quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Teixeira dos Santos - A trave-mestra



O capitalismo é a trave-mestra da nossa economia.

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, apresentou as traves-mestras do Orçamento do Governo de Sócrates, para 2009.

Uma trave-mestra é uma coisa extremamente importante numa casa e poucas coisas haverá, certamente, mais inquietantes do olhar para cima... e ver que a trave-mestra está podre!

Mesmo assim... por que raio me fica a sensação de que Sócrates está a “facturar” em cima da desgraça nacional (e internacional), baralhando as necessárias medidas de apoio a quem precisa, com pura propaganda eleitoralista?

Há certamente entre os meus leitores e leitoras, quem saiba correctamente colocar em palavras e números... esta minha desconfiança.

10 comentários:

Maria disse...

Eu só sei que em 2009 os impostos vão baixar. Ou serão que vão abaixar?
Gandas tretas, é o que eles são.

Abreijos

salvoconduto disse...

Também me saíste cá um desconfiado...

O Peres Metelo já lhes começou a tratar da campanha. Havias de o ver ontem a analisar o orçamento que ainda não tinha...

Irra que ele há quadrúpedes!

Ana Camarra disse...

Pois eu também sei que este novo orçamento geral de estado prevê um aumento para a Função Pública de 2,9%, o maior desta legislatura, também deve de prever um aumento das pensões de reforma.
Isto deve ser coincidência, não deve ter nada a ver com o facto de que para o ano 2009, estarem marcados 3 actos eleitorais (Parlamento Europeu, Legislativas, Autarquicas), deve ser coincidência de certeza.
Depois é como escreve a Maria irão baixar ou abaixar um pedacinho pequenino os impostos, pequenino, só o suficiente para a malta ir ao engodo.

beijos

do zambujal disse...

Os números, jogar com os números, o orçamento oportuno.
2,9 não é 3, e não será 2,9. Mas tudo se irá basear nos 2,9, como o ano que corre se baseou em 2,1 que não, claro!, será 2,1, foi/será muito mais. Quanto? Lá para 3 em contas duvidosas, mas os trabalhadores tiveram de ficar com os 2,1!
Sobre o PIB, uns UEs dizem 0,1 e pega-se no número e vangloria-se: "vêm? vêm!, estamos entre os positivos..." ignorando que os mesmos dão 0,2 para a média, o que significaria, se se verificasse, mais um ano de desconvergência.
E, logo a seguir, vêm com 0,6.
Querem mesmo entreter-nos com números como se fossem realidades para esquecermos a realidade... e os números reais, da vida que vivemos.
Um abraço
(Estou com dúvidas se não devo colocar isto noutro lado, para além desta função de comentário ao teu tão oportuno e certeiro post...)

Lídia disse...

Os pescadores lançam engodo aos peixes para os apanharem. Estes senhores lançam engodo ao eleitorado. Manobras perversas de quem factura em cima do desastre social e económico em que está o país.
Abraço
Lidia

Antuã disse...

o que eu sei é que os trabalhadores continuarão a ser roubados indecentemente.

ferroadas disse...

Olha amigo, de números e palavras sei pouco, o que sei é que à custa deste palavreado, os tipos nos estão a ir novemente ao trezeiro.

Abraço

Fernando Samuel disse...

Não sei porquê, mas também tenho uma sensação muito semelhante á tua...


Um abraço.

Anónimo disse...

Podre e com caruncho. Este OE é idgual aos OEs do passados... Tudo na mesma.
Abraço

Susete Evaristo disse...

Pois poderá ser o barrote mais grosso só que não vai ser casa para muito tempo o engenheiro enganou-se e colocou-o nas paredes de tabique e não nas paredes mestras, vai estatelar-se no chão não tarda.