sábado, 15 de janeiro de 2011

RTP Música – Mostre lá o BI... tenha paciência, desligue o aparelho imediatamente!


Por estas horas, na SIC, o que está a dar brado é o anúncio histérico de uma festança televisiva de quase um dia inteiro, para assinalar a chegada da nova apresentadora, Júlia Pinheiro.
Vou pensando “de mim para comim” que bem interessante e festivo seria a SIC convidar para as comemorações aqueles seus estagiários e demais trabalhadores que não veem ao fim do mês mais do que 500 euros de vencimento... se bem que isso seria uma trabalheira a fazer os convites e um grande “desperdício” do espaço disponível, já que se os quiserem convidar em número suficiente para igualar o ordenado da nova estrela, que é de 50.000 euros por mês, terão que ser 100... e cem trabalhadores tiram muito espaço destinado ao “Jet-Set”.
Enquanto isso, e este é que é o verdadeiro assunto do post, leio num jornal que a RTP vai criar mais uns tantos canais de televisão por cabo e que o primeiro a entrar em funcionamento, será um canal só de música.
Boa! – pensei à primeira – mas depois, lendo melhor, percebi que a coisa será virada para a música lusófona, daqui, das áfricas e dos brasis... mas que, infelizmente, não será para mim. Segundo quem criou e vai dirigir o canal, este destina-se a um público entre os 13 e os 34 anos.
Fiquei tristonho... mas mesmo assim pensei Caspité!” (só para  verem como sou antigo) “Isto é que é precisão científica, porra!” Dos 13 aos 34 anos! Quatro! Nem mais um dia!
Deve ser por causa desta fantástica precisão científica dos programadores culturais televisivos que as nossas televisões são, o mais das vezes, as belas bostas que todos conhecemos!

9 comentários:

Maria disse...

Assim sendo também estou fora do programa de música. Ora bolas, tenho de continuar a tavernar... :)))

Abreijos e boas músicas.

Suq disse...

Olha, sei do que falo, e digo-te apenas que conheço uma LOL, de 33 anos com cargo importante numa recente IPSS desta provinciana cidade, a quem a dita "música" e acompanhamentos, e passo a citar-te:
"Deve ser por causa desta fantástica precisão científica dos programadores culturais televisivos que as nossas televisões são, o mais das vezes, as belas bostas que todos conhecemos!"

Fernando Samuel disse...

Entre os 13 e os 34?: exactamente?: huuummm... aqui há gato...

Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira disse...

E se calhar o factor idade não há de ser único entrave para que possamos ouvir a musiquinha.
É que sendo por cabo, lá virão eles pedir mais uns "aerios" de mensalidade, não ?

E já agora, se não me levarem a mal a pergunta, a música tem idade ?

Não me lixem, eu sou um músico-dependente, trabalho o dia todo com os phones nos ouvidos (não só oiço a música como evito ouvir os disparates do lado) e tanto oiço música de hoje, como de anos anteriores à minha nascença !
A músicza é intemporal, senão já ninguém ouvia Vivaldi, ou Beatles, ou Zeca Afonso.

Graciete Rietsch disse...

Como é possível restringir uma emissão de música a um espaço de idades tão bem delimitado?
São loucos e querem fazer de nós parvos, mas alguma razão terão!!!!
Viva a boa música para todas as idades já que até no ventre da Mãe o bébé já é sensível à música.

m beijo.

Maria disse...

Fui radialista e "dei" música a muita gente, a toda a gente, de qualquer idade. Será que os meus ouvidos, de 58 anos, ficaram inadaptados à audiência de música cantada na nossa língua? Talvez um aparelho ajude a descodificá-la. Posso vender, a preço de saldo, 24 anos de experiência lusófona?

Maria Pereira

Sérgio Ribeiro disse...

Percebo o teu azedume. Também eu já estou nos 35! Aliás, 34 anos anos deve querer dizer nascido/a depois do 25 de Novembro.
E... como é que vou à Júlia?
Olha, paciência... também não se perde nada.

Abraços

donatien alphonse françois disse...

Já dizia o Vilhena: É o canal de merda!

Anónimo disse...

A Júlia Pinheiro é a tal que num concurso noutro canal perguntou se a colcheia é uma nota ou um instrumento. A estupidez já vem de longe.

Antuã