quarta-feira, 21 de agosto de 2013

GNR – Desculpem-me a franqueza...





Diz-me a notícia que os militares da GNR estão «indignados com o atraso no salário de Agosto». Explica ainda a notícia que o atraso será de apenas umas horas... já que terá ficado a dever-se a um simples erro técnico.
Sabem que mais, excelentíssimos senhores militares "indignados? Deixem-me ser politicamente incorrecto! Deixem-me ser inconveniente! Sabem que mais, senhores militares "indignados"?

Bardamerda!
Pensem na vossa indignação de uma horas, na próxima vez que carregarem sobre trabalhadores e seus representantes sindicais, numa qualquer manifestação à porta de uma empresa com vários meses de salários em atraso!
Pensem na vossa indignação da próxima vez que resolverem ser brutais para com mulheres e homens, jovens ou idosos, numa qualquer manifestação contra o encerramento de um posto de Saúde ou dos CTT, ou contra um qualquer membro deste Governo, responsável pela situação do país, por um milhão de desempregados e milhares de salários em atraso devidos a centenas e centenas de trabalhadores ao longo de meses e mais meses e sem fim à vista... e não do vosso idiótico atraso no vencimento de Agosto!!!

Adenda: Pensem também na vossa indignação, da próxima vez que multarem uma viatura de Bombeiros Voluntários, por falta de um auto-colante... mesmo sabendo que esses bombeiro são capazes de, a seguir, ir dar a vida a defender os vossos bens.


Adenda 2:
A todos aqueles e aquelas que estranham o facto de eu, aparentemente, colocar todos os militares da GNR no mesmo saco e o manifestam das mais variadas formas... até ladrando, como foi o caso de um dos fascistas de estimação, que resolveu tentar dizer umas baboseiras sobre GNR e “comunas”, mas naquela linguagem que o faz regressar ao seu habitat natural, o lixo, sem ser publicado... direi que têm razão.
O caso é que, embora não achando que os elementos das forças de segurança são todos iguais, tendo até já, por mais do que uma vez, ficado “tocado” por ver elementos dessas forças, devidamente identificados e participando em manifestações contra os governos que têm assolado o país... cansei-me de esperar que esses, os que de tempos a tempos demonstram ter uma consciência social, se demarquem publicamente dos seus “colegas” de armas, quando estes se afirmam, na prática, como forças racistas, prepotentes, brutais, ao serviço dos patrões e dos fortes contra os fracos.
Se querem sair do tal “saco”... saiam pelo seu próprio pé!

10 comentários:

Anónimo disse...

Correctíssimo para uma boa parte da corporação.
Talvez excessivo para outros, pois nem todos os GNR procedem da mesma forma.
Tanto quanto julgo saber...

Rui Silva

samuel disse...

Rui Silva:

É um comentário justo, este seu! Mas...

Desgraçadamente, cansei-me de esperar que os polícias, militares da GNR e outros, que não hesitam em ser reivindicativos e contestatários, quando são atingidos nos seus direitos, pedindo e ganhando a solidadriedade dos trabalhadores em geral… não tenha a firmeza de se demarcarem, publicamente, dos actos de violência, abuso, excesso de força, racismo, etc, etc., etc., que tantas vezes fazem notícia, manchando as suas corporações.

Já lá vai o tempo em que tinha o cuidado de os "separar", nestes meus reparos. Cansei-me!

Pedro Namora disse...

Estou de acordo, Samuel. E quanto à separação, não é verdade que a não faças: isto aplica-se aos que com a mentalidade fascista, se comportam de forma que denuncias. Um grande abraço e aguardamos um novo trabalho musical. O povo que somos precisa de cantores de intervenção, honrados e corajosos, como tu.

Antuã disse...


Os militares da GNR estão a aproximar-se do comportamento do antes do 25 de Abril.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um erro técnico não tem a ver com comportamentos ao serviço do governo.
Se eles não cumprirem as ordens são eles que ficam sem emprego...

trepadeira disse...

Se querem ter a solidariedade do povo que se coloquem ao lado dele e não contra ele.
É tempo de deixarem de actuar corporativamente e em defesa dos poderosos.

Abraço,

mário

Olinda disse...

Nem mais! Boa crîtica.

Um abraco

Anónimo disse...

Mas que critica feita com tanto acerto.
As maiores saudações
Vicky

Provoca-me disse...

Excessos como a valente revista aos participantes do Festival de Sines, onde nunca houve problema, e ninguém sai de lá sem ser revistado, inclusivé pessoas da organização.

Provoca-me disse...

Finalmente cansou-se, vale a pena. Infelizmente, mas tem de ser. Os gajos precisam de ser pressionados, a ver se tomam coragem de desobedecer.