quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Líbia – Com o dinheiro não se brinca!


Numa singela e absolutamente transparente amostra da estirpe de “liberdade” e de “democracia” que os ventos da NATO e os seus mercenários transportaram dos EUA para despejar sobre Líbia em doses mortais, um grupo de grandes empresários líbios que, obviamente, fizeram as suas fortunas sob o comando de Kadafi, acharam chegada a hora de mostrar o seu incondicional e sentido apoio à causa dos “rebeldes”, pedindo a cabeça do histórico líder do país. Morto ou vivo. Oferecem mais de um milhão de dólares de recompensa e, a ver pela gorjeta extra, o total perdão, seja de que crime for... está mesmo a ver-se qual o crime que pretendem “perdoar”: o assassínio de Kadafi.
Entretanto, sem um pingo de pudor, na comunidade internacional especializada em exportação de “liberdade e democracia”, está aberta, às claras e descaradamente, a luta pelo controlo do petróleo líbio.
Neste caminho criminoso feito de milhares de bombardeamentos dos EUA, sem os quais os “rebeldes” e os mercenários pagos por forças estrangeiras, nunca teriam avançado um quilómetro, somaram-se, ao longo dos últimos dias, os relatos das verdadeiras “estradas” que a destruição e mortes resultantes desses bombardeamentos foram abrindo ao avanço dos “opositores” do regime. De súbito, uma notícia estranhamente diferente, num noticiário nocturno da Antena 1:
«Os rebeldes, apoiados pela aviação da NATO, atacaram e conseguiram controlar o porto petrolífero de Ras Lanuf... sem provocar quaisquer danos materiais».
Como se vê, há que ter sempre presentes as verdadeiras prioridades... e com um porto petrolífero não se brinca!

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Bem achado

Esta semana aconteceram factos relevantes: A publicação de um artigo denunciando que a acção na Líbia se increve numa estratégia mas vasta e que a Síria virá já a seguir; O aparente domínio, por parte dos rebeldes da situação na Líbia; o anúncio para sexta-feira duma cimeira da OUA... Acho que o que vem aí é bem pesado...

do Zambujal disse...

Há que saber distinguir.
Os danos materiais-petroliferos são uma coisa (a evitar a todo o custo), os danos pessoais-civis são... inevitáveis, colaterais.
Este teu "post" (como sempre) muito nos ajuda.

Um abraço

trepadeira disse...

Há que pagar-lhes na mesma moeda.

Um abraço,
mário

José Rodrigues disse...

Metem nojo alguns (muitos)jornalistas e opinadores cá da terra inteiramente engajados/as com a estrutura assassina que é a NATO.Que é feito do Movimento dos Não Alinhados? Afinal,CARAGO para que serve a ONU?

Abraço

Fernando Samuel disse...

Está-se mesmo a ver que não percebes nada de acções humanitárias...

Um abraço.

Anónimo disse...

Já há uns tempos correu uma noticia, correu devagar, que o sr., aquele que é presidente da França, tinha confiscado os depósitos libios em bancos franceses. Eu pensei e julgo nãe ter sido só eu, "já que o petroleo é para os USA., ao menos que aquelas massas fiquem em França" . Que jeito lhes vão fazer.
A noticia é verdadeira?
Mistério.........

Eduardo disse...

Samuel
Obrigado pela visão que esta cândida imagem me deu da "verdadeira guerra humanitária". Atento descrevi essa visão em http://c-de.blogspot.com/2011/08/verdadeira-guerra-humanitaria.html