terça-feira, 20 de agosto de 2013

Pequena crónica para esfregar no focinho... de quem se puser a jeito


Este blog, nasceu, cresceu e mantem-se até hoje como um simples passa-tempo. Não é uma missão, nem tampouco uma tarefa. Isso está reservado para coisas bem mais importantes. Ainda assim, permito-me a pretensão de que se trata de um passatempo um pouco mais importante do que coleccionar pacotes de açúcar, ou isqueiros e esferográficas de brinde.
Este espaço de troca de ideias e outros “cromos” permitiu-me ter contacto com amigos virtuais que nunca encontraria e manter-me mais junto de alguns amigos reais.
Por muito estranho que possa parecer e dando de barato a trabalheira de desinfecção a que obriga a nojeira que muitos anónimos aqui deixam diariamente, há alguns que, involuntariamente, são a coisa mais divertida que alguns destes dias cinzentos permitem.
Uns, inventam nomes inverosímeis, a que juntam os apelidos “fascista”, ou “anti-comunista”... outros, ficam-se apenas agachados atrás do puro anonimato.
Uns, insistem em deixar links para os indigentes discursos de salazar, vivas ao fascismo e ao nazismo, ameaças de morte, insultos avulsos... e até (esta é nova)apreciações muito negativamente críticas à minha voz, sendo, ao mesmo tempo, tão estúpidos (a esmagadora maioria dos fascistas, é!) que não atingem o ridículo do repetido e inútil gesto de deixar “comentários” num blog cujo dono os envia, fatalmente, para o caixote do lixo.
Outros, os que se acham espertalhaços, argumentam que não querem saber da publicação, pois, afirmam, dão-se por satisfeitos por saberem que eu leio os insultos... o que os coloca numa prateleira reservada aos ainda mais estúpidos que os anteriores, atendendo a que não têm noção dos ataques de riso que o seu ódio tremelicante e anónimo provoca... e do objectivo orgulho que sinto em ser insultado por essa estirpe de seres, facto que me classifica, obrigatoriamente, como membro de outra estirpe.
Têm, normalmente, uma coisa em comum: atacam mais violentamente quando escrevo alguma coisa sobre figuras da sua simpatia, não sabendo, ou não tendo nada a contrapor, senão as ameaças e insultos, dada a evidência do que escrevo.
Passado este, que deve ter sido o preâmbulo mais longo da história deste blog, apenas um apontamento sobre uma pequena notícia que me saltou à vista... mesmo correndo o risco de activar os reflexos condicionados de que (tão longamente) falei até aqui:
Sabendo-se que aumentar as horas de trabalho sem aumentar os ordenados é ilegal; sabendo-se que aumentar as horas de trabalho não resolve nenhum problema, muito menos o do desemprego... o resultado deste estudo baseado em factos e não em opiniões, devia ser esfregado no focinho... sim, disse “no focinho”, daqueles que do alto dos seus lugares de poder na Europa, nos apontam a “falta de apego ao trabalho” e dos nossos governantes, analistas e comentadores, encabeçados pelo inútil Presidente da República, que, instalados nos seus lugares de vulgares lacaios da Europa, defendemexactamente o mesmo e propõe os aumentos da carga laboral.

25 comentários:

Adelino Ferreira disse...

Eu sei que é difícil, mas a esperança num
Mundo melhor, morrerá comigo.
Até sempre!

Graciete Rietsch disse...

São lacaios de lacaios.

Um beijo.

São disse...

Meu caro, há criaturas que , pobrinhas, nada devem nem à inteligência nem à coragem...

Esperemos que , nas eleições, este povo acorde e , finalmente, faça o Saramago disse:inutilizar os boletins de voto, uns; votar em branco, os restantes!

Fiquem bem

Reaça disse...

...Que o resto dos europeus?

Mas alguma vez os europeus consideram como europeus quem vive para oeste dos pirineus?

samuel disse...

Júlio Resende:

1. Vejo que não leu a parte do texto - ainda por cima a maior - que lhe era "pessoalmente" dedicada. :-) :-) :-)

2. Vejo que, mais uma vez, decidiu tecer umas considerações que nada têm que ver com o assunto do texto que, supostamente, decidiu comentar.

3. Vejo, finalmente, que não é capaz de resistir ao impulso de (tentar) fazer propaganda ao fascismo, num blog onde sabe que isso lhe está vedado… e segue directamente para o lixo. :-)

Decididamente… vocês são doentes! Hilariantes… mas doentes! :-) :-) :-)

samuel disse...

São:

Não me parece…

Decididamente, a Revolução só se faz… fazendo a Revolução. Não estou a vislumbrar no horizonte próximo, condições para uma Revolução.

Se é para ir a votos, então tenho pena, mas o Saramago não estava nos seus dias quando disse isso.

Por mais votos inutilizados e votos em branco que apareçam… se os de sempre tiverem a maioria dos VOTOS EXPRESSOS… nem que seja por meia dúzia… ganham as eleições.

Não votar, votar em branco, ou inutilizar os votos em vez de votar nas verdadeiras políticas alternativas… é votar NELES.

Saudações.

Beatriz Cunha disse...

o seu blog é de leitura obrigatória, para mim. Por isso, espero que continue a escrevê-lo por muito tempo. Sempre me intrigou a persistencia com que os seus Anti-FÃS, comentadores anonimos que que se dão ao trabalho de o presentear com insultos, continuam a lê-lo também.

Antuã disse...


Vale a pena continuar.

Anónimo disse...

Comunismo é o triunfo do Porcos.

samuel disse...

Anónimo (14:53):

Seja um pouco menos vago, imbecil (armado em literato) !!! :-) :-)

Quais porcos?

Bísaro?
Porco preto?
Hampshire?
Duroc?
Large white?
Landrace?
Os seus paizinhos?
Leitão da Bairrada?

Anónimo disse...

Comuna, tu também trabalhas ou já estás reformado e com uma boa pensão? Ou ainda tens de ir para a rua com a guitarrita e o boné para ver se quem passa deixa cair uma moedita? Já foste a Cuba? lá é que se vive bem e trabalhasse pouco. Na Coreia do Norte também. Podias ir até lá dar umas guitarradas. Na volta papavas umas chinesas e umas cubanas e tudo que lá é tudo camarada.- Nelo Fascista.

samuel disse...

Nelo Fascista:

Obrigado pelo interesse… embora peça que a parte ordinária das suas sugestões, a reserve para a sua família.

Ainda assim, há uma parte que não entendo: se ia apenas a Cuba e à Coreia do Norte... onde raio é que as chinezas entram na estória???!!!

AUGURO-LHE UMA GRANDE CARREIRA EM CONCURSOS TELEVISIVOS DE PERGUNTAS DE CULTURA GERAL!!! :-) :-) :-)

Quanto ao assunto... na verdade, ainda canto, de vez em quando… mas, por estes dias, tenho uma "avença" a colocar o ífen em palavras como "trabalhasse", que indigentes como você escrevem, embora querendo dizer "trabalha-se".

Tirando isso, ocupo o resto do tempo tentando imaginar de qua raio de tocas infectas saem vermes como o meu "caro".

Passar bem!

augusta disse...

Preocupante, sim, seria sermos elogiados por fascistas...

Estive numa sessão, entre muitas outras, com o José Saramago. Refiro-me ao lançamento do Ensaio sobre a Lucidez na cidade do Porto. Ele foi atacado, muito. por senhores que nem se apercebiam que para ele era uma honra ser por eles atacado. A quem perguntou em que página e em que linha apelava ao não voto ou ao voto em branco.
Disse na altura o José Saramago, e posso pôr aspas, pois estas palavras ainda tenho, como amiga e leitora, na cabeça - "o doutor M.V. comentou um livro que não escrevi". Houve ali gente que o quis cilindrar deturpando. não tendo lido, mas atacando. A lucidez dele, perante o preconceito, o anti-comunismo, a ignorância e a estupidez se impôs. E na Biblioteca Almeida Garrett, quem jogava em casa não eram esses senhores...

Dias depois enviou-me um postal. diz "(...)quanto ao dr M.V nem vale a pena falar. felizmente a cegueira não é universal"
Apenas isto e na situação referida posso testemunhar.

Votarei e apelarei ao voto validamente expresso. Tudo o resto é, votar no mais do mesmo, votar em quem sempre nos tem e continua descaradamente a roubar, é votar contra nós, é, como o Samuel diz, votar "neles".

Pelo post, Samuel, obrigada. pela partilha também

Medronheiro disse...


Teremos que estar sempre alerta pois os fascistas não desarmam.

Anónimo disse...

Aumentar as horas de trabalho sem aumentar salários é ilegal não resolve problemas etc.

Ora aí está você no seu melhor, populista demagógico e claro, a defender a cartilha do cc do partido e do camarada Jerónimo.

Você acaso sabe quantas horas um trabalhador, trabalhadora, faz no privado? 40? Ok acertou.

Entao e no público qual o problema de trabalharem 40 tb? Dói-lhes o corpo? São fidalgos/as? Tadinhos, tadinhas tanta peninha.

É inconstitucional os/as fidalgas trabalharem 40 horas como TODA A GENTE? É?

Então se inconst. pode informar-me do artigo da Constituição que diz que é inconst.?

Não, não quero que me chame de fascista nem que me insulte, ( e se quiser, olhe estou-me cagando, se é que me permite este relesito plebeísmo), diga-me só a disposição legal da Constituição que permite que alguns fidalgos trabalhem 35 horas e os servos da gleba trabalhem 40

Não somos todos iguais? Então?

Nós pagamos ( presumo que o Samuel também pague) muitos e muitos milhões de euros de horas extraordinárias a muitos milhares de suas excelências os funcionários publicos porque em vez de trabalharem 40 h trabalham 35 h.

Sabe o que é uma repartição pública Samuel?

Salvo honrosas excepcões: entrada 09.00 chegam ao local trabalho 09.30.

10.00 às 10.30 bica ( coffe break). Período da tarde a mesma coisa. Tirando serviço de finanças ( honra lhes seja feita, não têm bar nas instalações) conservatórias e pouco mais, diga-me um serviço público onde os funcionários trabalhem RIGOROSAMENTE a totalidade das horas diárias.

Médicos ( essas altezas reais) ? Professores ( essas florzinhas de estufa) ?juízes e procuradores ( essas vacas sagradas) ? Deputados ( esses chulos coirões - honrosas excepções do pc e be, que admiro e tiro o chapéu), militares ( as maiores sanguessugas, os maiores chorões, eu fui tropa sei do que falo)
gestores de empresas publicas ? ( estas que o pc tanto defende), esses criminosos e gatunos,
agentes da bt-gnr ( sabe porque lhe chamam "pinguins" Samuel?) guardas prisionais que fazem cambão com advogados?

E tantos, tantos heróis como estes pelo país fora e NÓS (presumo que você também) a pagarmos a ORGIA: horas extra, ajudas de custo, kms vezes 0,40 euros o km, subsídio de falhas, suplemento de risco, ajuda para formação, subsídio alimentacao, adse ( ou seja tudo de borla), mordomias diversas, "chaufers"etc etc etc.

E isto já para não falar na bajulice, no beija-mão ao chefe, no bufismo, na graxa vergonhosa, que campeia no nosso glorioso funcionalismo público. Esse mesmo a quem querem obrigar a trabalhar mais 5 longuíssimas horas semanais.

É claro que o pc tem nesta " franja de mercado" eleitoral , chamemos-lhe assim, um nicho muito interessante a explorar: seja, o descontentamento das excelências por lhe darem mais 5 ( longuíssimas...) horas semanais de trabalho e por lhes quererem retirar as mordomias pornográficas que eu ( e presumo que você também) estou a pagar.

Interessante, Samuel, é a palavra exacta. E você concerteza que concorda comigo, porque é uma pessoa inteligente e lúcida e porque, você ( presumo e repetindo) , tal como eu está a pagar esta orgia desta gente fidalga.

A questão, e se é que me permite a franqueza, é que você não pensa pela sua cabeça no que a estes assuntos diz respeito. Você Samuel nestas coisas tem de pedir autorização ao partido para pensar.

E é pena e sobretudo desilusão, para quem, como você demonstra inteligência, lucidez e um extraordinário sentdo de ironia.

Lamento.

Quanto a alguns desabafos seus relativamente a alguns comentários de alguns inergúmenos relativamente às suas qualidades como cantor e autor digo-lhe com a mesma franqueza: não ligue.Eu conheço o seu percurso desde os tempos de 74 e 75, admiro, gosto e respeito.

Saudações e desculpas pela extensão deste comentário.



samuel disse...

Nelo Fascista:

Ó nelo... coisinho... e você insiste nas ordinarices? Pensa que está na sua casa? :-)

Você tem a certeza de que é mesmo fascista?
Para além da infelicidade desse "nelo"... não será apenas muito estúpido?!!! :-) :-) :-)

samuel disse...

Anónimo (22:33):

Sim… foi realmente um comentário assaz longo. :-)

Começou muito irritado comigo… mas depois lá foi redireccionando a irritação para latitudes mais adequadas. :-)

Não… não disse que trabalhar 40 horas é anticonstitucional. Disse que o Estado tem um contrato com os seus trabalhadores, escrito preto branco… e não pode aumentar as horas de trabalho sem aumentar, proporcionalmente, os vencimentos. Isso seria cortar, sem negociação, unilateralmente, os salários que estão nos contratos. Não é legal!!! Não é honesto!

Se o Estado passar a explorar selvaticamente os seus trabalhadores, para ficar igual ao sector privado… em que é que isso melhora a sociedade?

Quanto à sua opinião geral sobre os trabalhadores do Estado, vê-se que há por aí um problema pessoal nunca resolvido… um ódio cego que, visivelmente, não controla.

Quanto à sua tão elegante insinuação de que eu seria um papagaio de um partido, sem capacidade para pensar, quando diz, textualmente, que tenho que «pedir autorização ao partido para pensar»… lamento apenas!

Ainda assim, e como não sou membro do PCP (ou de qualquer outro partido), deixe que lhe diga que no dia em que eu fosse pedir-lhes autorização para pensar ou dizer qualquer coisa… tenho a certeza de que eles seria os primeiros a ficar muito, mas mesmo muito surpreendidos!!! :-) :-) :-)

Quanto à sua apreciação sobre a minha carreira de cantautor... muito obrigado! Eu bem desconfiava que havia alguém... :-) :-) :-)

Saudações.

Pintassilgo disse...


Anónimo das 22.33 porque é que você não deffende que os privados passem a trabalhar tantas horas como os funcionários Públicos?!... E não se esqueça que já há 50 anos era preciso ter o 5º. ano do Liceu para ser funcionári público. Se não compreeende isto vá à merda.

Anónimo disse...

Sempre lacaios e seres ratejantes!
No entanto, a luta continua!
Vicky

Anónimo disse...

Anónimo das 00.59 também conhecido por pintassilgo:

Daqui fala o colega anónimo das 22.33.

Não me diga que você é como alguns funcionários públicos que eu conheço: reforma antecipada por baixa psiquiátrica, atestado médico manhoso e passa a vida nas tascas e a jogar sueca nos jardins da terrinha e eu a pagar-lhe a reforma.

É ?

Deve ser porque para vasculhar a vida de alguns comentadores deste blog, como você faz, "para depois falarmos",
tem de ter tempo livre e suficiente.

Tem vasculhado muito nos últimos tempos?



Anónimo disse...

Samuel

Há de facto um problema sério comigo e nunca resolvido: em pequenino caí de uma cadeira e bati com a cabeça no soalho.

Acontece a muito boa gente: a alguns dá-lhes para serem o Napoleão Bonaparte. A mim deu-me para me meter com os "trabalhadores do Estado" como você, eufemisticamente chama aos funcionários públicis.

Acontece.

samuel disse...

Anónimo (00:06):

Está então explicado. Acontece... :-)

Ainda assim, deixe que lhe diga que em pequenino é que se deve cair das cadeiras.

Cair da cadeira aos 79 anos... está reservado a figuras sinistras... o que, decididamente, não é o seu caso! :-) :-) :-)

Saudações.

Anónimo disse...

Boa resposta Samuel.
Está a ver porque é que eu aprecio a sua fina ironia?

Anónimo disse...

O funcionalismo publico ou os trabalhadores do estado ou ainda os diferentes serviços que os cidadãos dispõe para poderem atender a algumas das suas necessidades enquanto pessoas que vivem em sociedade ainda não carece de autonomia e automatismo tal que possa dispensar funcionários ou trabalhadores para que essas tarefas possam ser levadas a cabo. Eu como funcionário do estado á mais de 25 anos sempre pratiquei um horário de 42 h semanais. Pois é no Estado também existem horários de 42 h de 40 h e de 35 h. Também e para levar a cabo as tarefas que me estão adestritas faço horas extraordinárias. Também e por muito que custe a quem não suporta funcionários publicos, muitas vezes senão a maior parte dos dias almoço em 10 15 minutos quando almoço, e muitas vezes saio depois da hora ou entro antes da hora. Pode dizer que é caso isolado mas vejo por esse pais fora isto acontecer. E se por vezes os Serviços não correspondem ás exigências de quem precisa ou necessita não vislumbro no panorama nacional uma ruptura dos serviços publicos. E esta é que é a questão central - temos serviços publicos que satisfaçam as necessidades da população ou pelo contrário os serviços estão à quem das suas necessidades? São eficazes ou pelo contrário existe grande desperdicio? Estão em renovação ou em regressão? Os funcionários publicos não são o cerne da questão. Trabalhar hoje nos serviços publicos exige sacrificio e predisposição pois com aquilo que trabalho no sector privado já teria enriquecido. Uma ultima deixa sobre as horas extraordinárias e o aumento da carga de horário. Actualmente as horas extraordinárias sofreram uma desregulação tal que qualquer que seja o tipo de hora 1ª de dia de semana ou feriado e restantes da semana ou feriado são pagas a um preço inferior ao da hora normal (mais um privilégio do funcionário publico - quem não deseja tal?). Sobre o aumento do horário semanal apesar de não estar explicito por parte do Governo (acho por interrupção dos briefings)que os salários se mantém, isto é o preço hora a que é pago o funcionário publico não é alterado não é licito se especular sobre uma baixa real dos salários. Mais horas de trabalho significam mais salário (podemos especular que as intensões do Governo é baixar os salarios ou seja o preço hora contratualizado sem passar pelas respectivas negociações mas eles são tudo bons rapazes e só mentes perversas podem fazer tamanhas especulações. Comunas de certeza)

Assistente Técnico disse...


Relativamente às 40 horas semanais, existem muitos funcionários que já o fazem, alguns forçados pelas chefias, estas sim, não as cumprem! E não me venham falar em "isenção de horário" , pois têm de as cumprir igualmente! Na prática esta medida não vai surtir efeito; podiam ajustar o alargamento dos horários dos serviços públicos efetivamente, dentro das 35horas.

Recordam-se desta notícia ? Ainda estamos nos +-18% de Desempregados.. Aguardem até à publicação dos dados em Outubro do INE.

- http://www.tvi24.iol.pt/economia---economia/alemanha-desemprego-trabalho-horario-semana/1419200-6377.html - Desemprego: solução é cortar semana de trabalho para 30 horas
100 políticos e académicos alemães propõem medida para ajudar a reduzir taxa