sábado, 26 de novembro de 2011

Madeira – Independência sim, separatismo não!






Com uma História, uma identidade, uma língua e uma cultura próprias e distintas, o povo ibérico da Catalunha tem sentimentos bastante “fortes” quanto à sua “pertença” à Grande Espanha. Sobre esse problema, tem tomado as mais diversas atitudes, sobre as quais só poderá tomar partido (a estar interessado em tal) quem conheça minimamente aquela realidade.
Uma das palavras de ordem do povo catalão, criada com o acerto que cada um ache por bem atribuir-lhe, é: “Independência sim, separatismo não!”
Inspirado pelo grande paralelismo histórico entre a Catalunha e a Madeira, já que são sobejamente conhecidas tanto a História, como a cultura, como a língua daquele arquipélago, História, cultura e língua que o distinguem, radicalmente, do todo que é Portugal... um tal Miguel Sousa, que conseguiu chegar a vice-presidente do PSD-Madeira, depois de recitar várias das baboseiras típicas de Jardim, sobre o “contenente” e o “colonialismo” de Lisboa, decidiu adoptar a tal palavra de ordem catalã... e aí vai disto: 

...o que, podendo parecer uma coisa ridiculamente triste, é afinal um sinal de esperança para quase todos os grandes imbecis, que assim vêm provada a sua chance de também poderem chegar a lugares e cargos normalmente considerados importantes.

10 comentários:

trepadeira disse...

São à imagem e semelhante do chefe.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

"de também poderem chegar a lugares e cargos normaçmente consuderados importantes ", cargos esses onde nunca chegariam dada a sua imbecilidade, incapacidade intelectual bem como a inaptência para governar de que têm dado sobejas provas, ainda que governar tivessem que o fazer apenas nas Selvagens.
Poderemos pensar o que fariam se tivessem que governar a sério.
Governariam colonizados e a mando de quem?

carol disse...

Só fulanos muito estúpidos e ignorantes é que podem pertencer àquele bando de energúmenos do PSD Madeira!

Por mim, em relação à Madeira seria independência JÁ!!! Ou mesmo (apesar da consideração que tenha pelo povo simples e de coração puro) deixá-los à deriva no meio do Atlântico!

Pata Negra disse...

Deixem de ver a Madeira como uma coisa distante! Estamos quase a chegar à Madeira! Os que uns fazem lá pelo ridículo, outros fazem-no aqui pela calada! E calo-me porque já estou a dizer cá e lá, quando, não é por um abcesso local, localizado, que não somos um povo único, unido, do Atlântico a Barrancos!
Um abraço português de qualquer parte

LAM disse...

Samuel, pode haver alguma dose de ignorância minha, admito, mas não estou a ver similaridades entre os casos da Madeira e da Catalunha, ou do País Basco por exemplo, no que diz respeito à diferenciação histórica/cultural/linguística. Ao contrário da Catalunha,País Basco ou Galiza já agora, a maior "fronteira" no caso da Madeira é tão só a geográfica.

samuel disse...

LAM:

Não há ignorância... apenas distracção. :-)
Não está a ver as similitudes... nem língua, nem identidade, nem História próprias... porque pura e simplesmente não existem!
Foi o que quis dizer com este post.
Daí o ridículo da apropriação do slogan catalão por parte do parvalhão do vice-presidente do PSD-M.

Fernando Samuel disse...

mas olha que aqui pelo contenente também abundam os sousas, jardins & Cia...

Um abraço.

LAM disse...

Tem razão, não topei a ironia da coisa e meti a pata na poça.
;)

O rural disse...

Tudo se complicou há 36 anos.

Dizia Mário Soares quando apressadamente «libertou» Caboverde, justificava que em democracia é assim, se o Algarve quer ser independente temos que lhe dar a independência.
Claro que M.S. devia estar com medo que os Caboverdeanos ficassem «pendurados».

Esqueceu-se da Madeira.

Anónimo disse...

NÃO ENTENDO ESSE DOGMA DE QUE A MADEIRA TEM QUE TER UMA ETNICIDADE PROPRIA PARA SE SEPARAR..BASTA COMPROVAR QUE LISBOA NÃO É BOA O SUFICIENTE PARA OS INTERESSES DOS ILHÉUS E ESSES SE AUTO-DETERMINAREM..SIMPLES ASSIM..AS URNAS DEVEM PREVALECER E NÃO OS DESMANDOS DA CAPITAL..E O MESMO VALERIA PRO NORTE, ALGARVE, ALENTEJO, ETC..