terça-feira, 25 de junho de 2013

Rui Tavares – Muito provavelmente... um génio incompreendido!


Num exercício já habitual em si, o de ir dando marteladas em que o balanço entre as que acertam no cravo, na ferradura, ou em parte alguma, é sempre bastante difícil de fazer, o eurodeputado “independente” que foi eleito com o programa e os votos dos eleitores do BE, mas que depois mandou o BE às malvas,“esquecendo-se”* de devolver o lugar de deputado... veio defender a necessidade de que apareça na cena política portuguesa mais um partido. À esquerda, defende ele. Que não tenha vergonha de dizer em público o que os outros dizem nos corredores, especifica.
Enquanto guardo para outra altura a apreciação, deslumbrada, desta nova e genial ideia para unir a esquerda que for “unível”... acrescentando mais um partido à equação, em vez de construir pontes sobre as dificuldades históricas e inegáveis que existem entre os actuais, gostaria de, por mero exercício, corresponder ao desafio de Rui Tavares, dizendo também em público o que alguns ex-companheiros de partido e conhecidos vários, muito provavelmente, dizem dele nos corredores:
“Olha o espertalhaço do Rui Tavares a ver se arranja um partido em que possa ficar no topo!”
“Mas para que é que este quer outro partido? Para também o burlar com mais uma eleição para o Parlamento Europeu... e depois pôr-se a milhas com o lugar e o chorudo ordenado?”
“Ouve lá... o facto de um historiador estar constantemente a pôr-se em bicos de pés para ficar na História, não poderá ser considerado batota?”
“Contribuirá assim tanto para a unidade que diz defender, o facto de Rui Tavares estar constantemente a denegrir aqueles que estão, há muitos anos (mais do que os que ele tem de vida), à sua esquerda, em escritos e dichotes que, no lugar da salutar troca de ideias, roçam quase sempre o anticomunismo vesgo e primário?”
E poderia continuar eternamente, já que se há lugar em que realmente se fala pelos cotovelos... é nos corredores!
* Eu sei que, legalmente, o lugar de deputado pertence ao deputado eleito e não ao partido que o convidou, que mobilizou meios financeiros e humanos para a sua eleição e que dá a cara, todos os dias, pela coerência da sua prática, sempre posta em causa por comparação com o seu programa eleitoral.
Desculpem-me a opinião provavelmente “politicamente incorrecta”... mas defendo que não deve ser assim! Um deputado que (no exercício da sua liberdade) se afaste do programa político com que se comprometeu em eleições, deve entregar o lugar ao partido que o levou a esse lugar.
Isso é que é liberdade de pensamento! Ficar com o lugar, à força, é oportunismo e falta de vergonha na cara!

25 comentários:

Anónimo disse...

Sugestão para o nome do tal partido, para vêr se o logro pega: "Tavares Pobre".

Rui Silva

Provoca-me disse...

Mas como é que esta ave rara não foi aproveitada pelo Papa Soares? Já que os dois são peritos em mamar e trair. Que estranho.

Pedro Marques

Maria disse...

Tou fartinha destes gajos todos.
(e de outros também...)

Abreijo.

Agente da CIA disse...


Samuel,

Como sabes, eu sou um agente da CIA.

Portanto, não me interessa o que a esquerda faz ou fez. O que me interessa apenas é destruir a esquerda.

Mas deixe que lhe diga, penso que a esquerda está a ser muito burra em não se unir. Juntos podiam realmente fazer alguma coisa, mas separados nunca hão-de chegar a lado nenhum.

Cumprimentos,
Agente da CIA

Anónimo disse...

este perdeu, definitivamente, a vergonha na cara!

Graciete Rietsch disse...

Eu acho que se um deputado foi eleito por um Partido é porque se comprometeu com um programa e portanto tem obrigação de o cumprir ou então abandonar o cargo. Até os que se dizem independentes estão ligados a uma ideologia e não devem ser apoio de quem e quando for necessário.
Mais um partido"de esquerda" para prejudicar a verdadeira esquerda? Não!!!

Um beijo.

Provoca-me disse...

Obviamente que um agente da CIA vai divulgar aos 7 ventos que é um agente da CIA.

Pedro Marques

José Rodrigues disse...

Glosando o José Barata Moura diria que;A palavra esquerda/A muitos fica bem/E sobretudo faz geito/A certos filhos da mãe...oportunistas!


Abraço

trepadeira disse...

E,como não está com a pata quieta,acerta sempre na ferradura.

Abraço,

mário

Antuã disse...


Oportunistas e imbecis que gostariam de ser agentes da CIA é o que mais há.

João de Sousa Teixeira disse...

Há muitos anos, conversava eu com o meu querido camarada Joaquim Pires Jorge sobre este “fenómeno” e ele ensinava: Isto é mesmo assim, João, é da história, em tempos de crise aparecem sempre estes acrobatas, desejando protagonismo, que provocam cisões onde se enquadram, formam um partido com cinco apaniguados, dois são do comité central, para em seguida voltarem a dividir-se até que se extinguem sem deixar rasto.
Depois, com uma das suas mãos enormes, batia-me nas costas e concluía: não te distrais com isso.

samuel disse...

João de Sousa Teixeira:

"Não te distraias com isso"... é muito bom!!! :-) :-)

Anónimo disse...

Já há tempos, li em qualquer lado, que o PCP esteve na origem e apoiou a criação do PRD, com o objectivo de dividir o PS ao meio! Será verdade?

Júlio Resende disse...

Bom, bom era acabar de vez com todos os partidos políticos.

São todos parasitas da sociedade. Uns chulos.
O legado dos partidos políticos em Portugal é miséria, intriga, roubo, esbulho, engano, gozo, alta traição á pátria, venda de património nacional.
Todos sem excepção(Tirando talvez o PNR) são uma cambada de oportunistas e enganadores.

Os da Direita querem mamar e enriquecer á grande á custa de trabalho quase escravo e pago com cascas de alho.
Os da esquerda, usam os trabalhadores apenas para cavalgar divergências sociais e intriga, mas estão-se nas tintas para os mesmos.



Medronheiro disse...


Anónimo das 14:48 esteja descansado porque não é verdade. O promotor desse partido sempre apoiou o Cavaco.

samuel disse...

Júlio Resende:

Claro, Resende!!! Então não se está mesmo a ver, Júlio?

Para quê eleições… e essas maçadas? O que faz falta é alguém que mande! O que faz falta é um génio com um nome que comece, sei lá… em "sal" e acabe em "azar"…

O legado do "botas", que também não acreditava em partidos ("tirando talvez o PNR") foi a prosperidade, o prestígio internacional…

A existir a oportunidade de voltar ao poder um furúnculo daquela estirpe, não duvido que haja uma boa mão cheia de "júlios resendes" prontos a lamber-lhe as botas...

Júlio Resende disse...

"o prestígio internacional…"


Ai que barrigada de riso. Esta foi demais.

Agora sim temos prestigio internacional. Você agora parecia o Gaspar a falar.

Agora sim temos prestigio internacional. Pois, a pagar com o nosso trabalho e suor aos usurários internacionais, os super-ladrões da banca que é uma máfia internacional que leva tudo á frente.

Olhe que o "Botas" nunca deixou os FMIs e Troikas meter cá as patas porcas. Gente porca esta gente que com umas manobras financeiras metem um pais de joelhos.
Bela porcaria de democracia, se ela é mais totalitária que um regime de cariz patriótico e protector dos interesses nacionais.

samuel disse...

Júlio Resende:

Presumo que deva estar convencido de que tem um jeitaço para baralhar coisas que não são misturáveis… mas não tem. A sua intenção de propaganda do neofascismo é pedestremente óbvia e ultrapassa largamente o seu proclamado desamor pelo capitalismo selvagem que os seus amigalhaços impõem aos portugueses.

Se pensava que com pezinhos de lã poderia continuar a aqui vir cantar loas ao fascismo… engana-se.

Pelos bons modos, esta passou, mas não vale a pena insistir.

Se tem assim tantas saudade de salazar… temos pena! :-) :-)

samuel disse...

Júlio Resende:

Qual foi a parte do "não vale a pena insistir" que não entendeu?
Foi distracção... ou falta de esperteza? :-)

Júlio Resende disse...


Pronto, já avariou!!! Já começou a deitar fumo!!! Foi?

Deita-se um pouquinho de verdade e pumba, fica tudo desconjuntado.....

Medronheiro disse...


Júlio resende ou Chúlio Resende?!....

samuel disse...

Júlio Resende:

Não se auto-iluda nem se arme em Calimero, Resende.

As pitadas de "verdades" que de forma sonsa e hipócrita mistura no caudal de lixo que é o seu discurso pró-fascista... não chegam para evitar o asco!

Logo, não se trata de ficar a "deitar fumo", nem de "pumba" de qualidade nenhuma... apenas uma questão de higiene.

Infelizmente, vejo que você não consegue entender um conceito tão simples como "ir andando já que aqui não é bem vindo".

Anónimo disse...

O problema do Rui Tavares é o narcisismo desmedido e exarcebado, passe a redundância, claro, próprio da fauna que floresce nas redes sociais.

Primeiro foi o Barnabé onde o RT esteve bem

Daí veio um ou outro livrito do RT, ok

Depois veio a colaboração no publico onde o RT vai debitando banalidades e fazendo de conta que é um intelectual.Nós, a meia dúzia que por caridade ainda lemos o público, fazemos de conta, sempre com alguma caridade tb, que o RT é intelectual...adiante.


Depois veio o grito de ipiranga saloio do RT relativamente ao BE, conclusão, estão bem um para o outro, RT + BE, faz-me lembrar que o amor é mesmo eterno, enquanto dura, claro...

Pelos vistos o RT quer um novo partido de esquerda, para ele ser o presidente, claro, mais um partido de esquerda, zero virgula zero qualquer coisa. ninguém tem a caridade de. lhe explicar o que é o princípio de peter e que olhar para o lago e ficar deslumbrado com o que se vê dá sempre resultados desastrosos?


Vasco Reis disse...

Qual esquerda? A de Stalin? a de Mao
ou a do Enver? Tambem temos a do Trostky e a do Togliati para já não falar da esquerda com paredes de vidro e a do sr Lenine,depois é preciso saber se é a do KGB a da Stassi ou a dos Kmers vermelhos.Com a direita tambem não vamos lá,temos a Cia o M6 e a Pide que Deus tem.
Deixem lá o homem juntar os amigos.

Luis Filipe Gomes disse...

Estive para comprar o livro que ele publicou sobre o Terramoto de 1755, mas depois não tive ocasião. Ele parece que é especialista... no terramoto... ou tornou-se.