terça-feira, 16 de agosto de 2011

America’s Cup – Nem tudo são rosas...


Dizem-me que a regata das não sei quantas, que agora passou por Cascais, é muito importante para o país, que dá uma boa imagem de Portugal, que é muito boa publicidade para as nossas exportações de vento... e tal...
Pronto. Até poderá ser... mas ter que ver, em apenas dois dias, as quatrocentas e vinte e sete repetições da mesma reportagem com barquinhos a correr, as meninas a aprender, uns tantos ricaços muito desportivos e felizes, mais uns tantos pobretanas quase tão desportivos e felizes quanto os ricaços, só por estarem ao pé deles, "snifando" os famosos perfumes do nosso "jet-set" e vendo os seus espalhafatosos barquinhos a correr... confesso que começou a dar-me voltas ao estômago.
Devo esclarecer que para mim, a vela, o mar, a aventura e a liberdade que poderiam encantar-me naquele desporto, não habitam estes eventos da moda. Mesmo assim, para além das imensas coisas boas que toda a gente parece ver naquilo e eu não, uma coisa, pelo menos, deu-me muito prazer. Um dos ricaços, direi mesmo o podre de rico Patrick Monteiro de Barros, estava feliz, contabilizando as paletes de euros que uma passeata daqueles barquinhos arrasta atrás de si... e, para minha grande satisfação, conseguiu estar um minuto inteiro a falar para a televisão sem tentar vender-nos a sua fantástica, seguríssima e maravilhosa central nuclear, que costuma ser o seu único e obsessivo tema.
Já a participação de sua excelência o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, nas declarações para a comunicação social presente, foi (pelo menos para mim) bastante confrangedora. O esforço de sua excelência o ministro foi notável, no sentido de realçar as tais vantagens para Portugal, a visibilidade, a boa imagem, essas coisas... mas quem olhasse com um pouco mais de atenção veria que os seus olhos estavam literalmente marejados pelo grande desgosto de não o terem deixado participar na regata com um dos seus “submarininhos.

9 comentários:

Eduardo Miguel Pereira disse...

Este homem não perde uma oportunidade de estar perto dos marujos ... manias, é o que é !

Anónimo disse...

Os pacóvios que votaram nele acreditavam que a sua vocação seria os adubos e os tractores...
Afinal são as ondas e a vela desportiva a nível de jet.set!!!

Anónimo disse...

Ai Eduardinho, não seja mauzão. Quem não gosta de um belo marujo?

Graciete Rietsch disse...

O nosso mar é lindo e a nossa costa enorme.
Porque não utilizamos o mar a que temos direito a favor do nosso Povo? Regatas é uma coisa linda e cara. Quem poderá desfrutar desse desporto belo e saudável?
E a nossa pesca? Quem a defende? Quem a apoia?
Tantas contradições relativas a este nosso bem tão maltratado, o Mar !!!

Sem mais comentários envio-te um beijo.

do Zambujal disse...

Um florido exemplo da nossa futura Florida.
Se deixarmos, claro!
Quanto aos submarinos, ainda vai mais fundo...

Um abraço

trepadeira disse...

Os submarininhos,pois,no fundo,bem lá no fundo,deverá ser um gaijo porreiro.

Um abraço,
mário

relogio.de.corda disse...

Obrigada por me fazerem rir hoje, neste dia de Verão tão cinzento. :)

Fernando Samuel disse...

E eu que não vi nada disso...

Um abraço.

albano ribeiro disse...

O fundo desta imagem é soberba.Não é uma baleia de bossa que tenta encavalitar-se no porta, qual aviões, é um dos submarinos do Portas.
Abraço