quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Um dedo para o Cerny


Deixando e lado as considerações estéticas e artísticas, assim como de bom ou mau gosto... o artista David Cerny (diz-se “cherni”... como se fosse um alentejano a chamar o Durão Barroso) poderia ter escolhido várias oportunidades para “erigir” a sua obra provocatória em frente à sede do poder do seu país, a República Checa.
Poderia ter dedicado o seu “dedo” à corrupção dos governos de direita, ao desemprego, à maior recessão da Europa Central, à profunda crise provocada pelo capitalismo selvagem com que os “herdeiros” da crise dos países do campo socialista pensaram poder apagar da História uma ideia de sociedade que (expurgada dos tremendos erros que levaram à sua derrota) continua, nas questões que se prendem com a justiça social, a cultura e a própria civilização, anos-luz à frente da barbárie capitalista que a substituiu.
Cerny teve anos para apontar este dedo aos corruptos e vendidos que há anos vêm arruinando o seu belo país. Não o fez. Decidiu fazê-lo agora porque, diz ele, «está horrorizado» com a possibilidade de os comunistas, ainda que apenas na forma de um acordo governativo com os sociais-democratas e numa posição minoritária, poderem voltar à esfera do poder, atendendo aos valores das intenções de voto no Partido Comunista divulgados nas sondagens publicadas em vésperas de eleições. 

Claro que o artista Cerny deve estar certo... e os quase 20% de eleitores que anunciam a sua vontade de votar comunista é que estão errados. Claro que não haverá jornal da família do "Público", ou televisões da mesma estirpe, que não lhe dêem razão.
Claro que o Cerny está no seu direito... tal como eu me sinto no direito de lhe dedicar, também, o meu dedo bem esticado. Menos monumental, menos roxo, menos mediático... mas com uma imensa sinceridade!

13 comentários:

Olinda disse...

Cada Paîs ,tem o seu Cherne!O que nos coube em sorte,tem outras habilidades artisticas.Ê a vida...

Um beijo

Unknown disse...

APOIADO!

Graciete Rietsch disse...

Além do mau gosto , a justificação é uma homenagem aos que, impunemente, estão interessados na construção de uma sociedade empobrecida, triste e infeliz.
Como é possível semelhante monstruosidade?

Um beijo.

Maria disse...

(diz-se “cherni”... como se fosse um alentejano a chamar o Durão Barroso) É MUITO BOM!!!!!!!!!!!!!!

Abreijos

Maria disse...

Depois de ler o post todo só tenho a acrescentar que o homem é patético!

Abreijos por aí

trepadeira disse...

Cuidado com os "cherni". Andam por aí, cada vez mais afoitos. É preciso mandá-los para de onde nunca deviam ter saído.

Abraço,

mário

Beatriz Cunha disse...

Sobre o caracter deste senhor, já estou elucidada desde que em 2009, durante a presidencia checa da união europeia, resolveu copiar o meu curriculo e apor-lhe um nome falso, como aliás fez com 25 outros artistas por toda a europa, na tentativa de fazer passar o seu trabalho por um colectivo de artistas dos 27 países. É um cretino, ponto final!

http://www.dn.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=1139058&page=2

Maria João Brito de Sousa disse...

Se visse a foto "por aí", pensaria que era uma montagem... não sei bem como funciona, para os checos, este específico simbolismo gestual... mas nem sequer sob o ponto de vista simbólico "funciona"!


Abraço!

Adelino Ferreira disse...

A dúvida que me persegue há muitos,muitos anos ê
saber: introduzindo um papel dentro duma caixa de
tempos a tempos posso mudar o mundo?
Com tudo que nestes últimos anos está a acontecer,
cá e em todo o mundo, estou perto de não ter dúvidas. Até sempre!

Antuã disse...


Não gosto de cherne.

samuel disse...

Anónimo (que teria sido publicados às 21:01):

E lá vamos nós outra vez!…

A sue legítima opinião só não é publicada porque, inexplicavelmente, resolveu ser gratuitamente ordinário!

Ou isso é uma espécie de incontinência, ou vontade secreta de ver os seus comentários recusados… o que, a dar-se o segundo caso, transforma estas suas "visitas" num verdadeiro mistério. :-) :-)

Saudações.



Espero que, mais uma vez, não venha outra "alma boa" defender que para eu ter direito a dizer-lhe aqui PORQUE É QUE NÃO PUBLICO o seu comentário, por ser ordinário… devia, antes, publicar o seu comentário ordinário. :-) :-) :-)

Anónimo disse...

Eu estou-me completamente marinbando se publica ou deixa de publicar os meus comentários.

Mas revela uma enorme CORAGEM publicar a resposta ( ordinária) ao meu comentário sem publicar o comentário.

samuel disse...

Anónimo (17:34):

Depois de tudo o que foi explicado e re-explicado... este seu remoque, embora não me dizendo nada sobre a sua ANÓNIMA coragem... diz-me alguma coisa sobre a sua inteligência.

Lamento muito!!! :-) :-)