quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"Obamacare" - Democracia um pouco original...



Devo começar por esclarecer que não sou propriamente o que se possa chamar um “fan” da lei de Obama, conhecida como “Obamacare”, que, apesar das boas intenções, deixa de fora dos cuidados de saúde muitos milhões de cidadãos pobres dos EUA e, mesmo tendo incluído no programa de saúde com custos suportados pelo Estado alguns milhões de outros cidadãos, faz passar, obrigatoriamente, todos os milhões de dólares envolvidos pelas seguradoras privadas, acabando por serem estas que realmente ganham com o programa.
Ainda assim, não posso deixar de admitir que este “pouco” de Obama é muito melhor que o rigoroso e frio “nada”, defendido pelos republicanos, defensores do cada um por si e assistência zero. Republicanos que têm mantido esta lei de Obama debaixo de fogo cerrado.
Dentro deste universo republicano há um nicho ocupado por fanáticos político-religiosos, um bando de ultra reaccionários roçando mesmo o fascismo, que dá pelo nome de “Tea Party”.
Um desses bandalhos, senador pelo Texas, está a usar uma norma de funcionamento do Parlamento/Senado, norma verdadeiramente imbecil que dá o direito a qualquer parlamentar/senador, de boicotar uma votação ocupando todo o tempo a falar, sem parar, durante horas e horas, sobre o assunto em causa... até que se esgotem todos os prazos legais para a discussão ou votação.
Tendo já dito que acho esta norma uma imbecilidade “democrática” (até o nome, “filibustering”, é palerma), lendo a notícia, parece-me que o senador daultra-direita nem está, sequer, a respeitar as regras, a ser verdade que no decorrer da sua maratona de boicote aos trabalhos, já falou de tudo e mais alguma coisa, fora do tema em apreço, tendo até recorrido à leitura de estórias infantis.
Num Senado/Parlamento que se respeitasse a si próprio, um palhaço que tentasse uma proeza destas... seria retirado da sala pela segurança e julgado e condenado por obstrução dos trabalhos de um órgão de soberania.

9 comentários:

Anónimo disse...

E na União Soviética Samuel?

Será que lá permitiam deputados que não fossem membros do PCUS?

Graciete Rietsch disse...

Um debate não é um divertimento. Portanto deve restringir-se aos temas em questão. Mas dos EU já nada me admira, nem mesmo o nome da lei que, apesar de tudo, é um pouco melhor que o nada e o boicote dos republicanos.

Um beijo.

Anónimo disse...


É a típica idolatria cultural marxista.

Gostam do obomba porque é "escurinho", mas nada.

Mesmo que continue o trabalho sangrento das outras administrações, de invadir países a torto e a direito continua a ser admirado.

samuel disse...

Anónimo (16:28):

Portanto... foi isso que entendeu deste texto e dos restantes textos deste blog:

Aqui, gosta-se bué do Obama. Ainda por cima, por ser "escurinho".

Gabo-lhe a tremenda perspicácia... :-) :-) :-)
Espero que não necessite dela para ganhar a vida! :-) :-) :-)

Antuã disse...


São os USA, não é verdade?

São disse...

Como é possível?!

Saudações

Anónimo disse...

Longe vai o post em que comparava o Obama ao Bin Laden,. Nao estou a inventar, basta ir ao historico do seu blog..

Guilherme Fonseca-Statter disse...

Confesso que fiquei de «boca aberta» com aquela estória do «congressista» a contar estórias infantis e outras coisas só para esgotar o tempo de antena e impedir a votação...
Deve ser a democracia à maneira norte-americana.

Luis Filipe Gomes disse...

Nem mais!