sábado, 24 de agosto de 2013

Viseu – O mistério dos padres paralíticos


O senhor Fernando Ruas, empenhado edil viseense e grande divulgador/impulsionador da indústria e comércio das tintas para o cabelo, gosta de dar de si a imagem de uma pessoa popular, simples e amiga do seu munícipe. Isto, claro, se o munícipe não sofrer dessa espécie de lepra que dá pelo nome de comunismo. Aí, consta que o homem fica virado do avesso. Mas adiante...
Numa demonstração prática de como se deve fazer política de proximidade, parece que o senhor Ruas andou por umas paróquias viseenses, fazendo questão de falar aos fiéis, nas missas, ora dentro da igreja e antes do culto, ora depois do culto acabar e já no adro... com o fim de, pessoalmente, entregar “às populações” chorudos cheques destinados, certamente, a fins muito louváveis.
Dizem as más-línguas do costume, que se trata de uma forma sem qualquer ética, caciquista, desonesta, criminosa mesmo, de fazer campanha eleitoral a favor do PSD.
Diz ele que não senhor, que se trata apenas de apoios já contratualizados com organizações várias... e que só se desloca pessoalmente às igrejas, por uma «questão de conveniência dos senhores padres».
Digo eu (mesmo sem ninguém me perguntar) que, não vislumbrando nenhuma razão aceitável para que os padres não possam deslocar-se à Câmara Municipal, para aí assinarem o que tiver que ser assinado e levantarem os cheques dos apoios prometidos, discretamente e sem o recurso a discursos “presidenciais” nas missas... que a coisa só deve poder explicar-se por um qualquer impedimento físico muito forte dos senhores sacerdotes.
Daí o estranho título desta crónica de maldizer!

11 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

A campanha já começou e como anteriormente também agora
"vale tudo"
Estes senhores perderam a vergonha e o pudor se é que alguma vez o tiveram
Outro lá mais acima até se lembrou de pagar as rendas de alguns municipes carentes...

... e dizem que há democracia...
Direi que isto é um assalto...

folha seca disse...

Samuel
Desculpa qualquer coisinha, mas roubei-te o post para publicar no Facebook.
Abraço
Rodrigo

trepadeira disse...

Que esperar do afilhado dileto do cavaquistão?
O tempo esgota-se.

Abraço,

mário

Anónimo disse...

voce é um filho de puta

São disse...

Nada de admirar nem de Ruas nem da igreja católica...

No entanto , parece que a maioria do povo até gosta: é só olhar para as sondagens no Porto a favor de Menezes, para Oeiras que tem paixão por vigarista prisioneiro e o que se tem passado em Braga e Viseu,

Não existem inocentes!

E, atenção, sou responsável pelo que escrevo, não pela interpretação que algumas criaturas façam.

Bom final de semana.

Anónimo disse...

É simplesmente nojento Fernando Ruas dirigir-se às pessoas na igreja agradecendo o apoio que tem recebido dos católicos, com ares de sinecura e aqui os padres têm toda a responsabilidade por serem coniventes com este tipo de malandragem politica que tão perniciosa tem sido.
J Monteiro

Luis Filipe Gomes disse...

O Tintureiro Mordomo da Festa das Rotundas foi fazer pagamento a quem diz não atirar pedras aos outros.
Será que pagou pelas pedras atiradas ou pelas não atiradas?
Será que mandou atirar mais pedras?

samuel disse...

Anónimo (18:42):

Saúda-se a sua franqueza, a sua opinião é absolutamente legítima, mas...

em que é que a hipótese de eu ser ou não ser "um filho da puta", altera uma vírgula que seja da estória do post e da realidade politico-social que ela retrata?

Graciete Rietsch disse...

Para garantir a continuidade de uma política de Vergonha vale tudo, até a propaganda nas igrejas num Estado Laico, como está escrito na Constituição.

Um beijo.

Anónimo disse...

Já têm as televisões por conta deles e com o começo das campanhas, aí está o pulpito para se fazer propaganda ao PSD e CDS. O País das merdavilhas.
Vicky

Provoca-me disse...

Atenção que o anónimo disse filho de puta e não da puta.