quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Os “avisos” do Presidente


(Imagem surripiada ao TVI24 online)

O Presidente da República, o senhor Aníbal Cavaco Silva, concedeu uma longa “enteguevista” à simpatizante, perdão... simpática “enteguevistadora” Judite de Sousa.
Como muito bem realçam “Os verdes”, tratou-se de um enorme “frete” ao seu governo. Como assinalam os comunistas, o homem transporta consigo um passado de que nunca se livrará... passado que o torna o natural garante de todas as políticas das troikas que nos governam.
Enquanto economista e governante, é, tal como sempre foi, uma fraude. Enquanto homem político, não tem o mínimo talento para mobilizar seja quem for, incluindo muitos dos seus correligionários.
Quanto às suas opiniões sobre os desvios orçamentais “encontrados” pelo actual governo, alguém devia dizer ao craque das contas que dois mil milhões não são dois biliões. A “Visão”, caridosamente, já emendou o título, mas, a menos que vão remontar e manipular o vídeo da entrevista, foi “biliões” que ele disse.
Quanto às suas opiniões sobre as políticas económicas e financeiras domésticas, europeias e mundiais... os muitos “especialistas” e (esperemos) alguém que realmente entenda do assunto, não deixarão de dizer o que acharem mais adequado.
Quanto a mim... fico-me pela sua “queixinha” mais recorrente, a de que se fartou de fazer avisos... mas que ninguém ligou. O quê? Não se lembram dos “avisos”? Parece mesmo que o estou a ver e ouvir, em plenos anos oitenta:
- Ó pra mim a destruir a agricultura e as pequenas indústrias ligadas aos produtos agrícolas!
- Ó pra mim a destruir as pescas e todas as pequenas e algumas grandes indústrias ligadas ao mar, como a construção naval ou as conservas!
- Ó pra mim a apostar tudo no betão e nas autoestradas, destruindo os caminhos de ferro e asfixiando as indústrias ligadas ao transporte ferroviário, como a SOREFAME!
- Então? Ninguém me liga? Ninguém ouve os meus “avisos”? Olhem que isto, daqui por uns anos, vai ficar “explosivo”... ou “insustentável”... e o diabo a sete...
Na verdade, ouvi-lo fazer estes “avisos”... realmente ninguém ouviu. Mas houve que reparasse no que ele estava a fazer. Houve quem previsse aonde levariam as suas políticas... e prevenisse. E avisasse. E tenha lutado contra elas.
Infelizmente, o gigantesco silêncio dos armadores pagos para abater barcos, dos agrários pagos para destruir culturas, dos empreiteiros pagos para construir mamarrachos, quase sempre por mais do dobro do orçamentado, dos “privados” que começaram a beneficiar dessa imensa burla das “parcerias publico-privadas”... gigantesco e ensurdecedor silêncio apenas quebrado pelo tilintar dos rios de dinheiro com que a “Europa” foi comprando a nossa actual e miserável dependência, não deixou quase ninguém ouvir os avisos, ou ver os sinais.
Sim, na verdade houve quem, incansavelmente, avisasse... mas não foi este calhordas!

14 comentários:

do Zambujal disse...

Esta é a cara chapada de um certo típico de cidadão que surge oportunisticamente ao serviço dos "senhores" e se julga um "senhor".
Um homem tão cheio de si que é um vazio completo.
Como de costume, o teu "post" acerta inteiramente no alvo.

Um grande abraço

Fernando Samuel disse...

Sabes o que te digo?: o calhordas está cada vez mais na mesma.

Um abraço.

Antuã disse...

Dentro daquela caixa craneana só existe esterco.

trepadeira disse...

Tantos avisos,isso mesmo,"é preciso avisar toda a gente",que queremos o país de volta,que esta gentinha não presta,que o conde andeiro já devia ter andado.

Um abraço,
mário

Post scriptum (não é erudição,é por causa das confusões):
Estou areceber um aviso quando abro o blogue do internet explorer,dizendo que bloqueou os contéudos com erros de certificadode segurança.
Não acontece nada,estou a ignorá-lo.
Também parece ao abrir outros blogues,todos merecedores da minha confiança.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

A quem espanta que Aníbal Cavaco Silva, diga o que vai dizendo, e tendo a audiência que tem?.
ELES têm o poder por agora...

O Puma disse...

O sr Silva o Alberto o Coelho

são o espelho degradante

do estado do país

carol disse...

O calhordas disse aquilo que este povo tapado e cinzento quer ouvir - que a culpa de tudo foi do governo anterior. E pronto(s)!

relogio.de.corda disse...

Não gosto do Cavaco, ponto final parágrafo. Nunca gostei.Se este homem é economista, de doutoramento na mão e feito na terra de sua majestade, eu vou ali e já venho, porque não parece mesmo nada. Um autêntico totó!
P.S.) Mário Trepadeira, essa do aviso de virus e outras ameaças na abertura de blogues, foi (ou é) uma situação de que muita gente se queixou a semana passada. O meu foi um deles. Não sei o que passou ou passa.

Anónimo disse...

Bom dia
Uma coisa é não se gostar de alguém, outra é iventar, que neste caso é como quem diz, mentir descaradamente, por ignorância, ou, segundo parece, por má vontade.
Não venho defender cavacos nem cavacas, mas sim repor a verdade, em relação a uma questão. Quanto aos outros temas não sei, mas em relação à agricultura, é PURA MENTIRA, aquilo que diz, embora já o tenha dito tantas vezes que parece verdade. Só existe um problema para si, qualquer agricultor pode aferir a verdade.

Até mais e que amnhã seja o primeiro de muitos dias "produtivos";)

samuel disse...

Anónimo (09:04):

Fique então "a jeito" para o próximo 10 de Junho... que bem "merece"... :-)))

Anónimo disse...

Ahh, Ah, pois mereço, bem visto. Mas não se preocupe, eles vão conseguir arranjar pior...
Mas se tivesse sido eleito o Francisco Lopes talvez se lembrassem mesmo de mim....:)))))))

samuel disse...

Anónimo (13:50):

Não se abespinhe... foi apenas uma piada.
Está no seu mais que legítimo direito de gostar de Cavaco Silva... ou, mais precisamente, das coisas maravilhosas que ele fez pela agricultura.
Alguém teria que votar nele... mesmo sendo apenas pouco mais do que vinte e três por cento dos eleitores inscritos.
O que não percebi é porque cargas de água, a ter ganho o Francisco Lopes, alguém se haveria de "lembrar de si". :-)))

Anónimo disse...

Ò Samuel, todo o meu comentário foi apenas humor.
E eu não disse que cavaco fez coisas maravilhosas pela agricultura, nem perto disso, só disse que não foi no tempo dele que a agricultura foi destruida, dá para perceber? Ou vive em Portugal, há pouco tempo??? ;)

samuel disse...

Anónimo (14:49):

Ah... então deve ser isso.