sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Crime na forma continuada... é a lei!


Na Natureza existe uma lei que, contra ventos e marés, se mantém há muitos milhares de anos, apenas com algumas exceções: Mãe é mãe! Essas exceções, para nossa vergonha, são quase sempre da responsabilidade dos animais que, arrogantemente, se autoproclamaram racionais... e humanos.
Vem isto a propósito de mais uma notícia da estória abjecta de uma mãe que se calcula tenha violado dezenas e dezenas de vezes a própria filha de dez anos, para seu “divertimento” e do seu parceiro, padrasto da criança. Acontece que há outro aspecto da notícia que me choca tanto (ou mais) quanto o desvio sexual destes criminosos: a posição do Tribunal.
Por razões que nem quero explorar, tem-se tornado evidente, por parte de alguns juízes, a falta de dureza e, nalguns casos, mesmo complacência, para com os abusos sexuais contra crianças e jovens. Este caso aqui noticiado é mais um exemplo. Apesar de a acusação pedir a condenação dos criminosos por cada um dos 374 crimes de abuso sexual de que estavam acusados, o que, em cúmulo jurídico, seria o suficiente para lhes aplicar a pena máxima de prisão, o coletivo de juízes optou por sentenciá-los apenas a oito e onze anos de prisão, dos quais nem metade devem cumprir... condenados somente por um crime na forma continuada!
Aqui temos mais uma vez a “beleza” deste primor jurídico, o “crime na forma continuada”, uma espécie de rebuçado com que alguns legisladores decidiram contemplar os pedófilos e outros criminosos (provavelmente, a pedido). É uma lei iníqua, que tem feito soar milhares de suspiros de alívio em centenas de sacristias, etc., etc., etc., etc.... e até, estou seguro, em alguns gabinetes de juízes. Repito: Crime continuado, é a lei!

9 comentários:

Maria disse...

Sem palavras.
Nem consigo imaginar.

Abraço.

Joel de Sousa Carvalho disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

relogio.de.corda disse...

Simplesmente nojento isto tudo.

Anónimo disse...

Ah, agora percebi! Os senhores dos milhões roubados são julgados por crime na forma continuada. Ora, roubando um euro de cada vez, não são julgados por mais do que esse euro, será?
Paciência...
Um abraço.
Daniel

Fernando Samuel disse...

Exactamente: «crime continuado, é a lei» - e a prática destes juízes...

Um abraço.

trepadeira disse...

Já só o povo.
Um abraço,
mário

Graciete Rietsch disse...

Então um crime continuado é só um crime? E avítima continuada do crime só sofreu uma vez?
Faz-me lembrar as medidas de segurança de Salazar, mas ao contrário!!!!!!

Um beijo.

JOSÈ GAGO disse...

Ora bem!
Segundo percebo, a lei é bastante clara...
Por exemplo: Vamos supôr que, um dia qualquer, há alguém que se passa da mona e resolve começar a
exterminar uns quantos juízes desses que se prezam em libertar
criminosos...Digamos quatro,cinco,
seis... Está visto que só vai pagar
pelo primeiro, porque os outros,serão apenas a tal forma continuada... Ou não será assim...?

Um abraço
J.GAGO

Suq disse...

Quantas crianças estão na eminência do desvario de pais novos e de novos pais!

A bem da escolha livre espontânea e sexual e da incapacidade de assumir o respeito individual e colectivo, sem responsabilidades, se é que existem naquelas mentes!

No problem its always a magic dor for the belevers