segunda-feira, 17 de junho de 2013

Greve – O ministro e os moluscos



O miserável acanalhado que, por estes dias, ocupa o lugar de ministro da Educação, afinal sempre tinha outra data para os exames!
O miserável acanalhado que, por estes dias, ocupa o lugar de ministro da Educação, ressabiado com o resultado da greve, que esperaria um fracasso, à força da porca demagogia e mentiras que foi bolçando diariamente até à última hora, não resistiu à insolência de saudar os (poucos) que traíram os seus colegas (camaradas é outra coisa!) de profissão.
O miserável acanalhado que, por estes dias, ocupa o lugar de ministro da Educação, não resistiu à tentação de aumentar ainda mais a área de “terra queimada”... vindo, publicamente, insultar os professores que fizeram greve, ao classificar, por contraste, aqueles que furaram a greve, como “profissionais dedicados”.
Nuno Crato, que chegou a ser uma “esperança” para uns poucos, não consegue disfarçar o ódio que tem aos professores e à escola pública. Não consegue disfarçar o monumental fiasco que é a sua passagem pelo Ministério.
Mas, já que estamos em maré de saudações... também eu quero “saudar” os moluscos que furaram a greve, nalguns casos gente que nem sequer estava convocada e se deslocou propositadamente às escolas para trair a luta dos seus colegas de profissão.
Se algum destes moluscos vier, num futuro próximo, a recusar qualquer benefício conseguido pela luta e firmeza dos sindicatos, que resultem num recuo da parte do governo, preferindo alombar com o aumento de horário, cortes nos salários, deslocações de centenas de quilómetros para trabalhar, despedimentos, etc., etc... então cá estarei para aplaudir.
Se algum destes moluscos vier, num futuro próximo, recusar qualquer benefício conquistado pela luta e firmeza dos sindicatos, declarando publicamente que só devem ser contemplados aqueles que lutaram... então cá estarei para, também eu os saudar, mas dessa vez sem aspas, com o compromisso de retirar o “moluscos” com que hoje os baptizo e com um muito admirado respeito pela sua opção e coerência!

27 comentários:

Anónimo disse...

Os profs podem ter razão. O ministro faz parte da merda de gente. As pessoas são livres de fazer greve ou não. Os comunistas não podem obrigar nem insultar ninguém por isso. Os comunistas não são os únicos defensores dos trabalhadores nem podem pôr bandeiras do PC em porra de sítio nenhum. Para vocês uma greve parece mais uma festa que um assunto sério. Agora é a guerra dos noºs. O costume. Eu fiz greve mas não admito que alguns "camaradas" tentassem impedir a entrada dos "colegas". Vai ser o PCP que os vai manter no emprego precário? Metam acções nos tribunais. Entupam-nos. Não façam tanta chantagem como o fdp do governo lhes faz. Nem todos estão à beira da reforma como eu, sabia?

samuel disse...

Anónimo (17:29):

"Nem todos estão à beira da reforma como eu, sabia?"

Não, não sabia, anónimo!
Como é que queria que eu soubesse, anónimo?
O anónimos tem noção de quanto é difícil acompanhar os pormenores da vida dos anónimos? :-) :-)

Alías, também não entendi grande coisa desta arenga meio emaranhada do seu comentário, para além de um bem arreigado anticomunismo.

Quanto a essa calúnia já velha do "pra vocês uma greve é uma festa"... nem preciso de lhe dizer onde a deve enfiar.

Saudações.

Anónimo disse...

Costume ler o seu Blog, é até um dos meus preferidos, mas acho que o senhor defende só e apenas tudo o que é função pública, no que respeita ao sector privado que são os que estão desprotegidos e os mais vulneráveis e também são os que estão no desemprego e com fome o senhor pouco ou nada fala.
Pelo que se vê é normal nos partidos de esquerda. é o que têm feito toda a vida, será por não poderem chegar ao sector privado? que actuam dessa forma? deixem lá o sector público, olhem mais pelo privado que é a única fonte de receita que este ou outro país tem.
O sector privado e os seus empregados estão todos na miséria, mas vocês só olham para o público.
A constituição até os protege, diz que é inconstitucional despedir um funcionário, mas para o privado está quieto, eu também sou de esquerda, mas sei ver de que lado está a razão. O sector público são uns privilegeados, ao contrário dos do privado.

Pintassilgo disse...

Acredito tanto que o anónimo grevista seja professor como acredito nos animais de raça Cavaco.

Anónimo disse...

acredito que o Samuel, um dia que o PCP fosse governo que defenderia que os muluscos fossem extraditados para uma siberia qualquer ou fossem colocados no quadro especial de mobilidade?

samuel disse...

Anónimo (17:46):

"também sou de esquerda"

Pois… e também não é o primeiro a dizer-se de esquerda, mas que demonstra na prática e no que diz pela boca fora, ser apenas mais um reaccionário.

Esse ódio vesgo aos trabalhadores do sector público é apenas um dos sintomas.

OLima disse...

Cada vez gosto mais de anónimos corajosos que usufruem das amplas liberdades conquistadas no 25 de abril de 74.

samuel disse...

Anónimo (18:00):

Caro anónimo… e eu acredito que você acredite. Vamos ficar então na dúvida sobre o que aconteceria…

Pelo conteúdo do seu comentário (embora a forma também não ajude) fico com uma certeza: o que quer que seja que o meu amigo esteja a fumar… é forte pra caraças!!! :-) :-)

Luis Ferreira disse...

Desses moluscos e outros invertebrados não reza a história são isso mesmo. A razão veio ao de cima a Luta dos professores finalmente está a começar e esta greve foi demonstrativa disso. A greve não é para os professores não trabalharem e, até deixam de receber, porque o trabalho vai por eles ser feito e por vezes noite dentro em casa e na escola.
Conheço muitos professores que hoje fizeram greve e que gostam do que fazem, os seus alunos brindam-nos com a alegria de terem boas notas e até digo mais brindam-nos por serem os melhores nos cursos por onde passam e esses professores que são a maioria dos nossos professores querem um ensino digno e que os respeite e lhes dê condições de trabalho e não a escravatura.
Há muito boa gente que fala mas nada diz, só baboseiras.
Um abraço amigo Samuel

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Crato (...o ainda Ministro) é um péssimo exemplo educativo, quanto mais de orientador de políticas para a Educação. Quem o "viu" e quem o vê, mas o certo é que o tempo mostra a verdadeira face dos "políticos contorcionistas", e amantes do poder...a qualquer preço.

Provoca-me disse...

Houve fura greves professores que eram destacados para os exames. Mas os outros que compareceram que não tinham o dever de se apresentar, são os tais moluscos que refere? E essas cavalgaduras não podiam ter também coragem de faltar?!

augusta disse...

AOS PROFESSORES que souberam ser Professores, aos que lutam pela escola pública e de qualidade, pela dignidade da profissão docente, PARABÉNS! A luta continua!
Aos outros...
anda por aí uma declaração para prescindirem de tudo quanto com esta luta possamos vir a alcançar. Aguentem e, se ficarem sem trabalho, não recorram aos sindicatos nem se atrevam a lamentações. E já agora, a propósito. No tempo da inesquecível e sinistra MLR, quando fomos todos para a rua, uma jovem professora da minha escola abordada para as inscrições nos autocarros, respondeu-me “sáaaabado…. uiii.. ninguém me apanha fora da cama antes da uma”…. Quem sabe, ainda se lembra destas palavras, tem tido a partir daí todo o tempo do mundo para nelas pensar e ...dormir!

Aos que sem qualquer vergonha de fora vieram, aos elementos de direcção súbitos vigilantes tornados… estudantes amontoados em refeitórios, às provas a decorrer e já conhecidas cá fora, a quem dignidade não tem… ao senhor crato e afins… nojo!

de anónimos que por aqui aparecem nada digo. são isso mesmo...

Quanto ao post. Gosto. Subscrevo. Partilho.
Obrigada, Samuel.

Graça Sampaio disse...

Concordo com cada palavra do que hoje aqui ficou escrito contra o ministro (C)rato e quejandos. Mesmo que seja utilizada uma linguagem de insulto próxima do jargão. Mas... por muito menos, mesmo muito menos, fui aqui há dias por si apelidada de tendenciosa e aconselhada a ir ao psiquiatra...

Fique bem, Cantigueiro!

samuel disse...

Graça Sampaio:

Admito que a linguagem que (por vezes) utilizo, não me ajude a algum dia transpor a porta da Academia de Ciências... nem como visitante.

Seja como for, hoje não não vou apelidá-la de coisa nenhuma, amiga (pronto! Um descuido!!!) :-) :-)

Hoje... está em estado de "Graça"... :-) :-) :-)

Anónimo disse...

Neste, e noutros blogs, por vezes vejo comentadores a criticarem outros pelo facto de se identificarem como ANONIMO.
Por mim, não vejo mal nenhum nisso, eu próprio o faço nalguns blogs que estou a seguir , pois não tenho blog nem facebook ou coisa do género e o meu nome não diria nada aos leitores.
No meu ponto de vista, o importante é fazer comentários dentro das regras de boa educação embora sem prejuízo de diferença de opiniões!
Já agora, aproveito para manifestar o meu apoio aos professores em greve, embora há anos atrás, quando os vi, por causa da avaliação, em grandes manifestações de braço dado com toda a direita, vi logo que estavam a dar um tiro no pé.E pelos vistos alguns ainda não aprenderam, pois continuam por aí a chamar sinistra a MLR. Agora estão melhor com o Crato!
Não, por acaso nem voto no PS, já sou sexagenário e sempre votei mais à esquerda. Mas, nalgumas situações nem sempre estou de acordo com o Partido em que voto, e manifesto a minha opinião.

Anónimo disse...

Augusta, olhe que ouviu mal, a jovem professora o que lhe disse foi que "uii!! ao sábado ninguém me apanha fora da cama antes de uma ...."

samuel disse...

Anónimo (22:36):

Caro anónimo.

O problema não está no anonimato… mas no que se faz com ele (onde é que ouvi isto?)

Pessoalmente, divido os comentários anónimos em três grupos:

1- O anónimo apoiante e elogioso… que pode optar pelo anonimato por discrição, acanhamento, ou modéstia.
2- O anónimo que comenta, a favor ou contestando, dentro do que o amigo chama "dentro das regras da boa educação"… e que estão no seu direito de manterem a sua privacidade.
3- O anónimo que quase sempre nem se interessa por comentar ou contestar o tema do texto, limitando-se a, escondidos strás do anonimato, bolçar insultos, fazer propaganda fascista, dar vivas a salazar, deixar frases xenófobas ou ameaças físicas.

Estes últimos não são discretos, nem acanhados, nem modestos, nem usufruem de qualquer direito. São apenas porcos e cobardes.

Ah… e já agora… o tempo que entretanto passou, não tornou a MLR menos sinistra do que realmente era. :-) :-)

Saudações.

Provoca-me disse...

Os ministros da educação não passam a ser bons só porque houve alguém que fez pior do que eles. Tal como outros ministro e os governos que temos tido depois do 25 de Novembro o orgasmo para o Mário Soares e muitos da mesma laia.
A diferença entre esta nova ditadura portuguesa e europeia é que não precisa de ter a mesma pessoa durante muito tempo, basta mudar umas cabeças para tudo ficar na mesma ou pior.

Mário Carvalho disse...

Hoje, dia do exame de Português, gostei particularmente daquele bocadinho em que o "anónimo" falava dos "muluscos"! Por momentos, hoje o Crato tinha um motivo para esboçar um sorriso...

Antuã disse...


Será que houve mesmo exames que foram bigiados por pessoal auxiliar e até por pais?!... Eu se tivesse votado neste governo punha-me debaixo do combóio.

Anónimo disse...

Ora bem, acerca da greve... Upsss, já foi ontem!
É por isso que as greves são boas, no dia seguir já ninguém fala delas, ficou feita a "conquista", que alguns "traidores", não ajudaram a conquistar!! -) :) ;)!

PS: Mas o Sr. Mário Nogueira, esse grande professor, quem o viu e quem o vê, isto dos sindicatos, é um "tachinho" muito bom...

samuel disse...

Anónimo (02:03):

Pobre pedaço de asno! :-) :-)

Medronheiro disse...


Os suínos anónimos que aqui vêm não servem nem para uma chispalhada.

anónimo disse...

suínos anónimos que aqui vêm?

essa é boa...

e você é quem? suíno? anónimo? ou só medronheiro? e medronheiro é nome? da parte do pai ou da parte da mãe?

ó medronheiro você não é tão anónimo como eu ou neste blog há anónimos que não são anónimos?

samuel disse...

Anónimo (23:36):

Bom ponto! :-) :-) :-)

A seguir, "serve" o Medronheiro…

Anónimo disse...

Chamar canalhice a isto é pouco. Eu diria antes filha da putice. Os fura-greves deviam ser os primeiros a irem para a rua, os que alinham com este governo de fachos não querem saber da educação nem dos alunos para nada. Só querem ver se mantêm o lugarzinho ou se o sr. director lhes arranja um horariozinho melhor. Sousa- Benavente.

Graça Sampaio disse...

Ok! está desculpado! Mas não volte a dizer que eu sinto um "anticomunismo primário" porque isso não é nem nunca foi verdade!

Eu que até (ainda) sou militante do PS até já uma vez votei PC para a Câmara de Leiria, imagine!...

Ah! E até tenho familiares militantes do PC... 8por acaso um miúdo bem inteligente...)