terça-feira, 20 de abril de 2010

Vítor Constâncio – Mostrar serviço







O futuro vice-presidente do Banco Central Europeu ataviou-se com as vestes de sábio, leu as conchinhas e os búzios... e recomendou «prudência» na futura taxação dos lucros da banca e na regulação das suas actividades.

É evidente que os bancos não podem pagar mais impostos do que aquilo que tão penosamente já pagam... e se for possível, deve haver ainda menos regulação do que aquela que nos trouxe à brilhante situação em que estamos! Então não é?

Porra!, que já está a fazer o jeito aos banqueiros europeus que lhe pagam! – pensam vocês com as vossas mentes retorcidas e mal intencionadas.

Pergunto eu: se não for assim, como é que o homem começa a justificar o mais que generoso aumento de ordenado? Hein?

7 comentários:

joão l.henrique disse...

Em função da dita crise, o aumento não é generoso mas obsceno. É evidente que para esta gente, o sistema informático não avaria, só para os desempregados em Portugal é que por vezes está avariado.

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Claro! Já tenho por aqui dito que é preciso agradar aos patrões.

Um beijo.

Aristides disse...

Afinal, o homem é coerente: prega a contenção nos salários e nos impostos sobre os lucros bancários.
Nada de novo...

oasis dossonhos disse...

http://aguasdosul.blogspot.com/2010/04/o-desastre.html

Nelson Ricardo disse...

A eleição de Constâncio para um cargo mais alto do que aquele que ocupou é a grande prova de que o Mercado "auto-regula-se" sempre a favor dos mesmos. A Banca já deve estar a esfregar as mãos de contente.

Antuã disse...

O Vitinho precisa de morrer como o Zé das Medalhas!...

Fernando Samuel disse...

Este homem todos os dias enriquece... o seu currículo...

Um abraço.