terça-feira, 8 de outubro de 2013

Cunhal – “O preguiçoso”



Quando até Ângelo Correia percebe que o governo se encurralou num beco sem saída, com esta estória da marcha da CGTP que decidiu tentar proibir, num acto de arrogância política gratuita... algo vai muito mal. Seja como for, este post é sobre outra coisa.
O fenómenos dos admiradores de Salazar vai desde as velhas beatas naftalinosas e semi-analfabetas que odeiam o seu semelhante com um quase inultrapassável profissionalismo, passa por uma amálgama mais ou menos indefinível de energúmenos... e chega até aos portadores de camadas de cursos extremamente vistosos. Como quase todos andam nesta coisa dos comentários nos blogues escondidos debaixo da saia do anonimato, é sempre bastante difícil saber de quais se trata.
Uma coisa os une, todavia, para além do bolorento amor a Salazar: uma vastíssima, omnipresente, indisfarçável e “genial estupidez”. Passo a explicar.
Entre a “panóplia” de insultos do costume e as (tardias) referências à passagem do livro do Milhazes sobre a “propriedade horizontal” de 3 assoalhadas de Cunhal, em Moscovo, a mostrar, pelo menos, que dada a distância a que já vai o lançamento do livrito, lêem devagar como o caraças... um dos vários salazaristas de serviço à minha caixa de comentários, produziu uma verdadeira “pérola”, que só não foi publicada porque o autor não conseguiu fugir à sua condição, embrulhando tudo numa quantidade tal de palavrões e insultos... que inviabilizaram a coisa. Disse, a dado passo, o “génio”:
- Ouve lá ó grande “†˙ƒ®æ嶓... afinal quem é que construiu a ponte sobre o Tejo? Foi Salazar, ou o “œ∑øπı†” do Cunhal?!!!
Tirando os palavrões... isto é uma observação genial, ou o quê?!!!
Toda a gente sabe que, em Portugal, quase todas as grandes obras públicas, entre 1928 e 1968, foram feitas por gente que foi, ou mandada assassinar por Salazar, ou encerrada em prisões e torturada, à sua ordem, no Aljube, no Tarrafal, em Peniche, em Caxias... ou forçada à clandestinidade e ao exílio...
Cunhal só não tomou conta da obra da ponte... porque era um preguiçoso!!!

6 comentários:

Provoca-me disse...

Pois tanta preguiça que teve para a escrita, pintura, e outras coisas. Coitados destes fascistas.

augusta disse...

Ai Samuel. é cada um que cá(não) aparece...
Ora mais um anónimo mais a sua inteligência que vê-se ao longe, é brilhante! de génio!!! e de mau génio... À falta de conhecimentos, sem qualquer tipo de fundamentados argumentos, esta gente sabe só é insultar.
.
Sorriso grande, como grande era o homem desse sorriso, a quem, aproveito para a minha homenagem de forma simples e singela aqui deixar.
O sonho em vida, sempre com os teus ensinamentos, sempre contigo, homem do sorriso grande, nós iremos, transformar.

anónimos, pobres coitados... gente sem cara... não passam disso...

Olinda disse...

Uma pêrola reveladora do grau de intelecto da canalha nazi.

Um abraco

Anónimo disse...

São nazis

Zequinha disse...


Pois eu gosto muito de nazis mortos.

Anónimo disse...

Só miseráveis fascistas podem dizer tantas bacoradas, enfim!
Vicky