segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Electricidade – Fascismo económico




Desculpem-me a crueza do título... mas, francamente, não sei o que chamar a esta realidade espanhola, respaldada por uma nova lei, segundo a qual, como se não bastasse a posição dominante no mercado da gigantesca empresa eléctrica espanhola, qualquer cidadão ou empresa que seja apanhada a auto-abastecer-se de energia eléctrica, recorrendo, por exemplo, a placas solares, sem pagar uma taxa à Iberdrola... pode estar sujeito a uma multa capaz de atingir os sessenta milhões de euros... uma ameaça perfeitamente terrorista.
Ou seja, a Iberdrola conseguiu convencer o estado espanhol... a privatizar o Sol!!!
Espero bem que esta notícia não dê ideias ao inefável ex-pseudo-comunista que dá pelo nome de Pina Moura, representante em Portugal dos interesses da Iberdrola... ou ao baronete António Mexia, da EDP, ou aos delinquentes que temos instalados no Governo!!!

7 comentários:

Provoca-me disse...

Estes actos têm de ser respondidos à força da violência.

Graciete Rietsch disse...

Já não basta a água. Agora é o Sol, a nossa Estrela, que nos dá a vida, sem nada pedir em troca!!!!
Com que direito se apoderam dele!!!

Um beijo.

Fernando Torres disse...

Porque não pega no tema dos incêndios, com base no meu texto e a notícia do DD e faz um post seu aqui no seu blogue?

Por favor fale deles, nem que seja na silly season!

Enquanto alguns dos nossos políticos estão a banhos no Algarve, estes voluntários tentam salvar o que "resta das nossas riquezas naturais" para que não sejam delapidadas.
Estes homens e mulheres não vão de férias para a Coelha ou para Manta Rota.
Não têm dinheiro e tempo!
São voluntários!
E mais 10% nas reformas, nem subvenções vitalícias!
E os que morrem fazendo voluntariado?
As moscas em Armação de Pêra ou o Tony em Olhão são mais importantes?

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=649881

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Os monopólios em virtude deste conjunto de ideias políticas e económicas capitalistas que defende a não participação do estado na economia, e que infelizmente se está a reforçar com este desgoverno de centro- direita, estão a fortalecer-se, algo que não serve os supremos interesses do povo Português.
Falar nestas "coisas" e manter acesa a chama de que este não é o caminho correcto, cabe-nos a todos nós.

trepadeira disse...

Fascismo económico? chamar-lhe-ia terrorismo económico.
Por cá a edp serve bem os objectivos, rouba quanto quer, coloca contadores que são autênticas bombas e nem sequer se digna responder a reclamações.

Abraço,

mário

Anónimo disse...

Quando conseguimos parar com estes actos hediondos? Privatizar o sol, a água, os alimentos, chipar "quase" tudo! Isto sim, é puro terrorismo.
Vicky

Anónimo disse...

Atrevo-me a transcrever Urbano Tavares Rodrigues em" A noite da vitória em forma de interrogação"in "As Pombas são Vermelhas de 1976

"Qualquer coisa como isto aconteceu depois de Abril quando as formigas despertaram,quando o sorriso foi permitido aos pobres e Portugal aprendeu a dizer tu.Era o prenúncio.Mas a mão pesado do bom senso burguês domou a revolução e pôs-lhe um colete-de-forças.
A bárbara alegria do povo tão linda,recolheu então aos vales escuros, às galinheiras,aos cemitérios com tectos de estrelas falsas,ao pó dos prédios novamente em construção,à esquinas das alamedas cheias de putas para ociosos ou para desesperados-e tornou-se raiva erecta.Lisboa a estalar de medo,criminosos (...)KINKAS