quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Que quem já é pecador sofra tormentos, enfim! Mas as crianças... *


(Primeira imagem, Paulo Alegria / segunda imagem, Joel Calheiros)

Seguindo a sua velha esperteza saloia de canibalizar os rituais pagãos e vender a ilusão de que aquelas práticas, quase sempre tão obscuras como as mentes em que, ao arrepio da História, ainda habitam, têm qualquer ligação com o cristianismo... a Agência Ecclesia dá a notícia (com indisfarçável satisfação) do retomar da “fé aliada à tradição” de São Bartolomeu do Mar, conhecida por “Banho Santo”.
Obedecendo a uma qualquer lógica medieval que para eles fará sentido, os “peregrinos” acreditam que o ritual do “banho santo”, envolvendo galinhas pretas, água do mar, violência e crianças, ajudará estas a ficarem livres do diabo, dos demónios, da gaguez, da epilepsia... provavelmente, até fará regressar o perdido abono de família.
E pronto. Numa orgia abrutalhada em que as crianças, quase sempre aterrorizadas, são enfiadas nos braços de indivíduos completamente desconhecidos, que riem alarvemente (tal como a família, diga-se) enquanto as mergulham à força nas ondas... os espíritos acabam por se afastar, provavelmente para não terem que assistir ao triste espectáculo.
Claro que, no fim, apesar de tudo isto ser um direto insulto ao próprio Cristo e à sua pregada relação de carinho com os mais pequenos, há sempre sacerdotes católicos disponíveis para abençoar esta aberração... fingindo acreditar na farsa.
* O Augusto Gil não fez nada para entrar neste post. A culpa é inteiramente minha!

10 comentários:

oasis dossonhos disse...

http://aguasdosul.blogspot.com/2011/08/labregos-de-colarinho-com-gravata.html


Abraço.

vovó disse...

é o tipo de "tradições" que me põe os nervos em franja!!!!
não me venham com "o povo assim... e assado..."... não há pachorra (temos pena)!
a estupidez, quando atinge a boçalidade (ou vice-versa), ultrapassa qualquer tentativa de boa vontade que eu possa ter.

vovómaria

trepadeira disse...

Se tanto gostam do obscurantismo da idade média porque não arranjam um ritual que os leve e por lá os deixe ficar?
Um abraço,
mário

Anónimo disse...

Vêm aí tempos cheios de ignorância e estupidez, bem próprios do governo que estamos a viver que nada incentiva à construção e à salvação do ser humano. Apenas contribuiem para a sua destruição interior.

Rogério Pereira disse...

A crendice é o refúgio dos coitados

È como diz,
a Igreja sente-se feliz

Maria disse...

'Abençoada seja a ignorância humana de muitos promovida por nós' foi a frase que eu acho que ouvi hoje quando passei frente a uma igreja......

Abreijos.

caracois dourados disse...

Isto é na festa da minha freguesia, em S. Bartolomeu-do-mar, Esposende.
A tradição é passar por baixo de 3, 7 ou 9 ondas e a seguir dar 3 voltas à igreja com uma galinha preta ao colo e passar 3 vezes por baixo do andor do santo.
É verdadeiramente atroz quando as vezes entregam crianças de menos de 2 anos a um desconhecido que quase os afoga, eu tenho a felicidade de ter uns pais ajuizados, mas há muito quem não tenha.

Dona Sra. Urtigão disse...

que horror !

Fernando Samuel disse...

Para a igreja estas coisas são como que caídas dos céus...

Um abraço.

Dylan disse...

Inspirei-me no seu texto, Samuel, espero que goste:

Sem querer beliscar a fé de cada um, acho que a romaria de São Bartolomeu do Mar, em Esposende, é profundamente retrógada e religiosamente questionável. O "banho santo" transforma-se em "banho traumatizante", num esgar de medo à medida que as crianças de tenra idade são mergulhadas por desconhecidos nas gélidas águas do Atlântico. Nem o maior demónio lembrar-se-ia de tamanha tortura - três vezes - sem misericórdia. Sinistro, no ritual da galinha preta, agradeço aos meus pais livrarem-me deste quadro tão pavoroso que nem Dante ousaria descrever.

http://dylans.blogs.sapo.pt/