.

Rogério Pereira disse...

Sem sonhadores não há sonho!
É necessário passar da resistência ao embante...

O Puma disse...

Como foi dito

esta europa que Mário Soares
construiu e agora dela sacode
o capote
não é mais que um instrumento
da Alemanha e da serventuária França em pacto de sistema selvagem com os EUA e a sua serventuária Inglaterra para esmagar a soberania dos povos

Anónimo disse...

Acorda meu povo...
as eleições estão não tarda nada e, o apelo ao voto é uma forma de dar o tombo a esta m... mas um voto em quem está ao lado do pessoal. É preciso votar em massa e tirar de lá esta alternanacia ps psd e cds.
Só assim se pode dar o tal murro nesses ladrões, a que agora até chamam de mercados, ond'isto chegou!

Anónimo disse...

Samuel
A banca não só ganha sempre como é a única a ganhar. A coisa só pode ser mudada como tu apontas no final do teu post ou seja dando-lhe um murro nos olhos.
Vitor sarilhos