quarta-feira, 22 de julho de 2009

Cavaco Silva - Renovação de plantel





Cavaco Silva escolheu Vítor Bento para ocupar o lugar deixado vago por Dias Loureiro no Conselho de Estado. A confirmar-se mais uma vez a espantosa arte de Cavaco para escolher a gente que o rodeia, não tarda nada, estaremos a ter (ainda mais) novidades deste Vítor Bento.

Economista, já esteve à frente, atrás e ao lado, de variadíssimas instituições. Na SEDES, esse tão produtivo grupo de inefáveis pensadores, pouco mais conseguiu produzir como solução para Portugal e a sua economia, do que o recorrente “conselho” de corte de salários. Dos trabalhadores, claro! No Banco de Portugal, foi director do Departamento de Estrangeiro. Para ir para a SIBS (aquela coisa dos cartões Multibanco), pediu no Banco de Portugal uma licença sem vencimento que dura há anos. Antes de começarem a pensar que nesse caso até fez muito bem, sempre vos digo que ao fim de todos estes anos (cerca de nove) sem ter posto os pés no Banco de Portugal, o benemérito Constâncio, empenhado em aumentar em alguns milhares a reforma de Bento, mesmo sem ele ter feito rigorosamente nada no banco, resolveu, por uma questão de “equidade interna”, dar-lhe uma “promoção por mérito”. Que ele aceitou, evidentemente.

Infelizmente, nos tempos que correm e atendendo às notícias que nos vão chegando todos os dias, envolvendo bancos, banqueiros e os seus amigos empresários e ex-governantes, o “grande mérito” de Vítor Bento foi exactamente não ter feito nada, não ter tocado em nada, nem ter tido acesso a papeis ou negócios no Banco de Portugal.

Quem acha bem e normal ser promovido por “mérito” como recompensa pela excelência de um trabalho que não fez, tem certamente conselhos igualmente excelentes para dar ao Estado. Será um grande substituto de Manuel Dias Loureiro!

14 comentários:

J.S. Teixeira disse...

Esperemos que este não dê barraca como o outro.

No Concelho do Seixal, líderes do PS e PSD reavivam antigo duo de música romântica: Chitãozinho e Xororó. Podem conferir a capa do seu disco "Somos Apaixonados" no blogue O Flamingo.

Maria disse...

É o que se chama "ter dedo" para escolher conselheiros, amigos, etc....

Abreijos

LAM disse...

Vá lá, pode ser que sejam aplicados os mesmos critérios de promoção aos professores, por exemplo.
Afinal não foi uma qualquer empresa privada que assim procedeu: foi uma instituição do estado, o BdP. Siga-se o exemplo.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Mais um senhor certo, para o lugar certo!?. Certamente que sómente foi tida em conta, a sua competência, e experiência ...

zé do boné disse...

-Este não tocou em nada só toca e bem no milhares de contos que arrecada ao fim de cada mês ...è dos tais que canta muito acerca da redução de salários dos outros mas para si é à fartazana.
Só nos sai ladrões e aparentados

Fernando Samuel disse...

Está provado que uma das maiores especialidades de Cavaco é escolher os seus homens de mão... Portanto...

Um abraço.

O Puma disse...

Cada cavadela

uma minhoca

Curioso do Mundo disse...

Na linha da ocupação dos orgãos do Estado pelo cavaquismo reaccionário [vindo do convento do Beato] o Vítor no conselho de Estado é o Bento XV!

Saúde,amigo

Irlando disse...

Pensando bem,o que o "conselho de inúteis"precisa é de água "benta"

Antuã disse...

o Cavaco está ao nível de suas santidades.

Anónimo disse...

Hoje, o Correio da Manhã punha victor bento para cima em tom elogioso:"economista respeitado".

respeitado só se for pela mãezinha, acrescento eu que sei que senhora que tais filhos educa não se livra de vis apodos

ZERO À ESQUERDA disse...

Se este estiver "limpo", será a excepção a confirmar a desgraçada regra. Abraço.

samuel disse...

Por mim, não tenho a mínima intenção de seguir qualquer um dos seus conselhos...


Saludos!

Anónimo disse...

Quando este senhor entrou para a SIBS (empresa que gere o Multibanco) esta empresa tinha cerca de 300 funcionários. Neste momento a trabalhar para a SIBS são quase 600 mas da SIBS propriamente dita são apenas 250 trabalhadores! As promoções acabaram, os aumentos também.No que diz respeito a trabalho não pago aumentou e de que maneira. Reduções de direitos dos trabalhadores também.
É a nova democracia!