terça-feira, 20 de agosto de 2013

Jornalismo de reverência – A luz no meio do nevoeiro...


Enquanto vão chegando notícias das manobras da “administração” norte-americana sobre os jornais, sobre jornalistas, sobre governos (que seria suposto serem) soberanos de países (que seria suposto serem) independentes, com o objectivo de abafar o escândalo da espionagem indiscriminada sobre o mundo (quer se trate de "aliados" ou inimigos) por parte dos EUA, vamos ficando com uma noção do grau de subserviência que toda esta gente tem para com o “império”... e de como esse império, e por tabela, o mundo, são dominados pelo complexo militar-industrial e o bandidesco gang financeiro... que são o coração e alma desse império.
Felizmente, não fossemos nós ficar deprimidos com esta demonstração de domínio esmagador do império e da falta de coluna vertebral dos dirigentes do resto do mundo... há quem se dedique a fazer-nos chegar as notícias que realmente importam, como a da chegada de mais um cão de água português à Casa Branca.
Felizmente... há “jornalismo” assim!

6 comentários:

Antuã disse...


O cão é mais importante que qualquer jornalista lacaio.

trepadeira disse...

Não será nenhum robot com algum sofisticadíssimo sistema de vigilância? daí a importância da notícia.

Abraço,

mário

Felicidade Carvalho disse...

Pois,pois, isso é que é importante! Mais um cão português!Porque não leva também o Coelho português?Nós agradecemos...

Zequinha disse...


Qualquer cão vale mais que um "jornalista" da televisão.

Anónimo disse...

O cão é decerteza o que de mais importante existe por aquelas bandas.
Vicky

Anónimo disse...

Eu pessoalmente gosto muito do Obama,o que certamente não acontece com a maioria dos frequentadores deste blog que o consideram um imperialista, ao serviço do capitalismo, e essas tretas todas, adiante...

Mas para descomprimir um bocadinho o ambiente e fazendo justiça ao dono da casa, de quem aprecio a fina ironia como deixei expresso num comentário atrás, não resisto a relatar um episódio acontecido há dias na casa branca.

E é este:

O Obama andava a passear com o cãozinho que é a nova mascote da casa (branca) nos jardins da dita.

Passa uma simpática velhinha e pergunta:

- Ai tão bonito, onde é que o arranjou?

Responde o cãozinho:

-Olhe, saiu-me na rifa...