quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Grandes crânios!


Um ponto de ordem à mesa: qualquer pessoa, incluindo, portanto, este subitamente "famoso" estudante brasileiro, tem o direito de não gostar de Marx, de Lenine, de Stalin, de Salazar, de Hitler, do Tony Carreira, da Santa da Ladeira, dos Três Pastorinhos, de Jorge Jesus, do Pinto da Costa...
Agora, como fez este tal estudante brasileiro, recusar-se a fazer um trabalho académico sobre Marx, com a desculpa de não gostar do marxismo, que, ao que parece, considera como que uma espécie de doença... é hilariante!
Se a moda pega, começaremos a ter estudantes a recusar trabalhos nas faculdades de medicina, por não gostarem da tuberculose, da gonorreia, do sarampo...

23 comentários:

Provoca-me disse...

O gajo é mesmo ignorante. Dá pena.

O Puma disse...

... entretanto desejo que este desgoverno caia nas ruas

ou nas pontes

Anónimo disse...

Pobres calhaus com dois olhos e que só saberão teclar num computador porque se deixaram manipular por o que de negativo advém deles.
Vicky

São disse...

Para este iluminado intelecto só houve ditaduras de Esquerda.

Que chamará ele a Pinochet e afins?!

Fiquei ainda mais espantada como é que a criatura consegue meter aqui Paulo Freire!!

Haja pachorra.

Bom dia para vós

Graciete Rietsch disse...

Boa ocasião perdeu ele para demonstrar a razão por que não gostava do marxismo. Será que não sabe?

Um beijo.

trepadeira disse...

Pois não gosta, nunca provou. Fazia-lhe bem, pelo menos não diria tanta bestialidade.

Abraço,

mário

Anónimo disse...


Ainda há gente com eles no sitio.

Eu espero que um dia quando o mundo acordar deste pesadelo globalista macabro os novos dirigentes proíbam de todo o obra desse bandalho judeu.

E umas cerimónias públicas de queima de livros marxistas.




samuel disse...

Anónimo (12:57):

Não falta aqui nada! O ódio cego aos judeus, a queima de livros, num dia… ódio cego aos livros e queima de judeus, no outro...

O facto de ter conseguido dizer isso sem recorrer à ordinarice costumeira neste vosso tipo de comentários… torna-o quase obrigatoriamente publicável, de tal forma é pedagógico.

De facto, é bom ver a clareza com que vocês se definem: NAZIS. :-)

zambujal disse...

Ignorância? Não!
A seriedade da postura denuncia-se na transcrição de um "decálogo de Lenine".
Debater, sim! Dar corda a aldrabões, não!


Um grande abraço

Antuã disse...


Eu em Economia Política também tive que ser examinado sobre adam smith e Milton friedman e não me senti diminuído por isso. É que tanbém temos que saber o que dizem os nossos adversários.

Anónimo disse...


É verdade shor Cantigueiro, há gente Nazi. Eu devo ser um deles. É isso mesmo.

Eu sou contra as religiões e por isso não vou á bola com o Marxianismo.

As religiões só provocaram fome, miséria e guerras. O Marxianismo não foge á regra.

Miguel Bastos disse...

Óh Samuel gostei bastante dessa comparação entre o Marx e a gonorreia.

samuel disse...

Miguel Bastos:

Ainda bem que gostou!

Pelo tom do seu comentário sobre a minha "comparação" entre as duas coisas... presumo que seja mais praticante da segunda... :-) :-) :-)

Gostos!...

Maria João Brito de Sousa disse...

Se o não lesse aqui, pensaria que era uma brincadeira, dessas que se inventam por aí... é incrível!


Abraço!

Anónimo disse...

Samuel

eu sou dos habituais críticos neste blog.

Você decidiu banir os críticos e as críticas do seu blog, nada contra, é pena, mas a casa é sua.
Adiante...
Mas esteve bem neste comentário e esteve bem em publicar o comentário do bandalho 1257.

Eu, quando ouço ou leio qualquer coisa parecida com queima de livros lembro-me sempre do que escreveu o notável poeta e intelectual alemão Einrich Eine:

"Quem hoje queima livros, amanhã queimará pessoas"

Abelha disse...

burrice!!!

samuel disse...

Anónimo (17:56):

Nem mais!

… e como se vê, a notícia sobre "banir os críticos"… foi bastante exagerada. :-) :-) :-)

Saudações.

Anónimo disse...

Pela lógica será justo afirmar que o jovem gostou de tudo o resto que estudou em história: escravatura, feudalismo, colonialismo, nazismo, impérios, genocídios, etc, etc… Marxismo é que não!

Anónimo disse...

O mais interessante é que na Veja se dê guarida a um pateta que em vez de aproveitar o trabalho para explicitar eventuais contradições e enormidades do pensamento de Marx, opte por uma redacção zangando-se por o mandarem ler uma matéria de que não gosta.

Como se no exame final se zangasse por lhe darem zero depois de recusar responder às questões, uma vez que não tinha gostado da matéria nela coberta e que por isso optar por estudar outras questões - sei lá, jardinagem.

Uma vez num exame de Placas e Cascas levei zero em todo um problema bem resolvido, pq o professor estabelecia um problema e eu por engano trocara o problema que me tinha dado por uma coisa parecida, mas que se desviava completamente do problema dado. O professor só me disse, "mas V. resolveu bem uma coisa que não lhe foi perguntada." Claro que o professor tinha razão.

Olinda disse...

Esta notîcia fez-me lembrar a tal do "Homem que mordeu o cao".Milhares de jovens que fazem trabalhos brilhantes sobre Marx,no Mundo inteiro,inclusive nos EEUU,nao se fala por ser banal.Nao deixa de ser curioso,economistas capitalistas recorrerem ao "velho" Marx,para explicar a grave crise que o sistema hoje enfrenta.O problema nao ê a ignorancia do jovem ,mas o aproveitamento disso pelos "merdia".

Um abraco

Anónimo disse...

Não, não foi exagerada, nem deixou de ser.

Baniu e ponto final.

Você não se dá bem com quem o afronta com ideias diferentes das suas. E em vez de combater ideias diferentes das suas com argumentos, você prefere a preguiça do insulto, bastas vezes relezito e pífio.

E é pena, repito o que anteriormente já disse aqui: o seu blog poderia ser um grande blog de discussão política , controvérsia, polémica, sei lá, como diz aquela grande escritora que agora não me lembro o nome.

Mas tudo bem ok é o seu blog você na sua casa manda.

Mas que podia ser um grande blog podia.

Mas não o é: você prefere assim tipo tasquinha simpática, fim de tarde, uns finos e tremoços , benfiquistas a falarem das vitórias do Glorioso.

Volto a repetir, se é que me permite o pleonasmo: é pena.

samuel disse...

Anónimo (00:50):

Pois…

Há-de haver, certamente e algures, uma forma de achar normal chamar "ideias" a ameaças de morte, aos discursos negacionistas do holocausto de simpatizantes nazis, de saudosistas de Salazar, das várias derivações de "Chupem comunas!", seguidas de links para filmes negacionistas, propaganda neonazi, etc.

Deve haver, certamente e algures, uma forma de chamar "ideias diferentes" aos insultos abjectos evolvendo linguagem pornográfica, vindos de anónimos que, por mais que se lhes aponte a cobardia dos insultos feitos debaixo das saias do anonimato… lá continuam, valentemente agachados.

Deve haver… mas não consigo enxergar o encanto ou o interesse dessa merda!

Lamento… mas não tenho pena!

Prefiro "gerir" um blog, como você diz… "tipo tasquinha simpática, fim de tarde, uns finos e tremoços , benfiquistas a falarem das vitórias do Glorioso"… do que uma espécie de montureira, ou freak show para ponto de encontro de débeis mentais auto-arvorados em perigosos fascistas, apelando à queima de livros e à repetição do extermínio de judeus, comunistas, ciganos, homossexuais…

Já chega!!!
(Como terá dito, certamente, um qualquer grande escritor… de quem também não lembro o nome) :-) :-) :-)

Saudações.

Rocha disse...

O ranço fascista está completamente impregnado na elite burguesa brasileira. Esta notícia nem devia merecer qualquer atenção, isto é o dia-a-dia no Brasil das elites.

Muito mais importante que isto é a presença de figuras ligadas à ditadura militar no governo do Lula. Não podia ser de outra maneira quando partidos ditos operários se aliam a partidos burgueses a bem da santa "governabilidade".