sábado, 22 de janeiro de 2011

Reflexão sabática


Sendo certo que existem muitos dias completamente inúteis na vida de cada um de nós, estes “dias de reflexão”, antes dos actos eleitorais, concorrem fortemente para um lugar no pódio. De qualquer modo, não é sobre a inutilidade de passar vinte e quatro horas a “reflectir” antes de ir votar - como se antes deste dia tivéssemos andado todos bêbados, ou o debate, luta política e a própria campanha, nos impedissem de pensar – que quero escrever.
Chegamos a este dia - pelo menos alguns de nós - vivendo um misto de inquietação e de calma. A inquietação de saber tão longe o fim da luta e a calma que só a consciência tranquila pode proporcionar... a consciência do dever cumprido, que sempre nos deixa bem connosco próprios, como escreve José Casanova.
Podíamos ter feito mais e melhor? Sim... como sempre e como em tudo na vida. Seja como for, o empenhamento com que todos fizemos aquilo que conseguimos fazer, garante-nos o direito a virar a página desta tarefa, reflectindo, já não no que vamos fazer amanhã, nas urnas de voto, mas sim no dia 24, 25, 26 e nos restantes dias de grandes e pequenas batalhas que serão sempre o pano de fundo da vida daqueles que não se conformam.
Dentro de horas, milhares de portugueses vão votar em candidatos que são responsáveis, uns mais, outros menos, por terem patrocinado e apoiado ou, pelo contrário (ainda que apenas um), feito frontal oposição, às políticas que nos trouxeram até este buraco lamacento que é o ano de 2011. Parece claro que ainda não será desta vez que o voto reflectirá a interiorização plena desse facto por parte da maioria dos eleitores, mas essa realidade não deve servir para outra coisa que não seja reafirmar a vontade de fazer aquilo que falta. De fazer o que é preciso.
É próprio das caminhadas longas e difíceis, fazerem-se passo a passo. O caminho... esse faz-se caminhando, como bem disse o poeta.
Boa “reflexão”!

17 comentários:

Maria disse...

Tá bem. Vou reflectir...

Abreijos.

Anónimo disse...

"Caminante, no hay camino,
Se hace camino al andar."

"Não há machado que corte
A raiz ao pensamento."

Samuel, tenho aparecido por cá, mas pouco tenho dito. És um homem de convicções fortes, e por isso te admiro. Mas eu também sou, embora não me ache admirável por isso, talvez porque reconheço que sou mais teimoso que convicto. Porque não acredito que este país mude, embora teime em viver como se tal fosse possível. De tal maneira que até gostaria de o ver representado por um poeta, vê lá tu!
Um abraço.
Daniel

Antuã disse...

A reflexão está feita. Francisco Lopes e a luta que continua.

Anónimo disse...

Samuel, estou a reflectir sobre as emoções de ontem, na Baixa do Porto, onde no meio de tanta gente encontrei uma frequentadora assídua deste teu magnifico espaço, a Graciete, e tive o prazer de conhecer uma outra, a GR. Quase que apetece formar o Núcleo do Grande Porto dos frequentadores dos blogues de boa qualidade.
Que este dia seja aproveitado para os Portugueses realmente reflectirem. Se o fizerem, concluirão, inevitavelmente que só um e um só dos candidatos não sujou as mãos neste lodaçal em que estão a transformar este nosso País. E que se deixem de preconceitos, não se deixando embalar pelos títulos académicos que alguns ostentam que não significam competência, como já demonstraram, nem honestidade, como todos os dias se vê.
Um abraço do Norte
Valdemar

Fernando Samuel disse...

Eu cá estou a reflectir: concentrações, manifestações, etc, dia 27: em Beja, Setúbal, Aveiro, Évora, Porto; dia 28: em Braga, Coimbra, Lisboa, Guarda, Angra do Heroísmo, Santarém, Viseu; dia 29: Covilhã...

Boa reflexão e bom descanso...

Um abraço.

JOSÈ GAGO disse...

Tens razão,Samuel! Reflectir o quê?
A grande reflexão terá de ser feita
sim, mas a partir do dia 24.
Porque, se depois de tanta mentira,
tanta corrupção,tanto roubo nos
salários e nas pensões, tantos cortes na saúde,na educação, na cultura etc..etc...
Se depois das campanhas hipócritas e desavergonhadas da cavacagem,dos
alegretes,dos nobres e quejandos...
Se depois disto tudo,a trapagem
ainda for premiada...(!?)
Não há dúvida, que terá de ser feita uma enorme reflexão sobre a
sanidade mental dos portugueses...!
Um abraço cheio de esperança...
JOSÈ GAGO

amsf disse...

O meu cartão vermelho será entregue amanhã, pelo candidato José Manuel Coelho, às elites nacionais!

GR disse...

Foi bonita a Festa pá, com a nossa gente!
Um mar de gente fazia ondular bandeiras que se perdiam nas ruas do Porto, todos queriam falar, abraçar o candidato Francisco Lopes, o Jerónimo com o seu sorriso tocava-nos a todos.
Depois, falar com camaradas que são o baluarte da luta desta cidade invicta enche-nos de prazer; como o camarada Valdemar, a nossa querida Ilda (Figueiredo), mas ainda não foi desta que tive o prazer de conhecer a cdª Graciete. Samuel, que bom seria poderes ter cantado ontem, mas tens estado noutras paragens e também muito bem acompanhado.
Já em Guimarães o calor humano, a intervenção improvisada e muito sentida do Francisco Lopes, foi para mim o melhor Comício.
Amanhã votarei/votaremos Francisco Lopes, com toda a Confiança!

Bjs,

GR

maia disse...

Nem nos "estaleiros de lenha e acendalhas" da Azervadinha onde eu nasci, havia "cavacos" (para arder) tão mal "enjorcados". E estou muito zangada, mesmo muito, sem perceber como se pode votar em tal criatura. Ainda espero que o povo do meu País não dê a vitória a este traste. Espero que as sondagens tenham a mesma credibilidade dos estudos dos "economistas de serviço".
É tão fácil: FRANCISCO LOPES cruzinha.

Anónimo da silva disse...

"Anónimo", também concordo que o caminho se faz caminhando. Sou portanto contra os que já o caminharam em nome dos outros, não precisando ter em conta os escolhos do caminho. E aí discordamos nessa admiração pelo personagem Samuel cujos caminhos estão sectariamente feitos. Porque os outros são burros ou malandros é claro...
Anónimo da Silva
(anonimamente é claro)

samuel disse...

Anónimo da Silva:

Ora vê? Assim até é possível...
Ninguém aqui é obrigado a admirar nenhum "personagem" :-))) :-))) e os "outros" não são todos burros ou malandros; alguns são bem piores, mas, felizmente, a maior parte dos "outros" é gente de bem, independentemente dos credos (e abrenúncios) e convicções.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Reflectir ?
Não preciso, obrigado.
Eu vivo de forma consciente todos os dias, e não me canso (ainda) de lutar todos os dias por um Portugal melhor. Como tal, a minha reflexão á diária, é constante, e por força disso mesmo a reflexão nestes dias é ... nenhuma, já está feita.
Samuel, um grande bem haja pelo trabalho feito nesta campanha, e que a força da luta pelo Portugal que todos merecemos, nunca esmoreça.

Força camaradas !

Graciete Rietsch disse...

Pois é . Eu gosto mesmo dos blogues "Cantigueiro", "Anónimo xxi", "O tempo das cerejas", "Cravo de Abril", e tantos outros que são minha leitura diária.Não os menciono todos porque são bastantes.
Admiro imenso os autores respectivos e com eles aprendo muito e consolido ainda mais os meus ideais.
Ontem estive na Arruada no Porto e no magnífico Comício em Guimarães,onde o entusiasmo e a confiança falaram bem alto. Apenas encontrei o Valdemar, grande camarada cujas palavras agradeço, mas a imensa multidão presente não me permitiu conhecer pessalmente a camarada GR,da qual me sinto muito próxima.
E agora, como ao longo da vida temos reflectido muito e porque a campanha do nosso candidato foi excepcional, vamos esperar por um bom resultado amanhã e recuperar forças para continuar a luta.

Um grande abraço cheio de "esperança combativa" para todos os camaradas que incansavelmente lutam diariamente por um Mundo Novo.

Graciete Rietsch disse...

Esqueci-me de referir "O Quareto de Alexandria" ,entre os muitos blogues que diaramente leio, mas sem que isso contribua para desvalorizar qualquer outro que não citei explicitamente.
E falo nele agora porque o considero muito bonito, sempre com uma música que me fascina.
Obrigada Samuel por ter podido introduzir esta apreciação no teu blogue.

Mais um beijo para ti e outro para a Justine.

Anónimo disse...

Anónimo da Silva
Peço-lhe, bem como ao Samuel, que me seja permitida uma resposta.
Eu estou cnvencido de que a minha maneira de pensar é correcta, e as outras não tanto. Se eu pensasse que havia ideias melhores do que as minhas e não me passasse para esse lado, não seria sinal de inteligência nem honestidade. Por isso continuo cristão (católico), socialista e democrata. Mas sei que qualquer outra pessoa que pense de maneira diferente tem o direito de estar convencida de que as suas ideias são justas. Portanto, e apesar de algumas diferenças fundamentais entre mim e o Samuel, falso seria ele se, para agradar a quem quer que fosse, fingisse pensar de outra maneira. Enquanto ele respeitar os meus credos (e abrenúncios), eu respeitarei os seus.
Um abraço.
Daniel

samuel disse...

Daniel:

Quando terminei o comentário com a referência aos credos, nem sequer estava a pensar em confissões religiosas... e os "abrenúncios" foram apenas o reflexo do vício antigo dos trocadilhos.
Não estava também a pensar em ti quando afirmei que entre os "outros" havia uma maioria de pessoas de bem. No teu caso, pelo que tenho lido e ouvido, isso é um facto estabelecido, que não carece da minha opinião para se afirmar.
De qualquer modo, este teu reparo ao "da Silva" foi um bom pretexto para mais um abraço virtual, à espera da oportunidade para o transformar em encontro, um dia destes... de volta de um "Frei Gigante", ou de um "Curral Atlantis", dependendo de estarmos mais virados para o branco, ou para o tinto... :-)))

Um abraço.

Anónimo disse...

Samuel, só uma reparo: eu entendi rigorosamente o sentido em que usaste "credos (e abrenúncios)". E, como achei graça à expressão, usei-a no mesmo significado de convicções com que a usaste. Só isso, meu Caro.
Esperemos que não tarde muito esse encontro com o Frei Gigante a servir de mediador. (Prova-se que tens bom gosto...)
Um abraço.
Daniel