domingo, 22 de setembro de 2013

António Mexia - Hoje deu-me para “concordar”...


António Mexia, o presidente executivo da EDP, deu uma entrevista em que aponta o dedo e deixa avisos mais ou menos ameaçadores aos juízes do Tribunal Constitucional. Diz que se estes persistirem nesta teimosia de não deixar passar as propostas (ilegais) do Governo... serão os culpados de um novo “resgate” a Portugal.
Leio as declarações de Jerónimo de Sousa, indignado com Mexia e as suas fugas de milhões em dividendos para esconderijos fiscais... e concordo com ele.
O problema é que, lendo também a explicação que o presidente da grande e lucrativa companhia eléctrica roubada ao povo português deu para a impossibilidade de a economia poder suportar e comportar o estado social, entre outras coisas... fico igualmente tentado a “concordar” com ele.
Ora pois então não é?! – digo eu. Claro que a "economia" não pode comportar ensino público de qualidade, Serviço Nacional de Saúde, reformas, pensões, subsídios de desemprego e pequenos e pontuais apoios sociais!

A "economia" já está totalmente ocupada - e exangue - a comportar os ordenados gigantescos, os prémios exorbitantes, os carrões de luxo, os cartões de crédito ilimitado, as prendas prá esposa e prá amante, as prendas pró esposo e pró amante, as viagens de sonho para toda esta gente, as mansões prá famelga e os apartamentos chiques para “as outras”, os colégios finos e universidades estrangeiras para a numerosa filharada… e todas as demais benesses multimilionárias de que desfrutam à tripa forra todos filhos da puta sem um pingo de vergonha na cara… como António Mexia!!!

8 comentários:

Maria disse...

Forte, mas 'amplamante' merecido!!!

Beijos

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Parece que agora inventaram o papão de um novo resgate...e para quê...?
Nunca mais sairemos desta triste realidade neste país de corruptos e de vendidos...

...e o povo continua em silêncio...

Antuã disse...

Temos é que prender estes ladrões.

Pata Negra disse...

Esta gente sempre pensou assim. O descaramento com que nestes últimos tempos tem sido promovido o seu pensamento é que é novo. Eis o nosso próximo desafio: já que não conseguimos obrigá-los a enfiar o rabo entre as pernas, ao menos que os façamos parar de ladrar!
Um abraço mexido

Graciete Rietsch disse...

E eu também concordo contigo em tudo o que expuseste neste post. A revolta é grande, mas não chega. É preciso pô-la em ação.
Veremos o que vai sair das eleições.

Um beijo.

Reaça disse...

É o Deus-dinheiro a mandar, como diz o Papa Chico.

Zequinha disse...

bem me parecia que este gajo mexia no dinheiro dos portugueses.

Anónimo disse...

Hoje assisti a uma intervenção policial em que foi abordado um individuo dos seus trinta e muitos que se encontrava com uma bicicleta a vender algum peixe que possuia emduas pequenas caixas e que pretendia se justificar com a escassez do produto a vendder e a necessidade de arrecadar algum dinheiro. O que mais perturbou foi a forma autoritária e compulsiva com que os policias 4/5 estavam a bordar a situação, demonstrando uma intransigência absoluta. Lembro-me então o caso Mexia com o argumento que as leis têm de ter em conta as condicionantes económicas do País...