segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Ó senhor Policarpo... ninguém? Mesmo, mesmo ninguém?!


O facto de o chefe da Igreja Católica portuguesa dar entrevistas em que puxa a brasa à sardinha da sua facção dentro do cristianismo, como se sabe, um negócio multimilionário, não é assunto que me convoque por aí além. Se fosse esse o caso, teria que me debruçar criticamente sobre cada declaração dos dirigentes das muitas religiões que existem por esse mundo fora, desde as pequenas seitas mais ou menos excêntricas, às grandes religiões, algumas delas, como se sabe, bem mais antigas e com muito mais seguidores do que o cristianismo, mesmo considerado no seu todo, que engloba o catolicismo, a ortodoxia e o protestantismo, este, dividido em várias denominações... mais uns tantos “independentes” que pretendem ser seguidores de Cristo, mas não se reveem nas Igrejas.
O facto de o chefe da Igreja Católica portuguesa vir dizer que o «memorando com a troika é para cumprir», aproveitando para declarar que a função dos portugueses não é dizer mal dos governos... não traz rigorosamente nada de novo.
Sendo assim, a única frase da entrevista de “sua eminência” que mexeu comigo, foi a sua canhestra tentativa de sublinhar a “excelência moral” da sua igreja, por contraste com “a política”, de onde, segundo o douto Cardeal, «ninguém sai de mãos limpas».
Poderia dizer que se trata de demagogia populista e barata para cavalgar a onda da crise financeira, económica e política. Poderia dizer que se trata de uma declaração vesga, mentirosa, intelectualmente desonesta, arrogante, preconceituosa, abjecta, fascizante... mas não digo.
Digo apenas que, já que “sua eminência” parece gostar de generalizações, dar-me-ia imenso gozo ver a sua reação se alguém lhe dissesse na cara que todos os membros do clero são pedófilos... exceptuando aqueles poucos que andam a fazer filhos às paroquianas.
Mas não. Também não serei eu a dizê-lo. Não aprecio as generalizações.

18 comentários:

Maria disse...

Na mouche!
Ao generalizar e dizer que NINGUÉM sai de mãos limpas o gajo deve conhecer bem os amigos dele...
No entanto conheço alguns políticos que não se sentam à mesa com ele, se é que me faço entender...

:)))))

Abreijo.

salvoconduto disse...

Policarpo nem com lixivia consegue limpar as mãos farto que está de as meter na política suja que é apenas sua e dos seus pares. Também abordei o mesmo assunto lá no meu canto. E diz o homenzinho que quer ficar como referência para gerações futuras...

Abraço.

do Zambujal disse...

Caro Cantigueiro, de mãos e "alma" limpas venho abraçar-te. ESTES políticos, como este que te saiu na rifa da revista de imprensa, são um nojo, até pelo que querem salpicar com a sua lama os que têm, da política, outra concepção e prática.
E, sem autorização mas sabendo que a tenho, vou "linkar-te" num cantinho que é meu e acrescentar, de minha lavra e desabafo, mais umas (dispensáveis) observações.

Mais um abraço

vovó disse...

ganda lata!!
esta gentalha tem cá um desplante!... e eu que o diga... :)....

vovómaria

José Rodrigues disse...

Sua eminencia na iminencia de ser tido por pau de "cerejeira" para toda a "obra", devia ler e mandar ler em todas as missas,o ensaio o Partido com Paredes de Vidro...

Abraço

Daniel Abrunheiro disse...

No negócio destes senhores, Pilatos, esse ao menos, saiu. Os vendilhões do templo e os policarpos do tempo, não. Mas se calhar é comunista dizer isto...

Eduardo Miguel Pereira disse...

Andam danadinhos para nos voltarem a dar a sua "caridadezinha" !!!

Vá de retro !

Antuã disse...

O Policarpo cada vez está mais Cerejeira.

trepadeira disse...

Só náuseas,o resto não posso escrever,por respeito a este blogue.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

Estava a começar a ler o teu post e a preparar o meu comentário:
"eu, por exemplo, nunca direi que a maioria dos padres são pedófilos".
Estou a ler e, no final, lá estás tu a tirar-me as ideias da boca! Assim, não tenho hipótese! Não posso comentar porque tu não me deixas margem para acrescentar nada!
Um abraço de Patas Negras mas limpas

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Quanto a mim, mais uma entrevista falhada do mais alto dignatário da religião católica apostólica romana, no dificílimo momento que Portugal e a maior parte dos Portugueses atravessam. Assim se vai 2favorecendo" o anti-social...

Justine disse...

Observação de "sua eminência" que, claramente, não foi inocente...
Só merecem desprezo!

Pintassilgo disse...

Estte vendilhão do templo só nos vende peixe podre.

Fernando Samuel disse...

Policarpo é um político da política de direita, muitos dos quais de «mãos limpas» não sabem nada...

Um abraço.

O Puma disse...

O don Policarpo político de almas

mas com interesses terrenos

falou como um papa

as-nunes disse...

Com estas eminências pardas não vamos a lado nenhum.

Nem ao ceu!
(Note-se que há quem escreva sem assento, talvez porque pensem que não têm hipótese nenhuma de lá chegar)

Olinda disse...

O Cardeal Policarpo sempre igual a ele próprio,salazarento e muito conhecedor dos valores dos seus amigos.A abstinencia sexual faz o homem muito mauzinho.

Anónimo disse...

Quem não fica enjoada com sua parda eminência,a sua politica e como querem a caridadezinha.
Bravo por este blog!
Saudações
Vicky