quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Ponte 25 de Abril – Desolação...


Não... esta “desolação” não tem nada que ver com o facto de a manifestação do próximo sábado ter mudado de lugar, por a CGTP não se ter deixado enredar na provocação que estava já programada e montada (ninguém me convencerá do contrário!) para transformar a marcha sobre a ponte numa coisa que se viraria contra os trabalhadores... se não fosse mesmo numa tragédia.
Também não é – não pode ser! – desolação para os manifestantes que estão a pensar comparecer nas grandes acções de protesto convocadas pela central sindical.
Primeiro, porque a manifestação continua convocada e, se possível, com ainda mais razões para mobilizar milhares de mulheres e homens, seja pela ilegalidade arrogante e provocatória da proibição, seja pela enormidade do agravamento da austeridade que aí vem.
Segundo, porque a alteração de um elemento do itinerário de uma manifestação de massas, não pode ser só por si desoladora, por mais simbólico que esse itinerário seja... já que uma manifestação desta natureza não é uma festarola nem um divertimento.
Mas há, certamente, muitos que estão desolados. Só para apontar alguns...
1. Aqueles que já estavam “contratados” para infiltrar a manifestação, sobre a ponte, e aí provocar sabe-se lá que acontecimentos... sabe-se lá de que gravidade.
2. O Governo e este ministro que não me custa nada imaginar de comprida gabardine de cabedal preto e botas de cano alto, a sair de um velho “Citroen V12” (mais os restantes adereços). "Vamos ser clarinhos!"... para usar as palavras do ministro. Este Miguel Macedo é uma bela imitação de fascista! Quanto mais não seja pelo desejo de vingança da humilhação que o povo lhes infligiu nas autárquicas. Quanto mais não seja para instalarem o medo, sabendo das grandes lutas, manifestações e greves que terão de suportar nos meses que lhes restam. Quanto mais não seja por estarem sedentos de algum sangue e quererem juntar ao seu currículo autoritário e fascistóide um massacre de pessoas desarmadas, durante uma manifestação. Talvez balear umas tantas. Talvez deixar algumas destroçadas para o resto da vida e em cadeira de rodas, como fez o seu antecessor Dias Loureiro a um jovem de Almada, numa manifestação contra um governo do PSD, há uns anos, exactamente na Ponte 25 de Abril.
3. Os hiper-mega-super-revolucionários do costume, sempre com a “revolução”... na ponta da língua. Sempre com a “revolução à la minute” pronta e para já... levada à cena nos sofás e nas caixas de comentários dos blogues e jornais.

51 comentários:

Anónimo disse...

Se são essas as razoes pq a CGTP nao as denuncia?

samuel disse...

Anónimo (00:06):

Caro anónimo…

Já que se deu à trabalheira de aprender a ler e escrever, de comprar um computador, de tomar conhecimento da existência de blogues, de tomar conhecimento da existência, especificamente, do meu… não será um passo assim tão difícil aprender a lidar também com os "links".

A minha frase "com ainda mais razões para mobilizar milhares de mulheres e homens" (sétima para a oitava linha) está escrita a azul, não porque eu tenha a mania de colorir os textos, mas porque a cor azul quer dizer que se trata de um "link" para outro documento que não está visível. Neste caso, um texto da responsabilidade da CGTP.
Basta clicar sobre o belo azul da frase… ler… e está lá tudo!!!

Agora já vai tarde, mas numa próxima oportunidade faça isso, antes de se expor ao ridículo de tecer comentários deste teor. :-) :-)

Saudações.

Anónimo disse...

Estas bestas que nos (des)governam nem sequer conseguem atinar que, com atitudes destas, mais não fazem do que acirrar os sentimentos contrários às suas políticas por parte de alguns menos mobilizáveis e, assim, engrossar, ainda mais, a enorme multidão que irá manifestar o seu protesto contra todos os desmandos, roubos e outros crimes praticados pela matilha de S.Bento, encabeçada pelo inquilino de Belém.
Rui Silva

Adelino Ferreira disse...

ó anónimo das 00,06,
ficava-te bem agradecer
ao Samuel!

Adelino Ferreira disse...

A pé, de camioneta, de
mota ou de bicicleta,todos à manif de Sábado.
Samuel, o detalhe do retrato por cima da pála é
uma delícia

Graciete Rietsch disse...

Que bem lhes fica a cruz suástica!!!!

Um beijo.

Reaça disse...

As pontes ligam margens, esta separa margens, que contradição!

Um tunel fazia o mesmo efeito e chegou a haver projecto para tal.

Mas esta ponte é linda!

Carlos Fernandes disse...

Penso que assim ainda vai ser melhor.
Vai ser lindo, ver cerca de 500 autocarros em marcha lenta a passar a ponte e a sair em Alcantara.
Vai ser uma das maiores manifestações de sempre.
Esta foi uma resposta inteligente da CGTP.

Anónimo disse...

Eu,'anónimo' das 00:06 refiro-me às entrelinhas e ameaças veladas que deveriam ser ditas sem rebuços e pruridos!
A metodologia faz-me lembrar a da guerra contra a Síria e os 'exercícios' de interseção de 2 mísseis q tinham sido disparados algures do 'Mediterrâneo'-de ESPANHA!!!!
Ora sabe-se q não foi nada assim,e quiçá(....) esteve-se no auge da III guerra Mundial,o q não quer dizer que as coisas tenham sido arrefecidas de vez....
Guarde a sua acidez para quem de direito(a)-fazer determinadas perguntas delicadas,não implica q seja um reaça.

Antuã disse...


Os nazis estão sedentos de sangue.

samuel disse...

Anónimo (11:49):

Caro anónimo…

Se soubesse a barreira de "comentários" insultuosos, parvos e provocatórios que tenho que varrer para o lixo, não chamaria "acidez" à minha reacção ao seu comentário, convenhamos, algo equívoco.

Se era isto que queria dizer (ainda que sob anonimato)… porque não o disse logo?

Seja como for, como disse, SE ERA MESMO ISTO QUE QUERIA DIZER… as minhas desculpas!

Saudações.

Pintassilgo disse...


Os esquerdelhos cumprem sempre o seu papel.

Anónimo disse...

O Hitler chegou ao poder sem que o Partido Comunista Alemão ter dado um tiro? Ou deu?

Anónimo disse...

'Anónimo' das 11:49 :Caro Samuel,sempre a considerá-lo e o desejo de bons posts :)

Francisco Trindade disse...

Considero que o Arménio Carlos e a CGTP com esta sua atitude acabou de dar mais um trunfo a um inimigo tão perigoso como este governo e os seu donos e por outro lado um tiro nos pés dos que lutam contra este sistema. Resumindo, e sem se perceber muito bem porquê, resolveu marcar esta manifestação a atravessar o Tejo. Tudo bem, mas quando surgiram os primeiros sinais de que a mesma podia vir a ter problemas, alegando-se a segurança, ainda podia nessa altura voltar atrás. Mas não, quis-se fazer de forte e insistiu, insistiu e durante uma ou duas semanas bateu o pé reafirmando o seu direito de usar a ponte, alegando a lei das manifestações, falando das maratonas que todos os anos a atravessam e oferecendo-se para deixar faixas de rodagem livres e até fazer um cordão humano em torno da manifestação. Insistiu e voltou a insistir. Criou a expectativa em muita gente que finalmente a CGTP estava disposta a afrontar o governo e a ir até à desobediência civil. O governo estava num beco sem saída pois após proibir a manifestação iria perder a face no dia em que muitos milhares atravessassem a ponte pois não estou a ver que pudessem enviar a polícia para bater no Secretário Geral da CGTP, no do PCP e em vários deputados e muita gente mediática. Quando parecia que desta vez a manifestação ía ser um sucesso e uma vitória o Arménio vem e desiste trocando atravessar a ponte a pé por atravessá-la de autocarro. Como se não bastasse, e para distrair as atenções, ainda vêm fazer afirmações que os desordeiros não poderão embarcar no passeio de camioneta. Que bonitos, bem educados e servis são estes senhores. Como se não nos bastasse ter pela frente um governo de ladrões e corruptos, com todos os poderes, executivo, legislativo, judicial, policial, económico e a comunicação social nas mãos, termos também as organizações dos trabalhadores a servirem de almofada aos protestos para que sejam mais espectáculo que uma realidade objectiva e que possa realmente mudar o sistema. Assim é difícil.
Para terminar só quero dizer que, contrariamente ao que tenho feito, não vou a esta manifestação porque não posso pactuar com coisas destas. Sinto-me envergonhado por esta falta de coragem do movimento sindical.

Francisco Trindade

trepadeira disse...

Mais dia, espero seja, menos dia, estas imitações arrogantes e ignorantes de nazis vão ser apeadas, sei lá se apedadas.

Abraço,

mário

samuel disse...

Francisco Trindade:

Considera mal!

"Que bonitos, bem educados e servis são estes senhores"

Não seja insolente!!! BONITO, EDUCADO E SERVIL É O RAIO QUE PARTA!!!

"Para terminar só quero dizer que, contrariamente ao que tenho feito, não vou a esta manifestação"

Tenho uma forte desconfiança de que não vai fazer lá falta nenhuma!!!

Com hiper-super-mega "revolucionários" do seu calibre... o governo está garantido!!!

Francisco Trindade disse...

Samuel,
Samuel,
já estava à espera de falácia ad hominem! Como não se consegue contra argumentar, a solução é chamar nomes feios ao autor do texto. É típico!

Repare Samuel que a minha postura foi totalmente diferente.Se eu falei em "Que bonitos, bem educados e servis são estes senhores" foi em resposta a isto: "Criou a expectativa em muita gente que finalmente a CGTP estava disposta a afrontar o governo e a ir até à desobediência civil." A grande questão aqui é que o PCP e a CGTP são incapazes de pôr em causa a legalidade capitalista por meios não legais. Dito de outra maneira, os comunistas portugueses são legalistas da ordem capitalista porque só conseguem fazer aquilo que a ordem jurídica capitalista permite que eles façam!

Samuel, aqui entre nós os dois que ninguém nos ouve: você acredita mesmo que é possível destruir a ordem capitalista pela utilização da ordem jurídica que foi feita justamente para proteger essa mesma ordem? Esqueça-se por momentos do Francisco e tente reflectir nesta questão...

Luis Nogueira disse...

Caro Senhor Trindade:
O senhor é cá um gajo. Faz-me lembrar uma pessoa da minha família que diz (entre outras maravilhas teóricas...) isto: nenhuma conquista se deve aos sindicatos obedientes que temos". Esta revolucionária (anarquista e tudo, carajo!) está na Escócia e a sua ambição maior neste momento é obter nacionalidade escocesa. Aos quadradinhos, se calhar.
Será que o senhor (e outras sumidades do mesmo calibre) não perceberam a jogada provocatória dos pulhas do Governo? Leia, se souber ler, o "Elogio da Clandestinidade" ou "Galileu Galilei" do Brecht. É sempre tempo de aprender. Ah, lembro-lhe também que a CGTP já cá estava antes de 1974. Já lidava com filósofos topo de gama antes destes pulhas e o sr. mesmo, Trindade Dupond(t), andarem por aí à lebre. Que a Santíssima Trindade o ajude, homem esclarecido. Amen.

Luis Nogueira

samuel disse...

Francisco Trindade:

Caro Francisco Trindade… por momentos esse seu "FALÁCIA AD HOMINEM" assustou-me! Depois vi que só a segunda parte é que é em latim e tinha lido mal a primeira. :-) :-)

Ainda assim, o seu latim não me faz mudar de opinião sobre a insolência, ao chamar servis aos dirigentes da CGTP. É, insisto, uma falta de vergonha da sua parte!!!

Admito que tenha ficado - como ficaram muitos dos que falam por este mesmo seu diapasão - desolado por não poder assistir, quem sabe, em casa e pela televisão, a uma carga policial sobre os manifestantes, como já se desenhava… mas isso não é razão para insultar a Central Sindical e vir aqui exercitar o seu habitual anti-comunismo básico.

Ah… já me esquecia… que caralho de "nomes feios" é que lhe chamei? Isso foi só para fazer efeito vistoso no comentário, na esperança de que ninguém vá ler o que realmente escrevi… ou você é mesmo assim… ???

Se for… é pena!

Medronheiro disse...


Francisco Trindade você não está esquecido e não se chama realmente Drurão Barroso?!... de revolucionários fascistas estamos nós fartos.

Pintassilgo disse...


Eminente Francisco Trindade vossa eminência ficou desolada por não assistir a uma carga policial sem que você estivesse a dar o corpo ao manifesto, é claro.

Francisco Trindade disse...

O que fica patente é que nenhum dos comentários respondeu aos argumentos e limitaram-se a falar da pessoa que não conhecem de lado nenhum!

Nem o Samuel, nem o Luís Nogueira,nem o Medronheiro e nem o Pintassilgo...

Fica registado!...

Anónimo disse...

Fica-lhe mesmo bem a farda e deve usá-la desde que nasceu!
Vicky

samuel disse...

Francisco Trindade:

Mais uma vez, pelo que que me diz respeito, não me lembro de "falar da pessoa que não conhecem". Mas pronto… este seu tique deve ser involuntário… :-)

Quanto aos "argumentos" (???) Bem… atendendo a que são seus, compreende-se a sobreavaliação. :-) :-)

Mas, pelo menos pela minha parte, tem razão numa coisa: Fica "registado", arquivado… e, espero, encerrado!

Saudações.

Francisco Trindade disse...

Samuel,

engano seu!
Esta conversa já dura desde os anos quarenta do século XIX e não está terminada...

Mas no que diz respeito a este espaço, aí sim, o Samuel tem razão mais vale ficar encerrado porque não faz sentido continuar, pelo menos com os presentes intervenientes...
O capitalismo saco-santo agradece!...

Francisco Trindade disse...

Título do SOL de hoje:

"Recuo na ponte abre divisões na CGTP"

A notícia diz o seguinte:

"Não foi pacífica na CGTP a decisão de acatar a proibição do Governo de realizar a marcha na Ponte 25 de Abril. Sindicalistas, militantes comunistas e sectores da extrema-esquerda sentiram que a CGTP havia capitulado. O blogue 5 dias encheu-se de opiniões indignadas e a central sindical foi ridicularizada pelas palavras de ordem 'Vamos Marchar Sobre Rodas' – para apelar a uma ‘versão rodoviária’ do protesto, amanhã, que consiste em passar a ponte em autocarros, num ‘buzinão’ que terminará em Alcântara.
O deputado do PCP Miguel Tiago, no Facebook, e a sindicalista da CGTP Lúcia Gomes não esconderam a sua frustração, mas num segundo momento tentaram travar as críticas de sectores mais radicais, que apelam à desobediência. 'Agora o mais importante de tudo é estar lá. Quem concorda com a forma e quem não concorda. Sem a luta não há vitória!', reage Miguel Tiago.

A discussão nas redes sociais é interminável, com os mais inflamados a recordar acções de confronto que vão do assalto ao quartel de Beja (contra Salazar) à desobediência dos trabalhadores da Lisnave que passaram a ponte a seguir ao 25 de Abril, em confronto com a polícia."

Pois é...
Parece que as objecções e os argumentos que apresentei, ao fim e ao cabo, fazem sentido...até do ponto de vista histórico, mas o pessoal aqui do Cantigueiro não viu, ou não quis ver isso...não é Samuel?

Nem todos dentro do PCP e dentro da CGTP ficaram contentes com a ideia de desistir e de capitular perante o governo...
Será que são também esquerdalhos? Vão ser expulsos?
Não seria a primeira vez...

samuel disse...

Francisco Trindade:

Caro Trindade,

Se julga que gostei da decisão de desmarcar a forma da manif e para não variar muito o teor dos seus comentários neste espaço… enganou-se ao "comprido"! Presumo que seja mais um dos seus (irritantes) tiques. Não sei de onde foi tirar a ideia

O que acontece é que me desagradou ainda mais o tom insolente dos seus "argumentos", que na primeira oportunidade, como vai sendo habitual e independentemente do que esteja em causa, servem apenas para denegrir a CGTP e os seus dirigentes e bolsar o seu ódio aos comunistas.

Há por aí um qualquer caso pessoal de "amor/ódio" mal resolvido. :-) :-) :-)

Já sobre quem agradece o encerramento do assunto… quanto ao "capitalismo sacro-santo" (mais uma vez, não resistiu à provocação barata!), não sei; mas eu, decididamente, AGRADEÇO!!! :-) :-) :-)

Saudações.

Francisco Trindade disse...

Samuel,

finalmente começa a perceber o cerne da questão: "Se julga que gostei da decisão de desmarcar a forma da manif".
Eu sei que é difícil irmos directamente ao fundo da questão mas é isto, era isto,que estava fundamentalmente em causa! E quem é que agradece? Veja lá se descobre...

Quanto aos meus tiques é uma questão acessória, terei muitos, sem dúvida, pelo simples facto de que sou humano. O Samuel não tem tiques?
(É uma pergunta retórica não precisa de responder...)

Anónimo disse...

Aliás a maior manifestação de sempre, como são todas as manifs do pc.

E aliás 500 caminhetes sempre é melhor que 500 mil manifestantes, fazem mais barulho, os motores as buzinas e tal...

Carlos Batista disse...

«Este Miguel Macedo é uma bela imitação de fascista! Quanto mais não seja pelo desejo de vingança da humilhação que o povo lhes infligiu nas autárquicas».

Será que em democracia, perder eleições é uma "humilhação"?

Como pode o PCP estar eufórico com a "vitória" eleitoral da CDU, num país destroçado e em risco de novo resgate, contra a oposição dum PS fragilizado pela responsabilidade no desequilíbrio das contas públicas, deixado por Sócrates; dum PS, que pediu o resgate à Troika e hoje com uma liderança fraca e despersonalizada... dividida entre a responsabilidade do poder e a demagogia do esquerdismo radical.

Como pode haver euforia com uma vitória eleitoral, num país governado por uma direita neoliberal, por uma coligação desorientada, incompetente e em constantes lutas intestinas; que não reforma nem governa, e agrava as condições de vida do povo com uma austeridade como Portugal nunca viu...
Contra um Bloco de Esquerda órfão, bicéfalo mas sem liderança, sem expressão autárquica...
Num país onde a manifestação "que se lixe a Troika" mobilizou nas ruas um milhão de manifestantes e outros tantos revoltados que ficaram em casa...

Como pôde o PCP cantar vitória com uma subida nacional de 1,31%, correspondentes a 13.110 votos.

Como pode vangloriar-se de ter ganho "em todos os tabuleiros", quando a única interpretação séria e possível, seria a de que obteve uma "derrota estrondosa" (humilhante?) ao perder a oportunidade única de alcançar um resultado histórico, pintando o mapa autárquico de vermelho.

Afinal para onde foi o voto de protesto desses milhões de eleitores? Que cansados dos partidos do "arco da governação", recusam alternativas populistas.

Será que se esqueceram do PRD "de Eanes", que "vindo do nada", sem "passado de luta", sem "passado histórico" obteve mais de um milhão de votos, com cerca de 18% do eleitorado? O mesmo eleitorado, que então quis castigar uma política de austeridade incomparavelmente menor do que a atual?

Será que se esquecem do palhaço italiano, de alcunha "o Pepe Grillo", que consegui 25,5% de votos? Mais do dobro da CDU!...

Para não falar de outros fenómenos por essa Europa fora, bem mais preocupantes e assustadores. Com a extrema direita radical a captar os votos dos descontentes e subir em toda a Europa; e a Frente Nacional de Marine le Pen, em França a liderar as sondagens.

Porque em Portugal, uma "esquerda irresponsável", como escreveu José Gomes Ferreira na capa do seu livro, insiste na demagogia e populismo que a grande maioria do povo português percebe, não tolera e penaliza nas urnas; uma esquerda sem capacidade de atrair os votos descontentes, empurrando os eleitores para a abstenção, o voto branco e o voto nulo.

Uma esquerda que o eleitorado considera não estar à altura dum povo com memória; que cansado duma ditadura autoritária, essa sim "uma bela imitação de fascista", deseja a prosperidade em liberdade e recusa ensaios totalitários sovietizantes.

samuel disse...

Carlos Batista:

Uau!!! As televisões sabem que você existe? :-) :-) :-)

Por entre o palavreado desinteressante (e looooooooongo!), destaco duas coisas, essas sim, fantásticas: As duas vitórias eleitorais em que, na sua opinião, os comunistas portugueses deveriam pôr os olhos e tentar imitar:

1. O grande resultado do PRD, que se finou meses depois dessa retumbante "vitória"… e vendeu a "marca" a um grupelho fascista. MUITO BEM!!!

2. O grande resultado do "palhaço Grilo"… o que indicia a hilariante opinião de que para ganhar mais uns votos (provavelmente, de imbecis…), os políticos deveriam tentar tudo, até fazer de palhaços. MUITO BOM!!!

O resto, como já disse, é a cassete do costume… ainda por cima em formato "long playing". Cansa!

Carlos Batista disse...

MUITO BEM o quê? Falei de mais de um milhão de eleitores descontentes, que sem “melhor” alternativa, ignoraram a APU(*) e votaram PRD, esse bluff de partido, que 15 anos depois acabou falido e “vendeu a marca a um grupelho fascista”; tal como este ano não viram alternativa na CDU e ficaram em casa a ver televisão, na esperança de me verem por lá... a defender a minha “hilariante opinião”, de que nem os imbecis quiseram votar nos políticos que fazem de palhaços.

(*) - 898.281 votos na APU em 1985 (mais 345.477 votos que em 2013, na CDU… uau!!!)

Saudações (democráticas)

samuel disse...

Carlos Batista:

Ah… então, quando o povo não vota, digamos, nos comunistas, mas sim naqueles que os roubam e traem… não é por ignorância, por medo, para obedecer ao padre, ao cacique, etc.

É por NÃO HAVER melhor alternativa, como você diz!!!

Uau!!! As televisões sabem que você existe? (2) :-) :-) :-)

Decididamente, o meu amigo é um génio do comentário político!!! :-) :-) :-)

Carlos Batista disse...

Não sou comentador político, mas ao ver o nível médio dos comentários dos seus leitores, principalmente daqueles que o meu amigo aceita sem azedume, "atrevi-me" a fazer o meu, chocado com a "elevada" opinião do artigo, que considerava "humilhante" uma derrota eleitoral, obtida em eleições democráticas e livres. (livres com a exceção daquelas velhinhas, que por medo do padre, votaram nos cristãos)

Não sou comentador, até porque não consigo expor uma ideia tão simples como esta, a espíritos superiores como alguns autores de blogues que fazem intervenção política na nossa praça; que, obviamente por incapacidade minha, deturpam cada ideia, cada facto, cada argumento apresentado, deixando a ideia, certamente injusta, que desviam para canto o que não lhes interessa "ouvir".

Nunca me referi aos eleitores que "por ignorância, por medo, para obedecer ao padre, ao cacique, etc." votam "naqueles que os roubam e traem". Antes pelo contrário, referia-me aos que livremente, por não encontrar alternativa, se abstiveram ou votaram branco e nulo.

Referia-me ao eleitorado que querendo penalizar os "ladrões e traidores" da coligação governante e penalizar o PS ("traidores e ladrões") pelo estado em que deixou as contas públicas, não gerou um fenómeno idêntico ao de 1985, votando em larga escala na CDU, a "alternativa restante" no boletim de voto, já que o BE, em autárquicas "não existe".

Por isso, na minha modesta opinião, a CDU não tinha motivos para estar eufórica com tão modesto resultado, ao subir a nível nacional uns modestos 1,31%, com 13.110 votos a mais do que em 2009. (E reparei depois... com 345.477 votos a menos do que em 1985, ano em que um milhão e tal de votos foi para o “lixo”).

Terá então sido abusivo concluir, que o eleitorado com memória, cansado duma ditadura autoritária, deseja a prosperidade em liberdade e recusa ensaios totalitários sovietizantes?

Saudações

samuel disse...

Carlos Batista:

Então… está bem, pronto! :-)

No tempo que leva a escrever estes quilómetros de comentários... já podia ter feito um blog seu, onde os textos deste tamanho são considerados como perfeitamente normais. :-)

Saudações.

Carlos Batista disse...

Mas se preciso explicar três vezes para dizer coisa tão simples!...

Saudações

samuel disse...

Carlos Batista:

Pronto… tinham que vir as queixinhas!!!

OK… diga lá quanto é que cobra pelas explicações ao quilómetro, perdão… à hora! :-) :-) :-)

Carlos Batista disse...

A única paga que queria era a resposta à pergunta feita ao "quilómetro zero" do meu primeiro comentário:

?Será que em democracia, perder eleições é uma "humilhação"?

samuel disse...

Carlos Batista:

Não brinquemos com as palavras!

Sim! Em democracia, não só pode, como DEVE!

... e é pouco para o que muitos "democratas" mereceriam!

Carlos Batista disse...


Resposta ambígua!... Ou resposta coisa nenhuma?

...democratas? Os que votam "de braço no ar", ou os que votam livremente?

samuel disse...

Carlos Batista:

Caríssimo… se com as minhas respostas lhe dei erradamente a impressão de estar interessado em ficar para aqui, ETERNAMENTE, nesta conversa de chacha… peço imensa desculpa! NÃO ESTOU!

Você não tem amigos com quem conversar?

GET A LIFE !!!

(espero que esta não seja ambígua!)

Carlos Batista disse...

"Get a Life"?
Continua a ambiguidade!

Refere-se ao cinema, à televisão, ou à literatura?
Talvez à música?...


Passe bem



samuel disse...

Carlos Batista:

NÃO!

Refiro-me à minha legítima vontade de que você vá BARDAMERDA mais os seus comentariozinhos indigentes e sem sentido.

Talvez nunca tenha visto uma tão competente imitação de melga!

Vá à sua vida e largue-me "as partes", porra! Não tarda nada isto já configura o assédio sexual!!! :-) :-) :-)

Percebeu agora? DASSE!!!!!!...

samuel disse...

Carlos Batista:

Como já suspeitava… a inteligência não é o seu forte! :-) :-)

Esticou-se… e já não verá mais "comentários" publicados. Nem para dizer "bom dia"!

O seu "servicinho" neste blog, acabou. Pode ir ter com os patrões que lho encomendaram… e acertar as contas. :-) :-) :-) :-)

Unknown disse...

Estava a seguir este debate com curiosidade e no fim, entre as duas últimas intervenções do Samuel, falta a do Carlos Batista. Terá sido por falha técnica ou por outras razões não esclarecidas?


samuel disse...

Unknown (15:13):

(De facto, muito mais fino que "anónimo"! ) :-) :-)

A "falha técnica" (do senhor Batista) está esclarecida no meu último comentário/despedida.
O pouquíssimo/nulo interesse do assunto ou da futura colaboração do senhor Batista, não justifica esclarecimentos mais esclarecedores.

Unknown disse...

Está bom de ver. O Comentário não passou a moderação. Admitindo que assim teria de ser, então qual a necessidade do Samuel fazer, nos termos em que o fez, aquele seu último comentário? Sabendo de antemão que não ia dar direito de resposta?
Jorge Silva

samuel disse...

Jorge Silva:

Porque ele mereceu!

Porque me apeteceu!

Porque não sou obrigado, pelo facto de ter um blog, a ter que aturar melgas, sobretudo quando ficam malcriadinhas... tal como as melgas não são, de todo, obrigadas a ler o que escrevo.

E que mal pergunte… qual é o possível interesse disto?!

Unknown disse...

Admito que entenda que “ele mereceu”. O “porque me apeteceu”, ainda que possa ser um direito que lhe assista, já me parece mais infundado, por uma questão de consideração, estima e até respeito pelos seus leitores.

Há muito que leio o seu blogue. Por isso, ainda que afetivamente, ele é também um pouco meu. Sinto-me com o "pequeno direito” de conhecer as regras instituídas, de "conhecer" até o seu autor e de não fazer juízos infundados.

Por isso, acho importante conhecer a razão daquele seu último comentário, dado que se o Samuel tivesse acabado no anterior, tudo faria mais sentido.

Saudações
Jorge Silva

samuel disse...

Jorge Silva:

Caro jorge silva…

Aquele relambório de comentários sonsos do indivíduo em questão, acabou com uma tentativa de comentário muito malcriado e insultuoso por parte dele, que decidi não publicar.

Decidi, também, dizer-lho aqui, já que não vejo onde mais poderia fazê-lo.

Se lhe tivesse dito porque é que não lhe publicava o comentário… mas publicando-o… isso seria muito estúpido. Ou não?

Mais… isto não é um órgão de comunicação público, pago com os impostos dos contribuintes e com o "sagrado" direito de resposta. É apenas um blog privado, em que o “proprietário” se pode permitir o “luxo” de não ser incomodado… nomeadamente, por sonsos.

Esta tendência para se levar demasiado a sério o que digo no meu blog… já me fez estar bem mais longe de o terminar e apagar, pura a simplesmente!

Não sou, nem quero ser o “grande educador” de ninguém… nem quando estou a fazer aquilo que é, realmente, a minha profissão e vocação... que não é, de todo, escrever em blogues!

Na verdade, este blog está a tornar-se, pouco a pouco, naquilo que corre o sério risco de vir a ser apenas uma má memória destes cinco anos que já leva de vida!

Seja como for, garanto-lhe que esta novela do Batista não vai perpetuar-se… agora através de si.

O assunto está encerrado!!!
Para si, as melhores saudações!