segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Regime de Sócrates – Ditadura da insanidade


O Celso é um jovem de Viseu. Tem 31 anos. Não tem família, conta apenas com alguns amigos e vive num quarto de pensão. Depende de um par de canadianas para se movimentar, como consequência de um acidente de que foi vítima aos dezasseis anos de idade. Sobrevivia, até agora, com uma pensão social de invalidez no valor de 189 €. Como, evidentemente, os 189 euros por vezes se mostravam curtos - mesmo fazendo as refeições na Cáritas - para acudir a uma peça de vestuário extra, alguns medicamentos inesperados – esse tipo de luxos – o Celso infringe milimetricamente as regras de auto-disciplina e rigorosa poupança que o vão mantendo vivo, retirando alguns euros de umas economias que lhe deixou o seu pai, no montante "astronómico" de vinte mil euros. Fora estas despesas extraordinárias, mantem-se firme na sua vida frugal.
Perante este cenário de densa dificuldade económica, social e física, o que decide fazer o regime de Sócrates? Aumentar a ajuda económica ao Celso? Estudar uma qualquer outra forma de melhorar o apoio de que ele necessita?
Duas vezes errado! A "PIDE" económica ao serviço do Teixeira dos Bancos, das Finanças e do Ministério do “trabalho e da solidariedade social”, descobriu aquela fantástica fortuna deixada pelo pai... e decidiu cortar-lhe a pensão de sobrevivência para 91 €. Exatamente! Noventa e um euros!
Nem há palavras. Somos governados por escroques!

18 comentários:

Maria disse...

Isto tira-me do sério.
Puta que os pariu!

:|

Lena disse...

E deixamos fazer sem nada dizer ?????
lamentavel...
Vou partilhar este post no meu facebook...posso ?
temos de divulgar coisas destas...
NAO HA DIREITO de fazer isso....

do Zambujal disse...

Celso? Disseste Celso? Celso quê) Não conheço...
Não tem um apelido?
Vamos lá a ver... se, apesar disso, se falar muito dele ainda pode ter hipóteses de se tornar em "um caso a ver".

Um abraço

samuel disse...

Lena:

Nem era preciso perguntar... :-)

Abreijos.

Antuã disse...

Os socretinos são execráveis.

Anónimo disse...

Há vezes penso que somos(desgovernados) por monstros.

Campaniça

Graciete Rietsch disse...

Simplesmehte, nõ há palavras.
A luta é cada vez mais urgente.

Um beijo.

Anónimo disse...

Samuel, espero que estejas mal informado. É que, se isto é verdade, trata-se de uma monstruosidade aberrante.
Um abraço.
Daniel

Justine disse...

Insanidade, dizes bem! E crime, crimes revoltantes a que assistimos todos os dias...
Não conhecia o caso, e apesar de todos os outros exemplos de abuso de poder ainda fico revoltada!

Anónimo disse...

Casos destes, infelizmente, já abundam por ai.Pensar quando é que isto vai parar é que arrepia. O monstro cresce na sua loucura.

Lidia

Anónimo disse...

Será que só na Tunisia e np Egipto é que há homens e mulheres com as coisas no sitio?

Anónimo disse...

Para os socretinos e seus facínoras lacaios as pessoas com deficiência são privilegiadas.

Pintassilgo

anamar disse...

Até quando ficaremos quietos, tão impotentes....?
É de gelar....
Abreijo

Fernando Samuel disse...

Escroques? Sóóóóóó!!!!!!!!


Um abraço.

relogio.de.corda disse...

Ok, quando quiserem fazer outra revolução, enviem-me um mail que eu vou na hora e levo mais uns quantos!

Suq disse...

Vá lá não lhe confiscaram as muletas!

Ferroadas disse...

Desculpa Samuel mas tem de ser, puta que os pariu.

Abraço

janeiro disse...

Penso que o samuel anda muito mole a adjectivar esta gente. Fascinoras disse o anónimo e muito bem