segunda-feira, 15 de agosto de 2011

“Festa do Pontal” – Tanto que haveria para dizer...


Desde que, em 1976, o PPD decidiu fazer uma festa no Pontal, num pinhal perto da praia de Faro, sendo Sá Carneiro o dirigente do partido, aquela realização política dos sociais-democratas teve altos e baixos, deixou de se realizar por vários anos, depois ressuscitou... e deslocou-se para a Quarteira, a vinte e poucos quilómetros.
Muita coisa mudou naquele encontro, que começou por ser uma típica festa popular dos militantes do PPD, feita de voluntariado, grelhados e convívio, até ter-se transformado na jantarada arranjadinha, com ementa fornecida por empresas de catering e servida à mesa, para conforto dos convivas, culminando com o discurso do dirigente em funções, este ano e pela primeira vez, Pedro Passos Coelho, o novo primeiro-ministro. Entre o pinhal de Faro e a cosmopolita calçada marginal da Quarteira, muito mudou, como disse. Menos o nome! Por qualquer razão que me escapa, o pessoal do (agora) PSD, continua a chamar àquilo a “Festa do Pontal”.
Imagino o ridículo que seria se os comunistas, que fizeram a sua primeira “Festa” também em 1976, na antiga FIL, continuassem a chamar até hoje “Festa da FIL”, ou, vá lá... “Festa do Jamor” - para onde viajou logo no ano seguinte – à “Festa do Avante!”
Não, não vou começar a desfiar comparações entre a “Festa do Pontal” e a “Festa do Avante!”. Primeiro, porque esse não é o tema deste post; segundo, porque seria uma enorme crueldade...
Eu queria mesmo era falar sobre o discurso feito  apenas umas horas no “Pontal” pelo primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho.
Digo bem... queria!... E juro que tinha uma data de coisas, que achei muito importantes, para aqui comentar convosco sobre o "grande discurso"... mas acho que perdi o papel onde tinha isso escrito. Fica então para uma outra ocasião. Com as minhas desculpas!

7 comentários:

Maria disse...

Estás desculpado. Pelas empadas, claro...
:)))

Abreijos.

Rogério Pereira disse...

Ainda bem que perdeu a cábula.
Por sinal,
eu também não estaria em condições de comentar.
Nem tal discurso, nem o Pontal...

(estive a saber saberes e práticas de carpinteiro.
Onde? Adivinhe companheiro...)

Anónimo disse...

Caro Samuel

O representante da troika FMI/BCE/UE disse que "é preciso fazer um esforço colossal que o Governo não consegue fazer sózinho". E disse mais que vão ser pedidos mais sacrificios a todos os portugueses. Eu que faço parte de todos os portugueses que têm feito e vão continuar a fazer sacrificios reconheço que ele tem razão. É efectivamente preciso fazer um grande esforço para que os portugueses que não têm feito sacrificios o passem a fazer. Ele bem tem se esforçado mas eles não querem. Será que ele além de empregado da troika acumula com um emprego no grupo que não faz sacrificios? Ou será que estes, embora portugueses, têm uma dupla nacionalidade sendo parte da nação globalizada do capitalismo e, portanto, apenas sujeita às leis que determina e impõe?
A concluir, fiquei comovido com o apelo aos parceiros sociais, especialmente àqueles que, verdadeiramente e sem traições, representam os trabalhadores. As lágrimas correram-me pela face.
Um abraço do Norte
Valdemar

Fernando Samuel disse...

Desculpas aceites...

Um abraço.

Luis Filipe Gomes disse...

O partido do senhor em questão é uma tropa de gente que recordando-se do que fez e faz, aposta na falta de memória dos outros promovendo a ignorância e a desinformação para o que lhes é conveniente.
Basta lembrar os gloriosos revolucionários com tendências delinquentes e atitudes rapaces que se acoitam nas suas fileiras ou as deixaram por momentos de forma a ocuparem cargos que lhes possibilitam voos mais altos.

GR disse...

Depois de andar a saltar os canais, comecei a ver !!! pensava eu que seria a demonstração de um carro ou até o prémio da volta a Portugal, mas não! eram meninas bem produzidas e à frente deparo-me com o Coelho falante. Desde quando um comício ou iniciativa política necessita meninas para atracção?
Quanto ao discurso fiquei-me pelo; “ é preciso muita coragem para aumentar a electricidade e o gás, dando a cara. Este esforço não tem paralelo nos últimos 50 anos".
Já não aguento!


BJS,

GR

carol disse...

Ora bolas! O título até me fez crescer água na boca... e depois... é que tudo quanto seja para dizer mal dos fulanos do PSD eu estou sempre pronta...
Mas haverá outras oportunidades...