quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Os trabalhadores assim até ficam mais livres, sem contratos...



Segundo leio, foi aprovado com os votos contra, da Esquerda e “abstenção” (muito satisfeita, digo eu...), da Direita, o aumento de período experimental de um trabalhador, para os seis meses.

Várias luminárias (do PS, evidentemente) defendem que isso vai aumentar a empregabilidade e diminuir o volume do trabalho precário. Entre essas luminárias, está o “grande amigo dos trabalhadores” e dirigente máximo da UGT, João Proença.

É por demais evidente que os patrões, nomeadamente os donos de grandes superfícies comerciais e seus milhares de lojas, oficinas, fábricas disto e daquilo, escritórios de tudo e mais alguma coisa, etc, etc, etc... estão interessados em experimentar exaustivamente as moças, moços, pais e mães de família, que “empregam”, durante seis meses, para depois finalmente os contratarem “a sério”!... Não é nada para ao fim dos seis meses prescindirem da sua “colaboração” e mandarem vir outros, sempre pagando pouco e sempre na eterna busca do “funcionário de sonho”!... Isso só mesmo na minha cabeça maldosa...

Parece que estão na mesa mais de quinhentas propostas de alteração ao Código do Trabalho. Gostaria também de fazer uma proposta de alteração, embora não seja exactamente para alterar nenhum aspecto do texto... é mais uma questão de “localização”...

Para ser mais exacto, tem que ver com o “sítio” em que (na minha modesta opinião) o Governo devia enfiar este Código... mas vocês não têm nada que aturar as minhas indisposições!

11 comentários:

salvoconduto disse...

E deixas o João Proença de fora? Não faças isso, mete-o lá também!

Abraço.

Maria disse...

É um prazer aturar as tuas indisposições, Samuel, embora seja grave o que as provoca. Diz-me se a tua proposta de alteração tem ou não hipótese de ser aceite, pois há umas coisas que bem lhe podem fazer companhia... a começar pelo dirigente máximo da ugt...

Abreijos

Maria disse...

eheheheheheh
o Salvo adiantou-se, mas o outro já tem 2 votos!

Hilário disse...

com o meu será o 3 votos.

Esta será uma das maiores barbaridades que estes senhores vão impor aos trabalhadores portugueses neste código de trabalho.

Acabam-se os contratos não tens que pagar nada a ninguém.

Durante 180 dias ficas por conta de um individuo que faz da tua vida o quer e lhe apetece, não tens qualquer direito,liberdade e garantia.

É a dignidade do trabalho e do trabalhor que é posta em causa.

Um Abraço

Lídia disse...

Partilho da tua indisposição e estou muito preocupada.

Abraço
Lidia

Pézinhos N' Areia disse...

Petição IVA COM RECIBO

Alvo da petição: Ministério das Finanças

TERMINA HOJE, PELAS 24 HORAS

(ainda está a tempo de assinar, caso pretenda fazê-lo)

É importante para as PME'S Portuguesas, o apoio a este movimento.

Ver aqui:
http://www.pnetpeticoes.pt/ivacomrecibo/


Alteração da data de exigibilidade do IVA, para que este imposto passe a ser devido ao Estado apenas após recebimento da factura e não após a sua emissão.

Proposta

- Que o IVA seja apenas devido ao Estado após o efectivo recebimento da factura

- Que por cada dia de atraso do pagamento dessa factura, exista uma taxa de juro obrigatória por lei nacional e de implementação automática

Ana Camarra disse...

4 Votos

Não pode ficar de fora é imprecindivél que guarde a parte que lhe cabe deste código, que é vasta, num orificio do seu organismo...

beijos

CS disse...

Se isto continuar nos pés do PScdsPSD os desempregados serão obrigados a pagar um imposto por estarem inactivos.

Fernando Samuel disse...

O «sítio» apropriado é mesmo esse...


Um abraço.

o escriba disse...

Se puder votar com as duas mãos e os dois pés, acrescente-lhe mais 4 votos à sua proposta-supositório!
Onde é que esta gente irá desencantar a lógica das leis, decretos ou o raio?
Junto-me à sua indisposição!

Um abraço
Esperança

Anónimo disse...

Sabes o que te digo Samuel??? Faz como eu, não entres nessa da indisposição e manda-os todos "Relaixar". "Ora vão-se a relçaixar". Eles, a cambada dos ditos tais...