sábado, 24 de setembro de 2011

Madeira – A obra (pelo menos alguma...)


A revista “Visão” electrónica teve a amabilidade de me enviar um mail com uma lista de cinco das obras mais maradas do “jardinismo. Lá está o túnel cujo único resultado até hoje foi a destruição de um lençol freático que, desde há cinco anos corre diretamente para o mar, desperdiçando milhões e milhões de litros de água doce. Lá está a marina milionária... sem um único barco, mas já várias vezes reconstruída, etc., etc.
Se tivessem dado mais uns passos, teriam visto o espantoso helioporto – como Jardim lhe chama – onde, segundo consta, nunca se viu nenhum heliocóptero (provavelmente, porque não existem); teriam visto igualmente as grandes e arejadas “zonas industriais”, em que não se vislumbra nenhuma empresa...
A “Visão” falava, à hora a que foi para as rotativas, do buraco de dois mil milhões. Não tinham ainda ouvido Jardim, que aproveitou para chamar à dívida uma “coisinha de nada”, admitir que, entre a escondida e a que tem o rabo de fora, a tal dívida deve ultrapassar os cinco mil milhões de euros. Mais umas horas e poderiam mesmo ter ouvido o novo apelo/provocação à independência da Madeira.
Não tenho grandes comentários a fazer, até porque não sei o que possam ser cinco mil milhões de euros; mas, meus amigos e amigas... aquilo vai muito para lá do “fazer obra”; aquilo é obrar! Em tudo e todos.

11 comentários:

Maria disse...

O homenzinho nem português sabe. Também ouvi a do helioporto e comparar a 'coisinha de nada' ao metro do Porto...
Escafedeu-se, mas vai ganhar :(((
(e nós todos a pagar)

Abreijos

trepadeira disse...

Ganhará.Mas já não ganhará para o susto.
Já abana,pode ser que alguma rabanada de vento o tombe.

Um abraço,
mário

Olinda disse...

Nao Há palavras para classificar a
"coisa" e a sua obra escandalosa.
Bom fim de semana¡

JP disse...

ahahah "aquilo é obrar!", muito bom!

O Samuel anda inspirado, valha-nos isso para não perder o sorriso face à miséria que é ter que aturar este personagem.

Obrigado!

Justine disse...

E como cheira mal!
Abraço

Fernando Samuel disse...

Jardim obra por todos os buracos disponíveis...

Um abraço.

Luis Filipe Gomes disse...

Têm também é de procurar as propriedades e as obrazinhas que ele tem no Brasil. O Brasil tem uma longa tradição de não extraditar portugueses a pedido da Justiça ou da Injustiça Portuguesa vigente. Vai daí quem poderá negar que os helioportos e a marina não são para ele zarpar à pressa em caso de necessidade? O "Sô Silva" e o "Esse não sei quem é" que agora é primeiro ministro, devem estar a gozar a sua vingança fria com os apuros do títere que faz de Bokassa na Ila da banana.
Lamento esta tristeza com os Madeirenses Honestos, Trabalhadores e Pobres. Com eles me sinto insultado e sou também madeirense.

Anónimo disse...

Chiça, alguma vez havia de raciocinar como as pessoas e esquecer por um bocado a "monomania" zarolha!

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

No estado actual do conhecimento da "actuação" de A. J. J. à frente dos destinos do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira, só me interessa como devedor que ele é e seus sucessivos acompanhantes governativos, pagam o que devem à República Portuguesa.

Graciete Rietsch disse...

Não há um ditado popular que diz "com papas e bolos se enganam os tolos"? E bem tolos são se continuarem a apoiar o Jardim.

Um beijo.

César Ramos disse...

Diria ainda que, aquilo é tudo - um grande bico de obra!