quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Deixem o Mandela em paz, porra!!!



Há uns tempos, “zico”, um cão perigoso, matou uma criança, de nome Dinis Janeiro, ainda bebé. Não vou voltar a argumentar sobre qual o destino a dar a um cão perigoso, depois deste matar uma criança, sabendo-se que, sendo claro não poder mais considerar-se um animal doméstico, ou de companhia... também não pode devolver-se “à Natureza”.
O cão estava a ponto de ser abatido. Entretanto uma associação que se dedica a estas coisas, ocupou o seu tempo livre com esta causa momentosa e, entre argumentos aceitáveis e outros um pouco patetas, tais como dar um estatuto quase humano ao bicho, julgando-o, misturando culpa e inocência, agravantes e atenuantes, acusação e defesa, pouco faltando para levarem o animal a um programa de televisão, para aí se declarar arrependido... conseguiu evitar (para já) o abate.
Seja como for... a notícia não é esta. A verdadeira notícia é que, admitindo que o zico não queira aparecer em sociedade com o nome que ficou ligado à morte de uma criança... os seus protetores mudaram-lhe o nome para mandela.
Provavelmente, inspiraram-se no “longo historial de assassínios de crianças”, que faz o orgulho do próprio Nelson Mandela e dos seus familiares, amigos e admiradores.

Ou então... são simples idiotas!

6 comentários:

OLima disse...

pior: são burros, como diz Ricardo Araújo Pereira na Visão de 25julho2013 http://entreostextosdamemoria.blogspot.pt/2013/07/visao-2572013-p114.html

Anónimo disse...

Sr.Samuel, efectivamente depois de um cão provar sangue seja difícil prever o seu comportamento.O problema que se põe, são os animais de 2 patas, e que à luz da lei são considerados humanos,e maltratam um cão ao ponto de ele ter este comportamento.Nada sabemos de como aquele cão era tratado, mas não faltam exemplos de merda, como um "filho da ...." em vila real que arrastou um cão pelo alcatrão e deixou-o esfolado no parque de estacionamento de um supermercado.Porquê?Porque este país considera os animais "coisas".

São disse...

Esta de dar o nome de Mandela a um cão ( e com as razões invocadas) não lembra senão a criaturas sem nada na cabeça.

Condeno quem maltrata animais, mas acho que existem, sim, raças de cães que representam perigo real. Que pode ser , infelizmente, potenciado por quem possui um desses animais.

Claro que todos os cuidados devem ser tomados na sua relação com as pessoas, mormente crianças.

Acho irónico que os movimentos anti-touradas se comovam tanto com o sofrimento do touro, animal de lide que investe mesmo ferido de morte, e não tenham uma única palavra para defender o cavalo encurralado entre os cornos do touro e as esporas do cavaleiro!

Que fique bem claro não ser aficionada , em especial das touradas portuguesas. Admiro, sem dúvida, os forcados, porque enfrentam a mãos nuas um animal de centenas de quilos.

Fiquem bem...e aqui renovo o meu abraço de parabéns.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Ouvi há bocado na RTP1 uma jovem membro da "Animal" dizer que um nome de um assassino (neste caso um cão pitbull) após a diligênca efectuada por essa mesma associação até justificava (peço desculpa por não ter "apanhado" o termo correcto)) o nome de um dos maiores lutadores pela igualdade de direitos entre humanos de duas raças diferentes, e para que os direitos humanos não fossem como até então, diferenciados.
Dar um nome que (penso eu) nos merece a todos muito respeito, pela sua resistência e exemplo, a um cão da raça citada que comprovadamente tem dificuldades de educação e consciencialização, é ofender grosseiramente uma geração que lutou com muitíssimas mais dificuldades e sobretudo sem qualquer acesso a...dizer, quanto mais sentir.

Luis Filipe Gomes disse...

O que me inquieta é eu ter a informação televisiva e não só, ocupada com notícias desta qualidade e substância.

Marina Tadeu disse...

Uma história de múltiplos abusos. Amigos em África manifestam-se igualmente indignados, Samuel.