quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O TGV... à nossa moda


Antes do mais, devo esclarecer que me estou positivamente nas tintas para a ligação Lisboa/Europa, via Madrid, por TGV, para passageiros... por mais que isso entristeça os madrilenos, que assim já não poderão fazer de Lisboa a sua praia, como sonhou o genial ministro das obras públicas de Sócrates.
Já quanto ao transporte de mercadorias, o caso muda de figura. É evidente o interesse de uma ligação expedita, por comboio, para o escoamento de mercadorias de e para (por exemplo) o Poceirão, ou o porto de Sines.
Quando o PSD e Passos Coelho fizeram “voz grossa” e, mal entraram para o governo, cancelaram o projeto do TGV, num gesto dramático/teatral de belo efeito... a minha dúvida foi apenas uma: quanto tempo vão levar até tentarem dar a volta ao texto? Não foi preciso esperar muito.
Perante a pressão da realidade, de Bruxelas... e dos espanhóis (que estão tão carentes desse transporte para as suas mercadorias que se tivessem o dinheiro pagariam a parte portuguesa do seu bolso), o governo português já fala abertamente na retoma da coisa, embora numa versão mais curta (Caia/Poceirão), mais estreitinha e mais baratinha, tipo elevador de Santa Luzia, em Viana do Castelo, só com uma linha e cruzamento das carruagens a meio do percurso.
Para disfarçar, para fazer de nós tolos... ou seja lá para o que for, tentaram, como eu previa, dar a volta ao texto. Fazendo as delícias de qualquer humorista atento, o bom do TGV, num só dia, passou de “TGV” para “Velocidade Elevada”, mais à tarde já era de “Alta Prestação”.
Por este andar, ainda chegará a “Rapidinho”, a “Mais ou Menos Despachado”, vá lá... “Lépido”.

16 comentários:

Anónimo disse...

Hummmmm! Ah, ah, ah... Óh Samuel, vc não presta mesmo, mas tem muita graça!!!!


O chato do cost... vc sabe!;)))))

samuel disse...

Anónimo (00:23):

Finalmente, um elogio!!!
Não, não é a parte de ter ou não ter graça. É o "vc não presta mesmo".
Ainda bem... nesta altura do campeonato, você achar o contrário é que seria preocupante. :-))) :-)))

Maria disse...

ahahahahahahahah.... vezes 3.
- pelo post
- pelo anónimo
- pela tua resposta ao dito

:-)))))))

Abreijos.

Rogério Pereira disse...

Se é verdade que determinados interesses estão passando por elevado desnorte, e eu acredito que estejam, este poder vai reflectir isso entrando em sucessivas contradições. Muitos irão chamar incompetência eu ainda não encontrei a palavra exacta para definir o estado de alma dessa gente. Também não é importante... O pior é que somos nós a pagar.

Graciete Rietsch disse...

Realmente não prestas mesmo para apoiar este governo nojento e mentiroso.
O teu sentido de humor na crítica às palavras do 1ºM sobre o TGV é excelente, como sempre,e a imagem muito significativa.
Parabéns.

Um beijo.

Sérgio Ribeiro disse...

Boa, Samuel.
O lépido láparo...

(esse wc do costume é um chato mesmo)

Um abraço

trepadeira disse...

E eu que sempre tive esperança no tgv para os despachar em grande velocidade,sem paragens não vá ainda fugir algum,para ...,sei lá,escolham vocês o sítio.

Um abraço,
mário

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Penso eu que os Portugueses de entre muitas coisas que precisam é de uma de transportes complementar, que não compitam entre si (como é o caso de hoje...) e que sejam compatíveis com a "carteira" de debilitados cidadãos.
TGV será importante, mas ainda hoje tenho muitas dúvidas derivadas certamente da minha incultura, da sua verdadeira utilidade tal e qual o querem "apresentar". E que tal a renovação e consequente reactivação, de algumas Linhas ferroviárias que indiscutivelmente é um transporte muito mais barato, e até não é poluente, comparávelmente com o rodoviário?. Porque não se tem coragem política para tomar decisões assertivas em prol do bem comum dos cidadãos Portugueses?.

Antuã disse...

Bom seria despachá-los a grande velocidade.

gina henrique disse...

Sim concordo para despachar estes incompetentes só a grande velocidade e de preferência para a Madeira que deveria ser entregue aos credores por conta da dívida.

Anónimo disse...

Esta coisa do TGV só é possivel pela mania das grandezas, doença de que têm sofrido os nossos governos PS. PSD. e CDS/PP, que dançando, à vez nos têm desgovernado governando-se a êles. O nosso país é tão pequeno que, quando do Concorde, aquele super-avião se entrasse pelo norte, teria que começar a travar por alturas do Porto, porque, mesmo assim, poderia ir parar a Faro.
No TGV, a alta velocidade num país tão estreito, terão que começar a travar antes da raia, porque poderão ir cair ao mar, aí por alturas; sinceramente não sei de onde orque não sei qual o seu percurso ou se têm na manga algum alternativo.
Mas do que eu tenho realmente receio é da denominada "Alta Prestação".
É que com a crise em que vivemos. Com o que já nos é sonegado pelas sanguessugas de sempre, será que temos capacidade financeira para pagar mais uma "Alta Prestação" por um transporte que na realidade,
nesta altura do campeonato, só pode interessar a terceiros.
Digo; aos espanhois que são os primeiros; os segundos e os terceiros já devem estar na fila, com os bolsos bem limpos de cotão que é para ali caberem mais uns quantos milhões.
Na verdade, com governantes destes, não precisamos que venha alguem de fora governar-nos.
Como diria D.João d'Austria, antigo vice-rei da Flandres:
"Quanto mais pequena é a corte, mais ridicula é a etiqueta".

carol disse...

Bom! Este texto está de mais! E a imagem então, nem se fala!

José Rodrigues disse...

A imagem do carrito antecipa a chegada dos boches aos caminhos de ferro portugueses? É que os franceses da Transdev também estão na corrida ao pote...


Abraço

Olinda disse...

A imagem é o máximo´.Até já estou a ver o TGV a arrastar em alta velocidade a maison alternativa linha fora...

Anónimo disse...

Mesmo um "Rapidinho" mas muito grande ah!ah!ah!. Está uma delícia.
Vicky

Fernando Samuel disse...

Excelente!

Um abraço.